Exposição de Gênesis 6: A Ira e a Graça de Deus.

I – INTRODUÇÃO:

Existem aspectos no Evangelho de Cristo que são extremamente duros, e ao mesmo tempo consoladores. Quando pensamos na seriedade do pecado diante de Deus, somos levados a conscientização de nossa culpa e de que em breve teremos que prestar contas ao Divino e Santo Juiz. No entanto somos lembrados que o mesmo Juiz é o Deus Gracioso que tem chamado um povo para si, e sobre este povo Ele derrama a sua Graça e Salvação. O capítulo 6 de Gênesis é muito instrutivo quanto a isso. Nele percebemos tanto a Ira de Deus quanto sua Graça. Quero refletir com você sobre esse assunto pedindo que Deus, em sua livre e soberana vontade justa, derrame sobre nós a sua graça e não sua ira.

II – A IRA DE DEUS (Gn 6:1-7):

Neste capítulo temos o crescimento do pecado . Vemos que os filhos de Deus se unem as filhas do homens. Devemos entender “filhos de Deus” como os descendentes de Sete, a família piedosa, e “filhas dos homens” como as descendentes de Caim, a família ímpia. Não creio que “filhos de Deus” se referem a “anjos” como alguns sugerem, por entender que o contexto aponta para uma mistura de famílias e não uma união entre anjos e mulheres. Assim o que temos aqui é uma mistura entre uma família piedosa com uma ímpia. Tal união mista entre os que se dizem servos de Deus com os ímpios é expressamente proibida na Bíblia Encontramos isso no Antigo Testamento e também no Novo. (Veja: I Co 7:39). Ora, tal orientação bíblica visa prevenir a ocasião de pecado que tal união pode acarretar.
Observamos a conseqüência desta união exatamente em nosso texto. Vejamos: Até aqui havia uma família piedosa e outra ímpia. Mas a partir desta união a impiedade se tornou geral. Deus , que vê tudo, viu a maldade se multiplicar e a constante pecaminosidade do coração dos homens (Verso 5). Homens valentes, ou seja, violentos, passaram a fazer fama, antes, mas também depois daquela união entre as famílias. A violência foi exaltada, e os violentos se tornaram famosos! Ora, onde não existe amor a Deus o ódio entre os homens se propaga. O mundo valoriza o que Deus abomina. Tudo isso faz parte da loucura e crescimento do pecado. Devo dizer que infelizmente o mesmo está acontecendo em nossa sociedade. O aumento da violência é conseqüência do afastamento de Deus que nosso país e o mundo vivem. Observamos as pessoas tratarem os mandamentos como algo sem valor. Isso mostra que estas pessoas não amam a Deus. Daí estas mesmas pessoas acham que está tudo bem, que enfim não haverá consequencia alguma. Então quando a violência cresce, elas afirmam que a origem do problema está na falta de Escolas, na falta de dinheiro, e em outras coisas. Mas estas coisas não são a raíz do problema. A Bíblia deixa claro que a raíz está no desprezo a Deus e a seus mandamentos. Quem não ama a Deus, não ama o próximo, e o resultado é o aumento da violência e a sua exaltação. Não vemos os jovens valorizarem cada vez mais a violencia? Não vemos o mesmo nos filmes, novelas e seriados da TV, e na Internet?
Tudo isso acarreta a reação de Deus que aqui é expressado em termos de arrependimento e pesar (verso 6). Não pensemos que aqui se diz que Deus se arrepende de algum pecado, pois Deus não peca jamais. O sentido aqui, como o contexto deixa claro, é da reação do Deus Santo ao pecado humano. Esta é a ira de Deus que é derramada sobre os ímpios. Observamos que a vida dos homens é abreviada. Viveriam a partir de então cento e vinte anos. Isso é manifestação de sua Ira. Mas a maior manifestação dela neste texto é o dilúvio. Deus destruiria os ímpios.
Neste ponto devemos fazer algumas observações:
A – O pecado é progressivo: Ele não fica estagnado, mas cresce mais e mais:
Agora, pecam mais e mais, e da sua prata fazem imagens de fundição, ídolos segundo o seu conceito, todos obra de artífices, e dizem: Sacrificai a eles. Homens até beijam bezerros!” (Os 13:2). O crescimento da corrupção e da violência em nosso país é prova disso!
B – O pecado traz a ira de Deus: Deus não é amigo do ímpio mas está contra ele e o destruirá. Em tempos como os nossos em que Deus é apresentado como "amor", e disposto a abençoar a todos, é preciso enfatizar essa verdade. Lembremos do que diz o apóstolo Paulo: "A ira de Deus se revela do Céu contra toda impiedade e perversão dos homens que detêm a verdade pela injustiça" (Rm 1:18). Ouço muitas vezes na mídia e em outros lugares que é absurdo, ou injusto, Deus derramar sua ira em forma de juízos como o foi no dilúvio. No entanto esse pensamento é fruto de mente cegadas pelo pecado e não pela Bíblia, a Palavra de Deus. A Bíblia mostra, ao contrário, que injusto seria se Deus nunca derramasse sua Ira sobre o pecado. Não nos deixemos lavar por tais idéias enganosas. Saiba com toda a certeza: Em breve Deus, de forma absolutamente justa, porque Ele é Justo, derramará sua Ira sobre os ímpios, e já agora Ele o faz de muitas maneiras! Não esqueça: Deus é contra o ímpio e não a favor, ainda que, por misericórdia, derrame muitas bençãos a todos como: o Sol, o Ar, e o Alimento!

