Pesquisar este blog

Carregando...

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

O Coração endurecido* – João 12: 36-43 - Manoel Coelho Jr.



Baixe o mp3 clicando aqui. 

Acesse o vídeo desta pregação clicando aqui.

I – INTRODUÇÃO:

Repetimos a leitura do último verso do estudo anterior porque ele nos apresenta a exortação de Cristo para que seus ouvintes aproveitem a Luz que recebiam dEle crendo em sua Revelação. A conexão é clara com os versos seguintes que nos mostram que nem eles creram e nem mesmo podiam crer devido ao estado de seus corações. Portanto levantam-se duas questões primordiais neste trecho que vamos estudar agora, e estas são as seguintes: A – Temos crido na Revelação recebida? B – O que nossa fé ou falta dela mostram do estado de nossos corações? Em outras palavras: Nosso coração está quebrantado ou endurecido?

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Estudo 29 - Batistas Reformados - Graça Irresistível e Chamada Eficaz - Parte IV* - Manoel Coelho Jr.



Baixe o Mp3 clicando aqui.

Acesse os vídeos anteriores clicando aqui. 

Acesse o texto base destes estudos clicando aqui. 

1 – Chamada externa:

E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado.” Mc 16: 15,16.

Cristo deu a Igreja a tarefa de proclamar o seu Evangelho a todos os homens conclamando-os ao arrependimento e a fé. Consequentemente à medida que o Evangelho é anunciado o próprio Deus está chamando os homens a crerem em seu Filho. Deus é sincero neste chamado, pois trata a cada homem e mulher como seres responsáveis. Assim Ele já o tem feito ao dar-lhes sua Revelação na Criação e na consciência (Rm 1,2). Agora Ele o faz de forma mais clara na Pregação do Evangelho.
Diante deste fato pensemos nas seguintes questões:

A - Se Deus leva a sério sua própria Palavra ordenando que seja espalhada a todos os homens não é loucura tratarmos seu Evangelho com desatenção e descaso?

B – O que temos feito com a pregação fiel que ouvimos e com a Bíblia que temos nas mãos? Temos tratado estas oportunidades de forma responsável, levando em conta que é a própria Palavra de Deus revelada a nós?  

C – Se Deus nos leva a sério tratando-nos como seres responsáveis, não é loucura tratarmos a nossa própria alma com descaso e leviandade?

O fato é que os homens olham para a Criação e não adoram o Criador, mas a criatura; tem a Lei de Deus na consciência, e a menosprezam; ouvem o Evangelho, e dão pouca ou nenhuma importância. Se este é o nosso caso, não estaremos agindo com responsabilidade e não teremos desculpas no Dia do Juízo, pois Deus nos dirá que fomos informados, que sabíamos, mas mesmo assim não o ouvimos. Por isso se diz: “Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis;” Rm 1:20 e “Ora, conhecendo eles a sentença de Deus, de que são passíveis de morte os que tais coisas praticam, não somente as fazem, mas também aprovam os que assim procedem.” Rm 1:32. 

2 – A chamada interna.

O que faz a diferença entre os que recebem a mensagem do Evangelho? Por que uns creem e outros não? Vemos a resposta neste texto:

No sábado, saímos da cidade para junto do rio, onde nos pareceu haver um lugar de oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que para ali tinham concorrido. Certa mulher, chamada Lídia, da cidade de Tiatira, vendedora de púrpura, temente a Deus, nos escutava; o Senhor lhe abriu o coração para atender às coisas que Paulo dizia. Depois de ser batizada, ela e toda a sua casa, nos rogou, dizendo: Se julgais que eu sou fiel ao Senhor, entrai em minha casa e aí ficai. E nos constrangeu a isso.” At 16: 13-15.

O que diferenciou Lídia das demais mulheres? É que no caso de Lídia “o Senhor lhe abriu o coração para atender às coisas que Paulo dizia”. Aqui aconteceu o que chamamos de “Chamada Interna”. Ocorre quando Deus por seu Espírito abre o entendimento dos homens para que compreendam e vejam a Verdade do Evangelho.

