Exposição de Gênesis 5: A Linhagem Piedosa (Primeira parte):

I – INTRODUÇÃO:

Após termos estudado sobre a linhagem impia de Caim chegamos a esse capítulo que apresenta outra linhagem completamente diferente. Em Caim encontramos o mundanismo, ou seja, uma vida completamente esquecida de Deus e ocupada com outras coisas. Já em Sete encontramos Deus sendo colocado como prioridade em tudo. Na verdade na linhagem de Sete encontramos a atuação da graça de Deus em meio a uma humanidade caída. Este é o motivo supremo de grande consolo a todos os que amam ao Senhor. Neste estudo pretendo refletir aplicando o ensino as nossas vidas hoje na seguinte pergunta: A que grupo pertencemos: aos que amam a Deus ou aos que o desprezam?

II – DEUS É O MAIOR BEM PARA OS PIEDOSOS:

Quero destacar alguns fatos que demostram que o que fazia a diferença entre a linhagem de Caim e a de Sete era a maneira em que elas tratavam a pessoa de Deus. A Bíblia mostra que as seguintes coisas não diferenciam os seres humanos: nacionalidade, cor da pele, situação econômica, ou cultural. Diante de Deus nada disso importa. A grande questão é: Como tratamos a pessoa de Deus? Em outras palavras: Que importância Deus tem para nós? Sempre existiu na terra dois grupos: O que ama a Deus, e o que não o ama, o que considera Deus o Sumo bem, e o que não dá o mínimo valor a Ele.
Observemos a diferença entre as linhagens de Caim e de Sete. Se tomarmos o capítulo quatro de Gênesis, dos versos dezessete ao vinte e quatro, encontraremos entre a linhagem de Caim bastante atividade, mas nenhuma referencia a uma busca a Deus. Eles são talentoso e grandes empreendedores, mas não possuem tempo para se dedicar a Deus. Na verdade para eles Deus não importa. Ora, não vemos o mesmo em nosso dias? É claro que vemos. Infelizmente a maioria das pessoas está em busca de muitas coisas, mas não de Deus. Elas buscam riquezas, fama , prazeres, lazer, bons relacionamentos, e muitas outras coisas, mas Deus para elas não é importante. Essa é a vida do homem natural, carnal, mundano. Mas vejam a linhagem de Sete, vejam que diferença há. Descobrimos isso observando alguns fatos que mostram a importância central de Deus na vida deles:
A – Com relação a Enos se diz: “A Sete nasceu-lhe também um filho, ao qual pôs o nome de Enos; daí se começou a invocar o nome do SENHOR.” (Gn 4:26).
B – Com relação a Maalaleel, que a parece dos versos 12 ao 17 do capítulo 5, temos a informação que o significado de seu nome é: “louvor de Deus”.
C – Com relação a Enoque se diz: “Andou Enoque com Deus e já não era, porque Deus o tomou para si.”. (Gn 5:24).
D – Com relação a Noé temos as palavras de seu pai: “pôs-lhe o nome de Noé, dizendo: Este nos consolará dos nossos trabalhos e das fadigas de nossas mãos, nesta terra que o SENHOR amaldiçoou.”. (Gn 5:29).
E sobre o mesmo Noé temos ainda: “Eis a história de Noé. Noé era homem justo e íntegro entre os seus contemporâneos; Noé andava com Deus.”. (Gn 6:9).
Será que ficou claro que para eles Deus era central? Penso que sim. Não há como negar. Esta é a diferença básica entre as duas linhagens: amar ou não amar a Deus. Querido amigo que lê estas linhas, não podemos fugir deste fato. Devo lhe alertar sobre a importância da questão. A pergunta mais importante de toda a sua vida é esta: Você amam a Deus ou não? Qual destes grupos você está? Não se iluda: Deus não se importa com sua riqueza, poder, fama, cultura, religiosidade, nacionalidade, cor de pele, tradição, ou qualquer outra coisa além desta: você ama ou não ama a Deus? Deixe-me explicar: Quando Deus criou o homem Ele o fez a sua imagem e semelhança, ou seja, santo como Ele é. Isso implica em que Deus de fato seja o Deus do homem, visto que esse é o correto, pois só Ele de fato é Deus. Só Ele deve ser glorificado como tal. Porém desde que o homem caiu no pecado houve uma distorção: O homem não mais tinha Deus como Deus, o homem passou a ter outros deuses que na verdade não são deuses. Esta é a distorção das distorções, é a origem de toda a distorção. Isso é loucura! A linhagem de Caim é um exemplo típico deste fato. Eles não têm Deus como Deus.
Já em Sete encontramos a visão correta da vida, aliás só no exemplo da linhagem de Sete é que de fato temos a vida, pois Deus é a Vida. Fora dele só há morte. Vejam Adão: No capítulo 3 ele desobedeceu a Deus e seguiu a serpente esperando ter vida de verdade. Mas vejam o que diz o verso cinco do capítulo cinco: “ Os dias todos da vida de Adão foram novecentos e trinta anos; e morreu”. Oh, chegou o dia que ele morreu, e todos agora morrem. E é isso que há sem Deus: morte, e em todos os sentidos não só físico. Mas vejam Enoque, o homem que andou com Deus. Ele não morreu mas foi transladado. (Hb 11:5). Oh, Deus é vida, e também em todos os sentidos. Na verdade quem não amam a Deus mesmo andando está morto. O tal está apenas esperando o derradeiro momento quando virá a perdição total. Quem não tem Deus não tem vida, pois Ele é a vida. Observemos que no início eles viveram tanto: centenas de anos, mas com o crescimento do pecado a vida diminuiu. Querido amigo esta é a realidade: O que o mundo chama de vida é pura ilusão. Deus é o que importa, Ele é nosso maior tesouro, e é em Cristo que o temos. Não, não devemos estar em busca de bens, saúde, fama, sucesso, como se estas coisas fossem as principais. Esta é a maneira distorcida de pensar que vem do pecado. Ora, os homens têm esquecido que Deus é o bem maior, é o Único Deus, e de que se o tivermos, mesmo que não tenhamos aquelas coisas, já temos tudo: Temos ao Senhor Nosso Deus. (Leia, por favor: Dt 30:19, I Sm 2:6, Pv 8:35, Lc 12:15, Jo 3:16, Jo14:6).
Continua...
Pode ser copiado e distribuído livremente desde que indicada a fonte!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição de João 10:1-18 - Jesus é o Bom Pastor (Texto e áudio) - Manoel Coelho Jr.

Meditações em Gênesis 22: A prova suprema da Fé de Abraão* - Manoel Coelho Jr.

Estudo em Gênesis 3 (Primeira parte)