III – A GRAÇA DE DEUS (Gn 6:8-22):

Se tudo acabasse aqui não haveria esperança. Mas Deus derramou sua graça sobre Noé e com ele fez aliança (versos 8 e 18)). Foi por está graça que em meio a impiedade geral Noé se manteve fiel ao Senhor. Meus amigos, Deus sempre tem os seus. A estes Ele conserva. Aqui está a graça do Evangelho, e se não fosse esta graça todos pereceriam sem exceção. Em Deus está nossa Salvação! Vejamos então o resultado da graça em Noé e reflitamos se estas evidencias de graça se manifestam em nós:
A – Ele andou com Deus: Isso significa, como vimos em estudo anterior no caso de Enoque: Deus era seu Deus, ele obedecia a Deus, ele amava a Deus, e ele conhecia a Deus.
B – Pela fé Noé obedeceu a Deus em tudo, e assim construiu a Arca (Hb 11:7). Quem crê obedece!
C - Possivelmente isso causou admiração e deboche dos ímpios, mas Noé não se importava pois temia e cria em Deus. Não se deixou influenciar pelos ímpios. Quem é de Deus não segue a maioria para o mal!
C – Salvou sua família. A graça o habilitou a abençoar aos seus. Ora, quem é de Deus luta pelos seus, influenciando-os para o bem e não para o pecado e suas conseqüências!
Prezado amigo, reflita diante destas questões e veja se estas evidencias estão em sua vida. Em nosso tempo o cristianismo comum se encontra bem afastado de todas estas características. Vemos pessoas que se dizem objetos da graça de Deus agindo como ímpias. Não andam com Deus, não o obedecem, temem a opinião dos incrédulos, agem como todos os outros em vez de serem fieis a Verdade da Bíblia, e não lutam pelo bem espiritual de suas família, mas são materialistas como os demais homens, passando isso a seus filhos e demais familiares. Que ninguém se iluda quanto a estas questões.
No entanto os desígnios de Deus são firmes e neste texto vemos nos seguintes pontos:
A – Ele condena quem quer, e de forma justa, pois os ímpios merecem o juízo. (verso 17).
B -Ele também, salva quem quer, e isso por livre e soberana vontade e graça (verso 8 e 18). Aqui, o Pacto Eterno, entre o Pai e o Filho de Deus, para a Salvação dos Eleitos, se manifesta na Aliança com Noé.
C – Ele decide salvar a família de Noé. Isso nos dá grande esperança quanto a nossa própria família (verso 18).
D – Ele escolhe até os animais que seriam salvos e os traz até a arca (verso 20).
Todos estes pontos mostram que Deus é absolutamente Soberano. Ele não depende da vontade humana ou de qualquer outra coisa. Sei que em nosso tempo a doutrina da Absoluta Soberania de Deus é bastante negada porque muitos entende que ela tira a esperança dos homens. Porém a Bíblia neste texto, e em muitos outros, nos mostra que Deus é sim Soberano, e que essa doutrina não tira nossa esperança, mas ao contrário, é a fonte dela. E porque Deus é Soberano que Ele salva a seu povo. Nada o impede, nem mesmo a impiedade dos homens. Na verdade se Deus não fosse Soberano e dependesse dos homens, como muitos hoje crêem, ai sim é que não teríamos nenhuma esperança. Mas a Ele seja a glória! Ele não depende de ninguém, sua vontade é livre. Ele decidiu salvar Noé, e assim o fez. Derramou sobre ele sua graça e o salvou!

