Pesquisar este blog

Carregando...

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Reflexões sobre o sofrimento - Parte III* - Manoel Coelho Jr.

Neste estudo procura-se mostrar que Deus usa os sofrimentos desta vida para o benefício de seu povo eleito.

Quais são estes benefícios?

1 – No sofrimento experimentamos a Palavra como vivificadora.

O que me consola na minha angústia é isto: que a tua palavra me vivifica

Salmo 119:50.

2 – No sofrimento somos corrigidos e levados a Palavra de Deus.

Antes de ser afligido, andava errado, mas agora guardo a tua palavra... Foi-me bom ter eu passado pela aflição, para que aprendesse os teus decretos.
Salmo 119: 67, 71.

3 – No sofrimento somos levados à perseverança, experiência, e esperança que não decepciona.

E não somente isto, mas também nos gloriamos nas próprias tribulações, sabendo que a tribulação produz perseverança; e a perseverança, experiência; e a experiência, esperança. Ora, a esperança não confunde, porque o amor de Deus é derramado em nosso coração pelo Espírito Santo, que nos foi outorgado.

Romanos 5:3-5.

4 – Nosso sofrimento acaba por promover a Glória de Deus e consequentemente a nossa maior felicidade, pois nosso supremo desejo, como amantes de Deus, é honrá-lo, e isto seja na vida, ou seja na morte.

Em verdade, em verdade te digo que, quando eras mais moço, tu te cingias a ti mesmo e andavas por onde querias; quando, porém, fores velho, estenderás as mãos, e outro te cingirá e te levará para onde não queres. Disse isto para significar com que gênero de morte Pedro havia de glorificar a Deus. Depois de assim falar, acrescentou-lhe: Segue-me.

Jo 21: 18, 19.

Como reagir então?

Resposta:

Não desanimando, mas confiando na sabedoria do Deus Soberano, visto que, por maior que seja o sofrimento presente, nada é diante da glória futura com Deus em Cristo, e o próprio sofrimento o Senhor está usando para nos conduzir a esta glória. Louvado seja o Senhor!!!

Porque para mim tenho por certo que os sofrimentos do tempo presente não podem ser comparados com a glória a ser revelada em nós. A ardente expectativa da criação aguarda a revelação dos filhos de Deus. Pois a criação está sujeita à vaidade, não voluntariamente, mas por causa daquele que a sujeitou, na esperança de que a própria criação será redimida do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus.

Romanos 8: 18-21.

Por isso, não desanimamos; pelo contrário, mesmo que o nosso homem exterior se corrompa, contudo, o nosso homem interior se renova de dia em dia. Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação, não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas. Sabemos que, se a nossa casa terrestre deste tabernáculo se desfizer, temos da parte de Deus um edifício, casa não feita por mãos, eterna, nos céus. E, por isso, neste tabernáculo, gememos, aspirando por sermos revestidos da nossa habitação celestial; se, todavia, formos encontrados vestidos e não nus. Pois, na verdade, os que estamos neste tabernáculo gememos angustiados, não por querermos ser despidos, mas revestidos, para que o mortal seja absorvido pela vida. Ora, foi o próprio Deus quem nos preparou para isto, outorgando-nos o penhor do Espírito. Temos, portanto, sempre bom ânimo, sabendo que, enquanto no corpo, estamos ausentes do Senhor; visto que andamos por fé e não pelo que vemos. Entretanto, estamos em plena confiança, preferindo deixar o corpo e habitar com o Senhor.

II Co 4: 16-5: 8.



 *Pregação da noite de 14 de Dezembro de 2014, na Congregação Batista Reformada em Belém.

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Reflexões sobre o Sofrimento – Parte II* – Manoel Coelho Jr.

Pontos deste estudo:

1 – Deus é soberano absoluto.