Por isso Cristo diz assim:

Em verdade, em verdade vos digo: o que não entra pela porta no aprisco das ovelhas, mas sobe por outra parte, esse é ladrão e salteador. Aquele, porém, que entra pela porta, esse é o pastor das ovelhas. Para este o porteiro abre, as ovelhas ouvem a sua voz, ele chama pelo nome as suas próprias ovelhas e as conduz para fora. Depois de fazer sair todas as que lhe pertencem, vai adiante delas, e elas o seguem, porque lhe reconhecem a voz; mas de modo nenhum seguirão o estranho; antes, fugirão dele, porque não conhecem a voz dos estranhos.” Jo 10:1-5.

As ovelhas sabem que Cristo é o seu Pastor, e também sabem quando se trata de um estranho. Isso nos fala da consciência da Verdade.

Ainda tenho outras ovelhas, não deste aprisco; a mim me convém conduzi-las; elas ouvirão a minha voz; então, haverá um rebanho e um pastor.” Jo 10:16.  

As que ouvem são Dele, de seu rebanho. São os eleitos.

Rodearam-no, pois, os judeus e o interpelaram: Até quando nos deixarás a mente em suspenso? Se tu és o Cristo, dize-o francamente. Respondeu-lhes Jesus: Já vo-lo disse, e não credes. As obras que eu faço em nome de meu Pai testificam a meu respeito. Mas vós não credes, porque não sois das minhas ovelhas. As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem. Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, e ninguém as arrebatará da minha mão. Aquilo que meu Pai me deu é maior do que tudo; e da mão do Pai ninguém pode arrebatar.” Jo 10:24-29.

Os que não são suas ovelhas não ouvem porque não creem que Ele é o Cristo, nem diante das maiores evidências. Mas as suas ovelhas ouvem, pois compreendem que Ele de fato é o Cristo enviado pelo Pai. E tudo isso ocorre porque o próprio Deus as chama internamente. Lembre o que Cristo disse a Pedro: “Bem-aventurado és, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelaram, mas meu Pai, que está nos céus.” Mt 16:17.

3 – Aplicações:

A – O Chamado externo mostra que somos responsáveis. Então que ajamos responsavelmente buscando ao Senhor. Que leiamos sua Palavra com toda atenção e meditação. Que ouçamos cada pregação anelando que o Senhor fale conosco, examinando as Escrituras todos os dias para ver se as coisas são de fato, assim (At 17: 11). Não haverá desculpa se negligenciarmos este nosso dever.

B – O Chamado interno mostra que só ouviremos se Deus operar em nós com sua Graça Irresistível. Então supliquemos que Ele nos conceda entendimento. Que clamemos: “Oh Senhor não permita que meu coração me engane. Sim, pois ele é enganoso e corrupto (Jr 17:9). Que tua graça me ilumine e que faças em mim o que fizeste em Lídia, Oh Senhor. Que abras o meu coração, abras meu entendimento. Senhor que a tua Palavra na pregação seja pão para mim, seja luz, seja água, seja vida, seja de fato para mim a tua Palavra. Oh Senhor fala ao meu coração. Que não seja apenas um Chamado externo, mas também o interno. Que a tua Graça opere em mim. Amém!”.


Amigo, saiba que Naquele Grande Dia você responderá pelo que tem ouvido. Saiba também que só Deus pode lhe salvar, somente Ele pode abrir seu entendimento e coração. Então vá a Ele e clame por sua Graça. E que o Senhor lhe seja gracioso. Amém! 

*Estudo da EBD de 24 de agosto de 2014, na Congregação Batista Reformada em Belém. 

sábado, 23 de agosto de 2014

A Glória de Cristo* – João 12: 20-36 - Manoel Coelho Jr.





