Algumas breves reflexões e conselhos práticos sobre a situação atual, em busca de conscientização e reforma. 


Quero neste texto falar a você que não está satisfeito com o rumo das igrejas no Brasil. Vivemos tempos de abandono das Escrituras por parte do que se chama "Evangelicalismo”. Tentarei demonstrar isso nos próximos tópicos, e em seguida procurarei propor algumas práticas, que penso, devemos realizar para que ocorra uma mudança a começar por nós. Não devemos ser daqueles que apenas criticam, mas daqueles que vêem o erro e que procuram se desvencilhar dele para que, na graça de Cristo, se tornem luzeiros a outros:

1 – A igreja Moderna abandonou a pregação da Bíblia: Os pregadores na maciça maioria das Igrejas não pregam baseados na Bíblia. Eles usam a Bíblia apenas como pretexto para ensinarem as suas próprias idéias. Lêem, quando muito, alguns versículos da Bíblia e aí os esquecem ou os interpretam mal. Passam a falar e ensinar coisas que não se diz na Bíblia. Certos ensinos falsos são muito comuns hoje em dia. Dou alguns exemplos: Maldição Hereditária, que todos devem ser ricos, que demônios podem possuir crentes, que podemos determinar as coisas e Deus tem que fazer de acordo, que sempre os doentes são curados se crermos, que não devemos aceitar o sofrimento etc. Coisas assim são ensinadas popularmente. Mas estão na Bíblia? Não, são tradições humanas que as igrejas têm incorporado ao longo do tempo. Mas temas claramente ensinados na Bíblia não são tocados, como por exemplo: Novo Nascimento, arrependimento e fé, Céu e Inferno, obediência a Lei de Deus, etc. Onde está a igreja em que podemos nos sentar e ouvir um pregador que lê a Bíblia, interpreta corretamente e aplicar o que está escrito na vida do seus ouvintes? Sabemos que isto é raríssimo, que na maioria das vezes estamos ouvindo pregadores dizendo o que não está escrito ou forçando a Bíblia a ensinar o que não ensina. É simplesmente caótica a pregação nas igrejas em geral.

2 – Culto dirigido pela vontade humana e não pela Bíblia: Ao planejarmos um culto devemos fazer que pergunta? Bem, temos duas opções que direi a seguir. Mas qual a correta? Vejamos as opções:

A – Como agradar a Deus em nosso culto?
B – Como agradar as pessoas em nosso culto?

Qual destas perguntas é a mais apropriada? Ora, se o culto é a Deus a opção correta só poder ser A. Temos que agradar a Deus e não as pessoas. Mas como saber o que agrada a Deus? Logicamente é fazendo um culto de acordo com o que Ele diz em sua Palavra nas Escrituras Sagradas. Temos que em tudo o que fazemos em nossos cultos ter o respaldo da Bíblia. Se não for assim de forma alguma agradaremos a Deus. Mas infelizmente a maioria das Igrejas não escolhe a pergunta A, mas sim a pergunta B. A maioria quando vai planejar um culto pensa nestas questões: O que vai agradar as pessoas? Como fazer um culto animado para as pessoas? Como atraí-las para nossa adoração? Dessa forma o critério muda completamente e não mais a Bíblia dirigirá o culto, mas o gosto das pessoas é o que determinará tudo. Vemos, como conseqüência, certas práticas no culto que de forma alguma tem base na Bíblia. Por exemplo: Muita música e pouca pregação; coreografias; teatro; grupos de dança; excesso de barulho, luzes, apelos fortes para as emoções e pouquíssimo apelo para a razão, etc. Tais coisas estão na Bíblia? Não, mas agrada as pessoas e faz encher as Igrejas. Assim vemos as pessoas dizerem: "Vejam os jovens precisam de balanço, isto atrai os jovens". Assim os jovens e não a Bíblia é que determinam tudo. Vemos que os cultos viraram shows como de artistas mundanos. Portanto afirmo que existe uma parafernália nos cultos que nada tem a ver com a Bíblia e que precisa ser retirada. Deus deve ser agradado e não os homens!

3 – Falta da Bíblia na prática diária dos crentes: Como vivem os crentes em nosso tempo? Vivem no dia a dia de acordo com a Bíblia? Infelizmente não! Na maioria dos casos, quando comparamos a prática de um crente com um não crente não vemos grandes diferenças. Os crentes muitas vezes mentem, enganam, adulteram, roubam, são egoístas e gananciosos, fofocam e praticam outros atos ilícitos da mesma forma que a maioria. É uma vergonha a vida deles. Por que é assim? Porque não se prega mas a Bíblia. São dirigidos não pela Bíblia, mas pelo o que a maioria faz. Eles dizem: “todo o mundo faz, terei lucro se fizer assim”. Que vergonha, que tristeza. Deus não é temido, a Bíblia não é ouvida, os dez mandamentos são pisados por eles. São dirigidos pelos homens e não por Deus. Deus não têm sido glorificado na vida dos ditos “crentes”!

