Exposição do Evangelho de João: A Glória do Verbo Divino (Primeira parte):


E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai. João testemunha a respeito dele e exclama: Este é o de quem eu disse: o que vem depois de mim tem, contudo, a primazia, porquanto já existia antes de mim. Porque todos nós temos recebido da sua plenitude e graça sobre graça. Porque a lei foi dada por intermédio de Moisés; a graça e a verdade vieram por meio de Jesus Cristo. Ninguém jamais viu a Deus; o Deus unigênito, que está no seio do Pai, é quem o revelou. (Jo 1:14-18).


I – INTRODUÇÃO:

A glória deste mundo é uma glória ilusória. É a glória da fama, do dinheiro, do sucesso, do reconhecimento humano. Porém tudo termina em nada, pois não se mostra duradouro. A morte é o fim de tudo. Porém a glória que vem de Deus é a glória verdadeira. Pois se trata de uma glória real e eterna. Quero neste estudo meditar com você nesta questão e mostrar que a verdadeira glória está em Cristo, o Verbo de Deus. Espero que você reflita e busque conhecer esta glória real.

II – A GLÓRIA EM CARNE (Jo 1:14):

João prossegue em sua introdução ao seu Evangelho e finalmente chega ao fato que é de extrema importância para nós: O Verbo de Deus, Aquele que sempre existiu, o Criador de todas as coisas, enfim Aquele que é Deus, sim, Ele encarnou-se. Tornou-se homem como todos nós! Tornou-se humano sujeito a dores, a fraqueza, e ao sofrimento, no entanto sem pecado. Isto evidentemente é um rebaixamento, uma humilhação. Sabemos que como homem Ele sofreu, que foi um servo sofredor, um homem de dores, que assim viveu e por fim foi crucificado entre dois malfeitores. Sim, o Verbo de Deus, Aquele que é Deus, se humilhou até esse ponto. Ora amados o que nos deixa impressionados é que em seguida João nos diz : “vimos a sua glória”. Aqui Ele está falando como que se incluindo entre as testemunhas oculares. Ele diz: “nós vimos a sua glória”. Mas que glória estas pessoas podem ter visto neste rebaixamento, nesta humilhação? Como morrer entre dois malfeitores pode ser uma glória? Não é verdade que por causa disto zombaram Dele? Não é verdade que diante da Cruz fizeram isso (Lc 23:23:35)? Então como é possível que aqueles testemunhas tenham visto glória Nele? Ora, João nos responde: “glória como do unigênito do Pai”. Aqui está a resposta! Aquelas testemunhas viram que aquele não era um mero homem mas era também o Filho de Deus. Ele possui a natureza de Deus, Ele é Deus. Foi isso o que eles viram. Por isso João fala que Eles viram Nele a Glória. Trata-se da glória de Deus. O Filho resplandece esta glória. Na verdade esta glória estava exatamente em seu rebaixamento, em o próprio Filho de Deus, aquele que é Deus, descer até nós em carne!
É claro que esta glória só é visível ao que crêem. E este é um ponto muito importante. Os incrédulos o viram como um derrotado e condenado a morte. Os crentes viram Nele o Filho de Deus que se humilhou até a morte pelo seu povo. Só a fé viu isso. Ora a glória divina é perceptível aos que abrem seus olhos para a luz. Meus amados, penso que podemos aplicar esta questão em nossa realidade. Vemos que os homens e mulheres continuam a não perceber a glória que está em Cristo. As pessoas continuam a desprezar a Cristo e trocá-lo pela inútil glória deste mundo. Não é verdade? A pompa, o luxo, a soberba presunção sobre si mesmo, são buscadas a todo custo. Fala-se em “celebridades”, e tais pessoas são vistas como modelos de sucesso e felicidade. Oh como tudo isso é enganoso! Mas os crentes vêem o que os outros não enxergam: A glória está no Verbo, no Filho de Deus! Meu amigo pense nisso. Quem sabe você está iludido com a glória falsa deste mundo. Eu que lhe dizer que o Criador de todas as coisas, o Senhor Santo e Todo Poderoso se revelou Naquele homem. Ele se tornou carne. Em Cristo o vemos e o conhecemos. Ele morou aqui entre nós e nos revelou quem é Deus. E hoje se crermos Nele podemos conhecer a este Deus e encontrar a verdadeira glória. João diz que Ele estava cheio de graça e de verdade. Quero lhe dizer que você precisa desta graça e desta verdade. Porém deixarei para comentar sobre elas mais adiante.

III – JOÃO RECONHECE A SUPERIORIDADE DO VERBO (Jo1:15):

O evangelista João nos fala mais uma vez sobre o testemunho de João Batista. Ora, João nasceu antes de Cristo, e também começou a pregar antes Dele. No entanto ele reconhece que não é mais importante que o Verbo de Deus. Não, de forma nenhuma! O Verbo é infinitamente mais importante. E o motivo é esse: O Verbo já existia antes dele. O Verbo sempre existiu, pois o Verbo é Deus. João é apenas aquele que aponta para o Verbo para que todos creiam por ele (Jo 1:6,7). No verbo está a glória.
Mais uma vez somos lembrados disto, e creio que há um propósito aqui de novamente nos alertar quanto ao perigo de nos desviarmos para o homem. Como já estudamos antes, devemos ter cautela para não substituirmos o Único que possui a glória, o Filho de Deus, por outro mero ser humano. Se nem João Batista teve primazia mas reconheceu que o importante é o Verbo, devemos crer que nenhum homem terá jamais tal primazia. O Verbo de Deus é o que nos traz a Glória de Deus e só Ele. Quero voltar a alertar: Tomemos cuidado para não supervalorizarmos os pregadores. Como o coração humano é enganoso, precisamos ter cuidado para não nos distrairmos com a glória humana que se manifesta nos talentos que admiramos nos pregadores. A única glória verdadeira é a de Cristo, e pela fé devemos ficar firmes em olhar para ela. Só Cristo nos revela a Deus. Os homens que Deus chama para pregar são apenas os que apontam para Ele. Nenhum deles tem a primazia. Tal primazia é do verbo divino.
Continua...
Pode ser copiado e distribuído livremente desde que indicada a fonte!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição de João 10:1-18 - Jesus é o Bom Pastor (Texto e áudio) - Manoel Coelho Jr.

Meditações em Gênesis 22: A prova suprema da Fé de Abraão* - Manoel Coelho Jr.

Estudo em Gênesis 3 (Primeira parte)