I – INTRODUÇÃO:

Neste texto vemos a questão da manifestação da Glória de Cristo em sua morte. Evidentemente que isto contraria todo o conceito mundano de Glória. Quem ousaria dizer neste mundo materialista que a glória de alguém está em sua morte, e num tipo de morte semelhante a de Cristo? Mas tal compreensão só possuem os homens de fé, pois somente aqueles que creem é que percebem a real proporção das coisas. Apenas estes percebem que a glória de Deus é maior que a glória humana, exatamente por ser de Deus e também porque conduz a Vida Eterna. Já a humana é passageira e leva a morte. O assunto deste trecho está intimamente ligado ao texto anterior. Descobrimos isso quando pensamos que as pessoas esperavam um Reino político que os libertaria de Roma, mas Cristo era o Rei humilde montado em um jumentinho caminhando para Cruz. E quanto a nós, já temos compreendido a glória de Cristo? Nossa vida mostra isso? Afinal o que é glória para nós?

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Provando que Dons Carismáticos Cessaram* - Peter Masters.


Baixe o E-book “Cessacionismo – Provando que Dons Carismáticos Cessaram”, por Peter Masters (Link para baixar gratuitamente no final da descrição desta publicação)


Neste breve, porém esclarecedor artigo o Dr. Peter Masters (que é o sucessor atual de C. H. Spurgeon no pastorado do Tabernáculo Metropolitano de Londres), de forma bíblica e precisa mostra o caráter anti-Bíblico dos movimentos carismáticos ou pentecostais. Eis um esboço deste artigo:

1. Nenhum Dom Carismático Ocorreu Depois da Era dos Apóstolos

2. O Propósito Temporário das Línguas

3. As Línguas Eram Idiomas Reais

4. Sem Instruções Para Nomear Profetas

5. A Revelação Já Está Concluída

6. As Escrituras Testemunham o Fim dos Dons de Sinais e Revelações

O Dano do Ensino Pentecostal [Conclusão]

•••

Provavelmente no cenário atual brasileiro o pentecostalismo seja o pior inimigo da Reforma, e de uma volta radical aos padrões bíblicos para uma verdadeira adoração a Deus. Assim, está é a hora de todos aqueles que lutam por uma Reforma Bíblica nas Igrejas do Brasil levantem a sua voz e clamem contra os abusos, absurdos e heresias que acontecem no meio Pentecostal.

Deus nos ajude. Amém!

-----------------------
• Acesse nossa conta no Dropbox e baixe mais e-books semelhantes a este:

• Tradução: www.OEstandarteDeCristo.com



quarta-feira, 20 de agosto de 2014

O Rei da Paz* – João 12:12-19 - Manoel Coelho Jr.





I – INTRODUÇÃO:

O extraordinário milagre da ressurreição de Lázaro operado por Cristo continua repercutindo em Jerusalém e arredores. Após ter sido ungido por Maria em Betânia Cristo ruma em direção a Jerusalém. Esta nova chega ao povo que se preparava para a Páscoa e que já tinha ouvido a respeito do grande milagre de Nosso Senhor. Estas pessoas então vão receber a Cristo com grande alegria e o exaltam como Rei de Israel. De fato o propósito do texto é apresentar a Cristo como Rei. Porém não podemos esperar que todos naquela ocasião entendessem que espécie de Rei Ele era. Na verdade nem mesmo os seus discípulos compreendiam o significado de tudo aquilo. Observamos com estes acontecimentos a dificuldade humana de entender a Palavra de Deus, o que indica que necessitamos urgentemente da graça do Alto para termos compreensão das coisas espirituais. A grande questão é: Sabemos que tipo de Rei Cristo é? Ele realmente é o nosso Rei neste sentido?

terça-feira, 19 de agosto de 2014

E-book: Batismo Cristão* - John Gill, Spurgeon, John Piper.


Esta é provavelmente a publicação que mais nos trouxe alegria e consolação até o presente momento. Louvamos muito a Deus por tal graciosa dádiva e privilégio. 

O principal objetivo desta publicação é dar testemunho de nossa fé no que seja o puro ensino das Escritura Sagradas quanto ao verdadeiro e Bíblico Batismo Cristão. 

Bom, primeiro nos permita dizer que começamos a estudar mais profundamente sobre a Dou- trina Bíblica do Batismo Cristão, em meados de outubro de 2013. Desde então, temos estuda- do e orado muito sobre o assunto. Depois de um período de angústias intensas e dúvidas dolorosas, e de quase concordarmos com o erro da doutrina humana do Pedobatismo, cremos que pela Graça de Deus, fomos confirmados e alcançamos inteira certeza de fé de que o único (Efésios 4:5) Batismo ensinado pela Escritura é o Batismo de João, o Batismo do Céu (Lucas 20:4). 