IV – CONCLUSÃO:

A ira de Deus como conseqüência do pecado é uma realidade. Nessa Ira Ele derrama juízos como no caso do Dilúvio. Não nos iludamos, se prosseguirmos no pecado o Senhor Santo e Justo em breve nos julgará. No entanto Ele derrama sua Graça sobre quem Ele quer. Essa Soberania Divina é fonte de verdadeira esperança para nós e nossa família. Ele salva sem depender de qualquer circunstância. Que como Noé possamos andar com Ele pela fé e lutar pelos nossos, e isso será evidência de sua Graça dada a nós. Amém!

Pode ser copiado e distribuído livremente, desde que indicada a fonte, e o conteúdo não seja modificado!

Comentários

  1. Olá meu caro. Só uma dúvida: aonde da bíblia encontro alguma passagem citando a linhagem de Sete como "linhagem piedosa"? Isso está na bíblia ou é apenas "interpretação"? Quem decide qual interpretação é correta e qual interpretação está errada? Não deveríamos mostrar somente que "a verdade está na bíblia" e não na interpretação?
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em Lucas 3.38 nos mostra que a linhagem de Jesus faz uma curva e passa por Sete e não por Caim, isso pode nos mostrar alguma coisa.

      Excluir
    2. Obrigado pela contribuição, Fabiano Queiroz

      Excluir
  2. Olá Josué, muito obrigado por sua visita e perguntas. Vamos, então, as respostas. Farei em partes:

    1 - “Só uma dúvida: aonde da bíblia encontro alguma passagem citando a linhagem de Sete como "linhagem piedosa"?”

    RESPOSTA: Você encontrará a resposta lendo as exposições dos capítulos quatro e cinco de Gênesis aqui no blog, juntamente com os próprios capítulos da Bíblia correspondentes. Ok?

    2 - “Isso está na bíblia ou é apenas "interpretação"?”

    RESPOSTA: Creio que, se você ler as exposições que indico, juntamente com os capítulos da Bíblia correspondentes, descobrirá que não é simplesmente uma “interpretação”, no sentido de uma afirmação desconectada do texto, mas sim o ensino claro dos capítulos 4 e 5 de Gênesis.

    3 - “Quem decide qual interpretação é correta e qual interpretação está errada?”

    RESPOSTA:Naturalmente o próprio Deus por seu Espírito iluminador, através do sentido claro do que escreveu na Bíblia. Porém quando para nós um texto for difícil, devemos recorrer aos textos mais fáceis que falem do mesmo assunto, para, então, interpretarmos aqueles mais difíceis. Assim, a Bíblia interpretará a própria Bíblia, ou seja, a Palavra esclarecerá a Palavra, e de fato Deus mostrará a Verdade no texto pelo próprio texto.

    4 - Não deveríamos mostrar somente que "a verdade está na bíblia" e não na interpretação?”

    RESPOSTA: Bem, na verdade inevitavelmente sempre haverá uma “interpretação”. A questão é se a “interpretação” está de acordo com a Bíblia ou não. Se estiver, a “interpretação” será nada mais que a pura Verdade da Escritura.