Creio que estas breves palavras provam que as igrejas abandonaram a Bíblia e passaram a seguir a prática humana. Assim precisamos voltar a Bíblia e aplicá-la a pregação, ao culto, e a vida diária, para que Deus seja glorificado e não o homem. Proponho, de novo de forma breve, algumas atitudes que devemos tomar em nossa vida, se de fato estamos conscientes do problema atual e amamos ao Senhor desejando seguir sua vontade:

1 – Ensinar conforme a Bíblia: No caso de sermos pastores, nosso ensino e pregação devem ter apenas uma base: As Escrituras Sagradas. Ela deve ser ensinada e aplicada a vida dos ouvintes. Devemos deixar claro aos ouvintes que todos devem esperar somente a Verdade da Bíblia e não coisas agradáveis aos seus próprios pensamentos.

2 – Ouvidos atentos: Os ouvintes devem dar toda a atenção a Pregação e ensino da Palavra. Fazendo isso em oração e temor ao Deus que fala pela ministração das Escrituras no culto. Devem orar e meditar, antes, durante, e depois da pregação aplicando a sua vida, deixando todo o pecado revelado na Escritura, e seguindo a vontade de Deus.

3 – Leitura e meditação diária em oração: Devemos ler e meditar nas e Escrituras diariamente aplicando-a as nossas vidas, como também orar constantemente.

4 – Freqüência aos Cultos: Não devemos perder nenhuma oportunidade de Culto, pois neles adoramos a Deus e buscamos ouvir sua voz nas Escrituras. Assim participemos dos cultos e nos esforcemos em trazer nossa família especialmente nossos cônjuges e filhos.

5 – Guardar o Dia do Senhor: O domingo é o Dia do Senhor para nós. É do Senhor não nosso. Portanto devemos dedicar a Ele em adoração, em freqüência aos cultos, em oração e leitura da Bíblia em particular e em família, em reflexão em sua verdade em nossas conversas, enfim a Ele e não a nós. Evitemos neste dia as tarefas cotidianas de outros dias. A cada domingo devemos nos regozijar e crescer no Senhor.

6 – Culto doméstico: Devemos nos esforçar para diariamente tirarmos um período para juntos em família lermos a Bíblia e orarmos.

7 – Auto-análise: Já estamos salvos realmente? Demonstramos os sinais apresentados pelas Escrituras como evidencias do novo nascimento? Temos o fruto do Espírito? Amamos ao Senhor e o obedecemos? Que ninguém se iluda, mas busque a verdade sobre suas própria salvação à luz das Escrituras.

8 – Santidade diária: Que cada um siga o que já aprendeu na Palavra de Deus. Que a carne seja mortificada, que o as idéias do mundo sejam abandonadas, e que satanás seja resistido. Que os mandamentos do Senhor sejam nossos guias diários em busca de uma reforma constante de todo o nosso procedimento. E que em tudo isso contemos e confiemos na Graça de Deus que nos concede a vitória, a qual já temos em Cristo Jesus, nosso Salvador e Senhor.

9 – Sejamos luz: Sim, luz deste mundo em trevas. Que clamemos ao Senhor pela salvação de nossos próximos em especial por nossa família. Que lutemos por eles em nosso testemunho, não dando ocasião para apaziguamento ou endurecimento de suas consciências por nossos pecados públicos. Mas vivendo em santidade diante deles para a glória de Deus, abalemos as consciências deles para que se arrependam. Que a Eles falemos de Cristo de forma correta, ou seja, bíblica, ministrando assim o verdadeiro Evangelho.

10 – A busca da glória de Deus: Tudo se destina a isto: a glória de Deus por nossa vida. Este deve ser nosso maior intento a cada dia, se é que de fato o amamos. Ele, e só Ele, é o nosso maior bem. Portanto, não há nada mais desagradável para nós que desonrá-lo, e nada mais agradável que glorificá-lo.

Amados, sugiro estas atitudes como uma busca de reforma individual e de nossas congregações. E que o Senhor nos ajude em sua graça em Cristo Jesus. Amém!

Pode ser copiado e distribuído livremente, desde que indicada a fonte, e o conteúdo não seja modificado!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição de João 10:1-18 - Jesus é o Bom Pastor (Texto e áudio) - Manoel Coelho Jr.

Meditações em Gênesis 22: A prova suprema da Fé de Abraão* - Manoel Coelho Jr.

Estudo em Gênesis 3 (Primeira parte)