“Nos céus, estabeleceu o SENHOR o seu trono, e o seu reino domina sobre tudo. Bendizei ao SENHOR, todos os seus anjos, valorosos em poder, que executais as suas ordens e lhe obedeceis à palavra. Bendizei ao SENHOR, todos os seus exércitos, vós, ministros seus, que fazeis a sua vontade. Bendizei ao SENHOR, vós, todas as suas obras, em todos os lugares do seu domínio. Bendize, ó minha alma, ao SENHOR.”

Sl 103: 19-22.

2 – Deus é soberano sobre o sofrimento.

“Eu sou o SENHOR, e não há outro; além de mim não há Deus; eu te cingirei, ainda que não me conheces. Para que se saiba, até ao nascente do sol e até ao poente, que além de mim não há outro; eu sou o SENHOR, e não há outro. Eu formo a luz e crio as trevas; faço a paz e crio o mal; eu, o SENHOR, faço todas estas coisas. Destilai, ó céus, dessas alturas, e as nuvens chovam justiça; abra-se a terra e produza a salvação, e juntamente com ela brote a justiça; eu, o SENHOR, as criei. Ai daquele que contende com o seu Criador! E não passa de um caco de barro entre outros cacos. Acaso, dirá o barro ao que lhe dá forma: Que fazes? Ou: A tua obra não tem alça. Ai daquele que diz ao pai: Por que geras? E à mulher: Por que dás à luz? Assim diz o SENHOR, o Santo de Israel, aquele que o formou: Quereis, acaso, saber as coisas futuras? Quereis dar ordens acerca de meus filhos e acerca das obras de minhas mãos? Eu fiz a terra e criei nela o homem; as minhas mãos estenderam os céus, e a todos os seus exércitos dei as minhas ordens.”

Is 45: 5-12.

“Fez vir fome sobre a terra e cortou os meios de se obter pão. Adiante deles enviou um homem, José, vendido como escravo; cujos pés apertaram com grilhões e a quem puseram em ferros, até cumprir-se a profecia a respeito dele, e tê-lo provado a palavra do SENHOR.”

Sl 105: 16-19.

3 – A certeza da Soberania Divina gera a Paz dos que sofrem.

“Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar. E, quando eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que, onde eu estou, estejais vós também.”

Jo 14: 1-3.

4 – Deus pelo sofrimento manifesta a sua Glória.

“Assim diz o SENHOR: Nisto saberás que eu sou o SENHOR: com este bordão que tenho na mão ferirei as águas do rio, e se tornarão em sangue. Os peixes que estão no rio morrerão, o rio cheirará mal, e os egípcios terão nojo de beber água do rio. Disse mais o SENHOR a Moisés: Dize a Arão: toma o teu bordão e estende a mão sobre as águas do Egito, sobre os seus rios, sobre os seus canais, sobre as suas lagoas e sobre todos os seus reservatórios, para que se tornem em sangue; haja sangue em toda a terra do Egito, tanto nos vasos de madeira como nos de pedra.”.

Ex 7: 17-19.

5 – Deus pelo sofrimento opera o bem de seu Povo Eleito.

“Varões israelitas, atendei a estas palavras: Jesus, o Nazareno, varão aprovado por Deus diante de vós com milagres, prodígios e sinais, os quais o próprio Deus realizou por intermédio dele entre vós, como vós mesmos sabeis; sendo este entregue pelo determinado desígnio e presciência de Deus, vós o matastes, crucificando-o por mãos de iníquos;... A este Jesus Deus ressuscitou, do que todos nós somos testemunhas. Exaltado, pois, à destra de Deus, tendo recebido do Pai a promessa do Espírito Santo, derramou isto que vedes e ouvis.”

At 2: 22, 33.

6 - Deus pelo sofrimento manifesta o Juízo para ímpios.

