Pesquisar este blog

Carregando...

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Vivendo para a glória de Deus.

I – INTRODUÇÃO:

Estamos vivendo para a glória de Deus? Ora, a Bíblia nos diz que este é o motivo de nossa existência: A Glória de Deus. Peço, então, que façamos em oração diante de Deus uma séria reflexão respondendo com toda honestidade as seguintes questões sobre como tem sido nossa vida:
Já estou de fato convertido? Não amo o pecado mas que a Deus? Quero sua vontade e viver para a sua glória? Creio de todo o coração que só Cristo salva já que levou e pagou preço de meus pecados na Cruz? Amo a Deus? Odeio o pecado? Posso dizer: minha maior tristeza é pecar ? Posso dizer: amo a santidade? Posso dizer: quero conhecer mais e mais a Deus, afastar-me do pecado e ser mais e mais obediente ao Senhor? Posso dizer: Já voltei as costas para o pecado e voltei minha vida para Deus pois quero viver para Ele? Posso dizer: Sei que o pecado e suas influencias ainda habitam em mim, mas já me decidi pelo poder da graça de Deus em seu Espírito lutar contra estas forças por toda a minha vida?
Se já sou convertido devo me perguntar: O meu amor pelo Senhor tem se tornado mais forte? Estou mais obediente agora que, por exemplo, a um ano? O nome do Deus Pai, Filho e Espírito Santo está sendo mais glorificado em minha vida agora que antes? Portanto, posso dizer que amo mais ao Senhor hoje que no início de minha caminhada cristã?
O meu amor pelo meus próximos está aumentando? Tenho me disposto a ajudar os meus próximos nas suas diversas necessidades de forma cada vez mais decidida? Eu tenho influenciado alguma pessoa à se aproximar de Cristo para a Salvação de sua alma, ou nem me preocupo com isso? Posso dizer que meu amor por eles tem crescido e este crescimento vê-se na prática a não só em meu falar?
Como tem sido minha relação com a Bíblia? Tenho procurado me esforçar em ler a Palavra todos os dias, ou sou negligente nisso? Eu tenho meditado nela e o meu conhecimento dela tem aumentado? Tenho procurado viver a Palavra? Tenho também procurado ler bons livros cristãos, e ouvido a Escritura quando é pregado por um pregador fiel? Afinal, como tem sido meu crescimento em conhecimento e prática da Verdade da Escritura?
E minha vida de oração como está? Tenho tirado um tempo diário para orar, para estar a sós com Deus em oração? Participo dos cultos de oração? Vivo em comunhão com Deus, com aquela consciência que Ele sempre está presente e eu devo respeitá-lo em tudo o que falo, digo e penso? Tenho vivido dando a Ele graças em tudo, ou vivo sempre reclamando e murmurando? Peço sempre a sua direção em tudo e busco na Bíblia esta direção? Apresento a Ele as minhas necessidades? Entrego a Ele as minhas ansiedades? Minha fé nele tem aumentado? Confio Nele e em seus caminhos? Me alegro Nele mesmo em difíceis momentos? Louvo a Ele nos bons e maus momentos? Tenho adorado a Deus? Tenho pedido pelas necessidades de meus próximos: família, amigos, conhecidos, vizinhos, colegas, e até aqueles que não gostam de mim? Tenho pedido a Deus pela maior necessidade deles, ou seja, pela a alma eterna deles? Eles já estão salvos? Tenho me preocupado com isso? Tenho orado pela questão?
Como tem sido minha relação com a Igreja? Oro pela Igreja, pelos irmãos, pelo pastor? Sou um assíduo freqüentador dos cultos? Tenho levado a sério o Dia do Senhor, o domingo, e neste dia me dedicado mais a oração a Bíblia e a Igreja? Todos os domingos estou na Igreja? Minha atitude nos cultos é reverente? Venho disposto e cheio de amor a Deus para a Igreja? Tenho cantado os louvores com o coração como agradecimento, louvor, adoração e petição a Deus? Oro com atenção e sinceridade? Dou atenção a pregação esperando ouvir a voz de Deus? Medito na pregação? Penso nela depois durante a semana? Comparo para ver se a pregação esta de acordo com a Bíblia? Procuro viver a Verdade e não apenas conhece-la? Tenho lutado pelo bem da Igreja? Estou disposto a ajudar meus irmãos em suas necessidades espirituais e materiais? Evito fofocas, e em vez disso luto pela bem espiritual de todos? Tenho convidado as pessoas não crentes que conheço para me acompanharem a Igreja?
E meu testemunho como está? Vivo uma vida que honra a Deus ou que envergonha o seu Reino? Meus conhecidos quando olham para mim vêem a vida na prática de um filho de Deus, ou dizem com sarcasmo e ironia: “isso é ser crente”? Tenho feito a consciência dos outros doer pelo meu bom procedimento como crente, ou ao contrário, os faço se afastarem mais de Deus pelo meu pecado público? Ao olharem para mim eles dizem: “está pessoa vive diferente de nós”, ou eles dizem: “diz ser crente mas é igual a nós”? Eu me preocupo com as almas dos outros? Eu me entristeço pelo fato de Deus ser desonrado na vida deles? Eu procuro evangelizá-los falando-lhes de Cristo? Eu oro por eles? Já os convidei para vir comigo à Igreja? Já lhes dei um bom livro ou texto cristão para que eles possam conhecer a verdade?

