Estudo 30 - Batistas Reformados - Graça irresistível - Parte V* - Manoel Coelho Jr.



Baixe o mp3 clicando aqui.

Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie. Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas.” Ef 2:8-10.

Neste estudo continuamos a falar do tema chegando as seguintes conclusões:

1 – A Regeneração é um infundir de vida no coração, uma ressurreição espiritual, um novo nascimento, é uma obra exclusiva de Deus em que ossos secos são transformados em um exército, o coração de pedra é trocado por um de carne, fazendo com que os objetos de tal obra manifestem esta vida em apego a sua Santa Palavra.

Textos para leitura e reflexão: Ez 36: 24-29. Ez 37: 1-14; Jo 3: 1-15.

2 – A Regeneração e chamada eficaz estão unidas no coração do eleito, mas a Regeneração é uma obra que não é algo conciente, ao contrário da chamada eficaz que “opera no nível da consciência, no entendimento humano, convencendo, iluminando e persuadindo” (Paulo Anglada).

3 – Toda esta obra é monergística, isto é, é apenas obra de Deus. Quanto a ela não há cooperação ou resistência do homem, de forma a que se tenha alguma participação humana. Não..., pois como um morto poderá fazer algo? Ou como um coração duro pode atender o evangelho? Assim apenas Deus é que regenera e chama sem precisar em nada do homem, daí ser um chamado eficaz. Por isso Paulo afirma que Deus “nos salvou e nos chamou com santa vocação; não segundo as nossas obras, mas conforme a sua própria determinação e graça que nos foi dada em Cristo Jesus, antes dos tempos eternos,” II Tm 1:9.  

Aplicações:

1 – Não há nenhuma esperança no homem. Somos ossos secos por natureza e duros de coração. Não há como mudarmos isso por nossas capacidades. Portanto, não conte com nada em você mesmo. A religião fadada ao insucesso e derrota é a religião dos ímpios que confia em si própria, na força humana.

2 – Saiba que se você não nasceu de novo todos o seus exercícios religiosos são abominações diante de Deus. Tudo isso não passa de trapos imundos diante de Deus, pois se origina de um coração impuro e idólatra. Como é possível nos acharmos que o Santo Deus aceitará ama religião imunda? Como podemos achar que chegaremos ante Aquele que é a pureza absoluta ainda sendo cadáveres espirituais, defuntos de quatro dias, como o morto Lázaro?

3 – É possível ser como Nicodemos de João 3, isto é, ter muita religião e um bom discurso, e  ainda não ter nascido de novo. Neste caso não se verá o Reino de Deus.


4 – Se Deus diz que dará vida aos mortos, e que dará um coração da carne aos duros, então que olhemos para Ele e clamando: Senhor não deixa eu me enganar. Não deixa eu ser iludido pelo meu coração, mas pela tua grande graça e misericórdia me dê uma nova vida. Faz-me um crente verdadeiro e sincero que te ame e que te sirva, que viva apenas para ti e para tua glória em Cristo. Amém!  

*Estudo da EBD de 31 de agosto de 2014, na Congregação Batista Reformada em Belém.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição de João 10:1-18 - Jesus é o Bom Pastor (Texto e áudio) - Manoel Coelho Jr.

Meditações em Gênesis 22: A prova suprema da Fé de Abraão* - Manoel Coelho Jr.

Estudo em Gênesis 3 (Primeira parte)