    Prezado Josué, espero ter lhe ajudado! Forte abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá irmão, achei muito interessante sua exposição do capítulo, porém, gostaria de fazer alguns comentários.
      Porque todos os que defendem a tese de que os "filhos de Deus" eram descendentes de Sete, simplismente escondem o significado do nome original que nas escrituras aparece nesse capítulo, NEPHILINS, que da raíz "Neph" no original siginifica "Cair, Derrubado.." ou seja, em nenhum momento esse termo na Bíblia é usado para se referir à alguma possível linhagem de caim. O correto seria "havia naqueles tempos os Caídos na terra, e também depois, quando os bene Elohin ( filhos de Deus) se relacionaram com as filhas dos homens.."2- Nos versos que se seguem onde se lê "Filhos de Deus" originalmente se acha "benê 'Elohim" /coment Bíblic Moody - Velho testament pg 28, essa referencia no velho testamento sempre foi usada para designar "Anjos", e nunca para alguma descendência. Por mais que no novo testamento podemos ser todos considerados Filhos de Deus, atraves do sacrificio de Jesus. Mudar a interpretação Bíblica somente para justificar algo que para nós é o mais "aceitavel" é no mínimo irresponsável. 3- A passagem de Mateus 22:30 que Jesus diz que "nos céus vocês não se casarão, porque serão como os anjos no céu." Não pode ser levada em consideração, uma vez que ele diz "anjos NO céu.." o relato de Gn nos apresenta anjos na terra. 4- Anjos poderiam sim, se caso essa vertente for a correta, coabitar com humanos. No relato da vinda de 2 anjos para avisar Ló de que a cidade seria destruida, os morados da cidade logo quiseram "conhecer" eles. No mundo acadêmico geral, existem mais dados e fontes de interpretação para defender que gn 6 se refere a Anjos do que para descendentes de Sete. Talvez, por mais que possa parecer um "absurdo" para algumas classes de cristãos modernos, a verdade, nesse caso, esteja além da nossa compreensão atual. Assuntos desse nivel, deveria ser deixado de lado, para evitar maiores confusões. A paz de Cristo.

      Excluir
    2. Prezado irmão Flavio Aguiar muito obrigado por contribuir na reflexão do assunto. Todavia creio que a posição que você defende apoiando-se no termo “NEPHILIM” fica fragilizada, pois é de significado controvertido. Acredito que o que defendo seja mais harmonioso com o contexto anterior e posterior do texto. Talvez uma citação sobre a passagem do já saudoso pastor batista Isaltino Coelho nos ajude na questão: “O autor deste estudo opta pela segunda teoria (Filhos de Deus como linhagem de Sete)...entende que é mais consentânea com o contexto, pois o capítulo 4 mostra a Linhagem de Caim, o capítulo 5 mostra a de Sete, e o capítulo 6 na ordem, mostraria a fusão das duas linhagens. Por esse motivo, inclusive, a maldade teria aumentado: a linhagem de Sete foi absorvida pela de Caim, e a tão expressiva piedade mostrada no capítulo anterior desapareceu, a ponto de Deus se sentir desgostoso pela criação do homem.”. Assim, meu irmão, estou convencido de que “filhos de Deus” se refere a esta linhagem piedosa. Espero ter ajudado em suas reflexões. Volte sempre e forte abraço!

      Excluir
  3. Na genealogia de Jesus Cristo Luc:3 vs 23 a 38 provaque é a decendencia escolhida por Deus e obediente a palavra de Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade Pedrinho Araujo. Obrigado e volte sempre!

      Excluir
  4. Querido e amado irmão desejo que Deus o abençoe!. O seu estudo foi e espero ler outros de muito valor para o meu conhecimento e aproximação do senhor espero esta a cada dia mas perto do Senhor através de sua palavra um forte abraço do seu irmão em Cristo Jesus Victor Oliveira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, irmão Victor. Deus o abençoe. Que você o ame mais e mais. Ore por este trabalho e volte sempre!

      Excluir
  5. Graça e paz, fico muito feliz em ver a bíblia levada a sério e como única fonte verdadeira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém, irmão Flavio Santana. Ore por nós. Que o Senhor o abençoe e fortaleça na Verdade cada dia mais!

      Excluir
    2. Amém amado irmão, Deus abençoe seu rico ministério.

      Excluir

Postar um comentário

Caros amigos, como o propósito do blog é mostrar o que a Bíblia ensina para a nossa edificação espiritual, e não fomentar polêmicas, que tendem a ofensas e discussões infrutíferas, não publicarei comentários deste teor, tão pouco comentários com linguagem desrespeitosa. Grato pela compreensão.

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição de João 10:1-18 - Jesus é o Bom Pastor (Texto e áudio) - Manoel Coelho Jr.

Meditações em Gênesis 22: A prova suprema da Fé de Abraão* - Manoel Coelho Jr.

Exposição de Gênesis 11: O projeto fracassado e o projeto vitorioso!