“Disse o SENHOR a Moisés: Estende a mão sobre o mar, para que as águas se voltem sobre os egípcios, sobre os seus carros e sobre os seus cavalarianos. Então, Moisés estendeu a mão sobre o mar, e o mar, ao romper da manhã, retomou a sua força; os egípcios, ao fugirem, foram de encontro a ele, e o SENHOR derribou os egípcios no meio do mar. E, voltando as águas, cobriram os carros e os cavalarianos de todo o exército de Faraó, que os haviam seguido no mar; nem ainda um deles ficou. Mas os filhos de Israel caminhavam a pé enxuto pelo meio do mar; e as águas lhes eram quais muros, à sua direita e à sua esquerda. Assim, o SENHOR livrou Israel, naquele dia, da mão dos egípcios; e Israel viu os egípcios mortos na praia do mar. E viu Israel o grande poder que o SENHOR exercitara contra os egípcios; e o povo temeu ao SENHOR e confiou no SENHOR e em Moisés, seu servo.”

Ex 14: 26-31.

7 – Conclusão:

A soberania absoluta de Deus deve levar-lhe a entender que caso esteja em Cristo você está totalmente consolado e seguro. Porém não há nenhuma esperança fora de Jesus Cristo, mas “pelo contrário, certa expectação horrível de juízo e fogo vingador prestes a consumir os adversários” Hb 10: 27.

Lembre enfim: 

O que habita no esconderijo do Altíssimo e descansa à sombra do Onipotente diz ao SENHOR: Meu refúgio e meu baluarte, Deus meu, em quem confio. Pois ele te livrará do laço do passarinheiro e da peste perniciosa. Cobrir-te-á com as suas penas, e, sob suas asas, estarás seguro; a sua verdade é pavês e escudo. Não te assustarás do terror noturno, nem da seta que voa de dia, nem da peste que se propaga nas trevas, nem da mortandade que assola ao meio-dia. Caiam mil ao teu lado, e dez mil, à tua direita; tu não serás atingido. Somente com os teus olhos contemplarás e verás o castigo dos ímpios. Pois disseste: O SENHOR é o meu refúgio. Fizeste do Altíssimo a tua morada. Nenhum mal te sucederá, praga nenhuma chegará à tua tenda. Porque aos seus anjos dará ordens a teu respeito, para que te guardem em todos os teus caminhos. Eles te sustentarão nas suas mãos, para não tropeçares nalguma pedra. Pisarás o leão e a áspide, calcarás aos pés o leãozinho e a serpente. Porque a mim se apegou com amor, eu o livrarei; pô-lo-ei a salvo, porque conhece o meu nome. Ele me invocará, e eu lhe responderei; na sua angústia eu estarei com ele, livrá-lo-ei e o glorificarei. Saciá-lo-ei com longevidade e lhe mostrarei a minha salvação.

 Salmo 91.




*Pregação da noite de 30 de Novembro de 2014, na Congregação Batista Reformada em Belém.

domingo, 30 de novembro de 2014

Estudo 37 - Batistas Reformados - Graça irresistível - Parte XII* – Manoel Coelho Jr.

A doutrina da Graça irresistível nos mostra a seriedade da mensagem do Evangelho, pois diz respeito a Deus, ao Pecado, a Cristo, ao Espírito, a eternidade dos homens, ao Juízo Final, e ao Reino Vindouro de Cristo com seu povo eleito. A consequência disso é que o modo de se anunciar esta mensagem precisa necessariamente ser grave, solene, pois o conteúdo da mensagem determina o modo de seu anuncio. Se a mensagem é séria não se pode anunciá-la de forma casual e leviana, mas sim de forma correspondente, isto é, de forma séria, grave e solene.   

Textos principais deste estudo: 

 “Varões israelitas, atendei a estas palavras: Jesus, o Nazareno, varão aprovado por Deus diante de vós com milagres, prodígios e sinais, os quais o próprio Deus realizou por intermédio dele entre vós, como vós mesmos sabeis;sendo este entregue pelo determinado desígnio e presciência de Deus, vós o matastes, crucificando-o por mãos de iníquos; ao qual, porém, Deus ressuscitou, rompendo os grilhões da morte; porquanto não era possível fosse ele retido por ela.