Este Batismo de João, o qual cremos ser o puro ensinamento das Escrituras Sagradas é uma ordenança (e não um sacramento) do Novo Testamento, instituído por Jesus Cristo, sendo para a pessoa batizada um sinal de sua comunhão com Ele, em Sua morte e ressurreição; de sua união com Ele; da remissão dos pecados, e da sua consagração a Deus, através de Jesus Cristo, para viver e andar em novidade de vida (Romanos 6:3-5; Colossenses 2:12; Gálatas 3:27; Marcos 1:4; Atos 22:16). 


O elemento exterior a ser usado nesta ordenança é a água, na qual a pessoa deve ser batizada em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. Imergir ou mergulhar a pessoa em água, é necessário para a apropriada administração desta ordenança. Na verdade, a própria imersão é o batismo (Mateus 3:16; 28:19-20; Atos 8:38; João 3:23). 

Somente aqueles que realmente professam o arrependimento para com Deus, fé, e obediência ao nosso Senhor Jesus Cristo, são os únicos sujeitos apropriados desta ordenança (Mar- cos 16:16; Atos 8:36-37, 2:41, 8:12, 18:8). 

Assim cremos. 

Outro objetivo desta publicação é compartilhar com outros as preciosas verdades que foram usadas por Deus para nos fazer chegar à plena certeza de fé e a alegria exultante na Sua Verdade, “porque não podemos deixar de falar do que temos visto e ouvido” (Atos 4:20). 

Nossa experiência nos mostrou que não é fácil encontrar textos tão bons sobre o batismo em língua Portuguesa e de forma gratuita via internet, assim grande parte de nossos estudos constituíram-se de traduções; traduções estas que foram tão providenciais e nos ajudaram tanto que passamos a anelar muito por uma futura publicação, que somente pela Graça de Deus, agora se realiza! 

Todos os textos que compõem este volume são bons, se este não fosse o caso sequer cogitaríamos a possibilidade de publicá-los. São os melhores textos que já lemos sobre o Batismo Cristão. O mais bíblico e mais completo que já lemos foi Sobre o Batismo, por John Gill. Citamos este simplesmente porque ele nos marcou de forma especial, mas quem ler os outros textos verá que não é tão fácil citar algum como o “melhor”. 

Coma da gordura, 
E beba da doçura! 

Concluindo, o nosso objetivo é testemunhar da nossa fé no Batismo de Crentes como o único ordenado por Deus. E também ajudar outras pessoas que queiram aprender sobre este assunto à luz das Escrituras Sagradas; portanto, lembre-se, acima de tudo, que você não deve aceitar como autoridade final e inquestionável nem o testemunho de homens e nem o testemunho da Tradição, não importando quais sejam, pois somente as Escrituras Sagradas, Antigo e Novo Testamento de nosso Senhor Jesus Cristo, são a nossa regra e autoridade final, inerrante e inquestionável. As Escrituras, toda a Escritura e nada mais do que as Escrituras merecem nossa total confiança e submissão, como sendo a voz do próprio Deus, quanto aos assuntos de fé e prática dos Cristãos, ou seja, nós e você. 

Nem nós lhes pedimos que acredite ou aceite o que aqui será exposto, a menos que você examine nas Escrituras e veja se as coisas são assim ou não. 

O nosso mais ardente desejo é que você creia naquilo que a Escritura ensina e não no que qualquer pessoa diz, isto vale para nós mesmos e para qualquer outra pessoa. 

Deus seja glorificado! 

William Teixeira e Camila Almeida 
EC, 15 de agosto de 2014. 