At 2:22-24.

Ouvindo eles estas coisas, compungiu-se-lhes o coração e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, irmãos? Respondeu-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo. Pois para vós outros é a promessa, para vossos filhos e para todos os que ainda estão longe, isto é, para quantos o Senhor, nosso Deus, chamar. Com muitas outras palavras deu testemunho e exortava-os, dizendo: Salvai-vos desta geração perversa.

At 2: 37-40.

Entretanto, certo homem, chamado Ananias, com sua mulher Safira, vendeu uma propriedade, mas, em acordo com sua mulher, reteve parte do preço e, levando o restante, depositou-o aos pés dos apóstolos. Então, disse Pedro: Ananias, por que encheu Satanás teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo, reservando parte do valor do campo? Conservando-o, porventura, não seria teu? E, vendido, não estaria em teu poder? Como, pois, assentaste no coração este desígnio? Não mentiste aos homens, mas a Deus. Ouvindo estas palavras, Ananias caiu e expirou, sobrevindo grande temor a todos os ouvintes. Levantando-se os moços, cobriram-lhe o corpo e, levando-o, o sepultaram. Quase três horas depois, entrou a mulher de Ananias, não sabendo o que ocorrera. Então, Pedro, dirigindo-se a ela, perguntou-lhe: Dize-me, vendestes por tanto aquela terra? Ela respondeu: Sim, por tanto. Tornou-lhe Pedro: Por que entrastes em acordo para tentar o Espírito do Senhor? Eis aí à porta os pés dos que sepultaram o teu marido, e eles também te levarão. No mesmo instante, caiu ela aos pés de Pedro e expirou. Entrando os moços, acharam-na morta e, levando-a, sepultaram-na junto do marido.

At 5: 1-10.  

Então, Félix, conhecendo mais acuradamente as coisas com respeito ao Caminho, adiou a causa, dizendo: Quando descer o comandante Lísias, tomarei inteiro conhecimento do vosso caso. E mandou ao centurião que conservasse a Paulo detido, tratando-o com indulgência e não impedindo que os seus próprios o servissem. Passados alguns dias, vindo Félix com Drusila, sua mulher, que era judia, mandou chamar Paulo e passou a ouvi-lo a respeito da fé em Cristo Jesus. Dissertando ele acerca da justiça, do domínio próprio e do Juízo vindouro, ficou Félix amedrontado e disse: Por agora, podes retirar-te, e, quando eu tiver vagar, chamar-te-ei;”.

At 24:22-25. 


*Estudo da EBD de 30 de Novembro de 2014, na Congregação Batista Reformada em Belém.

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Reflexões sobre o Sofrimento – Parte I* – Manoel Coelho Jr.

Queridos amigos, ao longo de meu ministério pastoral tenho procurado auxiliar e consolar os sofridos com as Verdades do Santo Evangelho de Cristo. Mas nos últimos dias, com a doença e internação de minha mãe, eu mesmo tenho necessitado deste consolo e esperança, que somente estão nas Sagradas Escrituras. Minhas reflexões baseadas na Bíblia sobre este assunto, necessárias para ajudar a outros, se tornaram mais frequentes agora que eu mesmo estou sofrendo, e tais reflexões me têm transmitido profundo consolo e esperança no Senhor. Resolvi então pregar sobre o assunto em minha Congregação Batista Reformada em Belém, onde sirvo a Cristo como pastor, para transmitir as Verdades do Evangelho a todos. Neste mundo todos sofremos ou sofreremos, mas há plena consolação em Cristo. Gostaria de transmitir este consolo a todos os amigos nesta breve série de mensagens. Neste primeiro estudo dou uma visão geral sobre o tema mostrando o sofrimento em relação ao período antes da Queda, após a Queda, em relação ao homem e mulher redimidos, e finalmente em relação ao Reino Vindouro de Cristo. Se entendermos estas relações teremos condições de reagirmos ante ao sofrimento de forma consolada e produtiva para a Glória de Deus. Assim, incentivo a todos a assistirem esta primeira pregação, e a acompanharem as que ainda virão pela graça de Nosso Deus. Ao Senhor a Glória!!!

*Pregação da noite de 23 de Novembro de 2014, na Congregação Batista Reformada em Belém.

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

E quando tudo faltar? – Manoel Coelho Jr.

Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas sejam arrebatadas do aprisco, e nos currais não haja gado, todavia, eu me alegro no SENHOR, exulto no Deus da minha salvação. O SENHOR Deus é a minha fortaleza, e faz os meus pés como os da corça, e me faz andar altaneiramente. ” Hc 3:17-19. 

Amigos queridos, assistam e reflitam ...Apenas sete minutos de vídeo...

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Estudo 36 - Batistas Reformados - Graça irresistível - Parte XI* – Manoel Coelho Jr.

A doutrina da Graça irresistível é uma poderosa fonte de esperança na evangelização. Muitas vezes nos sentimos desanimados devido ao ódio dos homens a mensagem do genuíno Evangelho. Este ódio provém da natureza pecaminosa deles que aborrece a Verdade e ama a mentira, fazendo com que considerem o Evangelho de Deus uma loucura e suas tolas ideias como expressões máximas de sensatez. Mas Deus é Soberano, está com seus servos e possui seus eleitos que estão por todas as partes do mundo. Este fato vence todo o desânimo dos que evangelizam, enchendo-os de esperança e santa determinação em prosseguir, pois não dependem de homens, mas apenas de Deus. Tal esperança leva-os a Fidelidade, pois não há necessidade de modificar a mensagem para agradar homens, já que o que importa é Deus e seu plano soberano.  Por outro lado, a Fidelidade os induz a Esperança, visto que creem que somente a Verdade atrai as genuínas ovelhas de Cristo, o que eles aguardam com grande expectativa para a Glória do Senhor que salva o seu povo. 

Textos principais deste estudo: 

 “Certamente, a palavra da cruz é loucura para os que se perdem, mas para nós, que somos salvos, poder de Deus. Pois está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios e aniquilarei a inteligência dos instruídos. Onde está o sábio? Onde, o escriba? Onde, o inquiridor deste século? Porventura, não tornou Deus louca a sabedoria do mundo?  Visto como, na sabedoria de Deus, o mundo não o conheceu por sua própria sabedoria, aprouve a Deus salvar os que crêem pela loucura da pregação. Porque tanto os judeus pedem sinais, como os gregos buscam sabedoria; mas nós pregamos a Cristo crucificado, escândalo para os judeus, loucura para os gentios; mas para os que foram chamados, tanto judeus como gregos, pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus.”.

I Co 1: 18-23.  

Quando Silas e Timóteo desceram da Macedônia, Paulo se entregou totalmente à palavra, testemunhando aos judeus que o Cristo é Jesus. Opondo-se eles e blasfemando, sacudiu Paulo as vestes e disse-lhes: Sobre a vossa cabeça, o vosso sangue! Eu dele estou limpo e, desde agora, vou para os gentios. Saindo dali, entrou na casa de um homem chamado Tício Justo, que era temente a Deus; a casa era contígua à sinagoga. Mas Crispo, o principal da sinagoga, creu no Senhor, com toda a sua casa; também muitos dos coríntios, ouvindo, criam e eram batizados. Teve Paulo durante a noite uma visão em que o Senhor lhe disse: Não temas; pelo contrário, fala e não te cales; porquanto eu estou contigo, e ninguém ousará fazer-te mal, pois tenho muito povo nesta cidade. E ali permaneceu um ano e seis meses, ensinando entre eles a palavra de Deus.”.

At 18: 5-11.    



Baixe o mp3 clicando aqui.

*Estudo da EBD de 23 de Novembro de 2014, na Congregação Batista Reformada em Belém.