•••

Esta edição é composta pelos seguintes textos: 

• Apresentação e testemunho dos editores
• Artigo-prefácio – Batismo de Crentes por Imersão, Um Distintivo Neotestamentário e Batista - W. R. Downing

JOHN GILL 

• Sobre o Batismo
• Batismo, Um Mandamento Divino a Ser Observado

JOHN PIPER 

Série de Estudos Sobre o Batismo 
• Parte 1: Eu Vos Batizo Com Água
• Parte 2: Sepultados Com Ele No Batismo, nEle Também Ressuscitastes Pela Fé
• Parte 3: O Que é o Batismo, e Ele Salva?
• Parte 4: O Que o Batismo Simboliza? 

• Irmãos, Magnifiquem o Significado do Batismo
• Como a Circuncisão e Batismo Correspondem?
• Fortalecidos para Sofrer. Cristo, Noé e Batismo
• O que é o Batismo, e Quão Importante Ele é?


C. H. SPURGEON 

• Quem Deve Ser Batizado? (Sermão Nº 2737)
• Batismo, Essencial Para a Obediência (Sermão Nº 2339)
• Batismo (Artigo)
• A Necessidade de Reformar a Prática Anti-Bíblica do Batismo de Bebês (Excerto do Sermão Nº 283, Reforma)
• Eu Considero o Batismo de Crianças Como Sendo Uma Mentira e Uma Heresia! (Excerto do Sermão Nº 172, Examinai as Escrituras)


APÊNDICES 

• Do Pedobatismo ao Credobatismo – Entrevista com Gary Grampton
• “O Melhor Sermão Sobre o Batismo que Eu Já Ouvi” – William Carey [Editado por Evan Burns]
• O Batismo Infantil e o Princípio Regulador do Culto – por Fred Malone
• A Revisão Revisada – por David Kingdon (Artigo em resposta a uma crítica (“revisão”) feita ao seu Clássico Os Filhos de Abraão)
• Ide, Fazei Discípulos, Batizando-os – por John Piper
• Sobre os Batistas e o Batismo Cristão – por J. H. Grime (Excerto de “Sangue antes da água, Cristo antes da Igreja”)
• Uma Celebração de Batismo – por John Piper
• O Batismo Infantil e a Comunidade da Nova Aliança – por John Piper
• Considerações Sobre o Batismo – por John Piper
• Quão Antigo é o Batismo Infantil? – por John Piper
• O Batismo de Casas, Batismo de Arrependimento – por William Teixeira 

-----------------------
• Faça o download deste E-book: http://oestandartedecristo.com/?p=2394


• Acesse nossa conta no Dropbox e baixe mais e-books semelhantes a este: 


• Tradução: www.OEstandarteDeCristo.com

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Estudo 28 - Batistas Reformados – Graça Irresistível – Parte III* – Manoel Coelho Jr.

Neste estudo tratamos dos seguintes assuntos sobre o tema da Graça Irresistível e Chamado Eficaz:

1 – Relembramos os padrões bíblicos já estudados chegando as seguintes conclusões:

A – Existe a clara Revelação de Deus aos homens na criação, na consciência e nas Escrituras. Ninguém pode dizer que nunca recebeu algum conhecimento de quem seja Deus.

B – Todos os homens sem exceção, e no que depende deles, irão deliberadamente rejeitar a Revelação que Deus lhes concede, pois amam o pecado.

C – Como rejeitam a Revelação passam assim a desconhecer ao Deus Verdadeiro. Caem então na ignorância e trevas espirituais criando para si deuses falsos.

D – Pelos fatos anteriores concluímos que ninguém conhece a Deus por sua própria vontade. Só virão a conhecê-lo aqueles aos quais Ele quiser revelar-se.

2 – Diante de tudo isso chegamos à conclusão de que graça é o favor imerecido de Deus àqueles que merecem apenas a sua Justa Ira. Por esta graça Ele escolhe os que serão salvos, envia seu Filho para por eles morrer, e em tempo oportuno os atrai irresistivelmente ao Evangelho em fé e arrependimento. A Graça é irresistível não no sentido de que os eleitos são forçados a vir, mas no sentido de que Deus operará infalivelmente neles para que venham de forma voluntária.



Baixe o Mp3 clicando aqui.

Acesse os vídeos anteriores clicando aqui. 

Acesse o texto base destes estudos clicando aqui. 

*Estudo da EBD de 17 de agosto de 2014, na Congregação Batista Reformada em Belém.