Queridos irmãos, devemos nos avaliar em todas estas questões. E onde estivermos pecando em nossas negligencias a estes deveres, devemos, em arrependimento e fé no sangue de Jesus, pedir que Deus nos perdoe. Ao mesmo tempo, também, devemos nos determinar a deixar toda a negligencia e pecado, e, contando com graça de Deus, nos dedicar com maior afinco aos nossos deveres cristãos. Ou seja dediquemo-nos a crescer no amor a Deus, a confiar mais Nele, a obedecê-lo, a orar mais, a ler mais a Bíblia, a sermos mais assíduos aos cultos, a lutarmos pela Igreja, a lutarmos pelas almas perdidas e pela edificação dos crentes. Enfim, que o Senhor seja cada vez mais glorificado em nosso viver. Esta é a vontade de Deus para nós: que vivamos para sua glória. Mas como promover a glória de Deus? Proponho alguns pontos a seguir. Vejamos:


I I – CULTOS:

Procuremos não faltar os cultos, mas procuremos estar cedo na Igreja para louvar a Deus, cantar louvores, ouvir e meditar na Palavra e orar. Nossa atitude no culto deve ser a mais reverente possível, pois estamos reunidos como Corpo de Cristo diante do Reis dos Reis que tem mostrado a nós sua misericórdia em Jesus e quer ser adorado e falar conosco. É também oportunidade de crescermos na comunhão entre nós, e trazermos nossos amigos para ouvirem a Palavra de Deus. Depois do culto devemos continuar orando e refletindo sobre o que ouvimos, e pela graça de Deus determinemo-nos a viver a Verdade. Todo os dias devem ser para nós um culto à Deus.

III – LEITURA, MEDITAÇÃO, E ORAÇÃO DIÁRIA:

Devemos ler e meditar na Bíblia todos dias. Querido irmão e irmã, decida fazer isso já, se ainda não está fazendo. Não deixe para depois. Decida já! Nossa natureza pecaminosa não gosta de ler a Bíblia. Mas devemos vencer está resistência e ler, se é que queremos conhecer mais a Deus. Procure ler a Bíblia toda. A cada dia leia um trecho e vá anotando os capítulos e versos que você lê. Poder ser interessante começar pelo Antigo Testamento. Mas talvez seja melhor ler a cada dia uma pequena parte de cada Testamento, ou seja, do Antigo e Novo Testamento. Leia com calma em oração pedindo que Deus lhe ilumine por seu Espírito. Procure entender o que lê. Medite e aplique o que entender a sua vida. Deixe qualquer pecado que descobrir em sua leitura, creia nas promessa e nelas se alegre. Em cada decisão na vida siga o que tem aprendido da Palavra. É assim que Deus quer que ande. Não espere “novas revelações”. Estas são falsas. Você jé tem a verdadeira revelação: A Bíblia. Faça, ainda, uso de bons livros dentro da linha puritana reformada. Leia, medite, e compare com a Bíblia.
Tire, também, todos os dias um tempo para orar. O melhor é que seja junto de sua leitura da Bíblia. Nesse período você deve, louvar a Deus, confessar qualquer pecado conhecido, fazer petições, entregar a Ele as ansiedades, pedir a Ele direção, e interceder pelos outros, pelas almas perdidas, pelos aflitos, pela Igreja, pelos membros e pastor, pelo mundo, pelo país, por nosso estado, cidade e bairro, pelas autoridades. Oremos por um avivamento da Palavra neste país. Que Deus levante verdadeiros trabalhadores da seara. Nossa vida deve ser em oração, Deus está sempre conosco e em qualquer lugar podemos orar a Ele em pensamento, e sempre devemos andar em temor a Ele, conscientes de sua presença.


IV – EVANGELISMO:

Somos testemunhas de Cristo, e o Senhor chamará o seu povo através de nosso testemunho. Devemos evangelizar a todos mas principalmente os que estiverem próximos de nós. Antes de pensar nos que não conhecemos devemos pensar nos que já conhecemos: família, parentes, amigos, conhecidos, vizinhos, colegas de escola e trabalho, etc. Enfim são pessoas que temos contato as vezes diário. Deus em sua providencia colocou estas pessoas diante de nós para que a eles demos testemunho da salvação. Comecemos então por elas e especialmente nossa família. Quero sugerir aqui algumas questões bem práticas:

A VIDA EXEMPLAR:

As pessoas estão olhando para nós o tempo todo. Se dizemos que somos crentes e que servimos a Cristo, elas vão ficar observando para ver se isto é verdade. Se pecarmos diante delas e com elas, então dirão: “olha só, ele também faz”. Então a consciência delas será tranqüilizada, pois elas dirão: “o Evangelho, Cristo, o pecado, o juízo de Deus, tudo isso deve ser falso, visto que essa pessoa diz que crê em todas estas coisas porém vive como se elas não existissem”. Estaremos aliviando a consciência delas das verdades espirituais se pecarmos diante delas. Enfim elas até dirão: “esse crente é até pior que eu” ou “eu pelo menos não vivo só na Igreja”. Ora amados, isso é um terrível mal. Não façamos isso! Se já fizemos, peçamos que Deus nos perdoe e nos de poder para mudar imediatamente isso, se é que somos crentes mesmo!. Com disse um pregador que gosto muito: “não devemos ser usados para aliviar a consciência de nenhum pecador”. Não, não e não. As coisas não podem ser assim. Devemos ter uma vida exemplar diante dos incrédulos. Aliás sem esta vida exemplar nem poderemos falar de Cristo. As pessoas dirão: “ Quem és tu?” Portanto vivamos uma vida santa em todo o nosso procedimento. Esta já é uma grande maneira de testemunhar. Claro que ela dever ser acompanhada pelo nosso falar, porém só falar não adianta, como também só viver não. Temos que falar e viver. As pessoas então, sendo eleitas, serão impactadas em suas consciências. A luz de Cristo e seu Espírito brilhará através de nós sobre seus pecados. Então, elas se arrependerão e clamarão pela misericórdia de Deus em Cristo.

O FALAR DE CRISTO:

As pessoas só saberão quem é Jesus se nós falarmos Dele à elas. Portanto façamos isso. Ensinemos o Evangelho. Mas o que é o Evangelho? É a mensagem que fala basicamente de quatro temas: Deus, o homem no pecado, a Salvação em Cristo e a necessidade de conversão em fé e arrependimento. Devemos procurar conhecer bem estes temas de maneira cada vez mais profunda para podermos ensinar aos outros. Ensine isto ao seu filho, fale disso ao seu marido ou esposa, e aos demais. No entanto não esqueça: é preciso viver e falar, não só falar. É ainda importante dar o alimento de acordo com a capacidade do ouvinte. Por exemplo: não devo aconselhar a pessoa à fé e arrependimento se ela ainda não entendeu nada a respeito de Deus, do pecado, e se ela ainda não sabe afinal quem é Jesus. Quem não conhece nada de Deus, como entenderá a gravidade do pecado, visto que o pecado é feito contra um Deus Santo? E como uma pessoa se arrependerá e buscará o grande Salvador do pecado que é Jesus, se tal pessoa não vê a gravidade do pecado? Por isso é preciso ensinar o Evangelho aos poucos e em oração, a medida que as pessoas consigam entendê-lo em suas várias partes. Na verdade só Deus pode abrir a mente delas para que entendam, e mover o seus corações para uma decidida volta para Ele.


A ORAÇÃO PELOS PERDIDOS:

Outra forma de evangelizar é orar constantemente pelos perdidos. Quando falei de oração disse que devemos orar diariamente. É claro que dentro desta oração diária está a intercessão pelas almas eternas de nossos próximos. A cada dia devemos clamar ao Senhor por eles. Clamar que derrame graça sobre eles. Pedir que o poderoso Espírito Santo abra o coração destas pessoas para o Evangelho. É o Senhor quem move e chama os pecadores. Só Ele pode amolecer um coração de pedra. Só ele pode dar uma nova natureza ao pecador e implantar no coração o arrependimento e a fé. Isso para nós é um grande incentivo a oração. Clamemos ao Deus que tudo pode e tudo faz conforme o conselho de sua vontade. Não importa a dureza de coração mas a misericórdia de Deus em chamar e perdoar o pecador que Ele elegeu. Portanto clamemos ao Senhor, clamemos por sua graça regeneradora. Além de tudo isso devemos orar por nossa congregação. Para que Deus a use, e as demais em nosso país, para a salvação e edificação de muitas pessoas.

OFERECENDO BOA LITERATURA:

Livros têm sido usados por Deus ao longo da História para mover o coração dos homens e mulheres. Portanto uma excelente maneira de evangelizar é presentear nossos amigos com bons livros. Portanto dentro de nossas possibilidades devemos comprar livros e presenteá-los. Sugiro os seguintes livros: Para sua Alegria (John Piper), Convite para viver (Richard Baxter), Medita estas coisas (Richard Baxter), Um guia seguro para o Céu (J. Alleine).

CONVIDANDO PARA A IGREJA:

Outra excelente maneira de evangelizar é convidar nossos familiares e amigos para os cultos da Igreja. Na verdade com a maioria de nós foi assim. Só nos decidimos realmente a seguir a Cristo após a freqüência por algum tempo a uma Igreja. Ora, nos cultos a Palavra é pregada por alguém que foi chamado por Deus para esta tarefa. Portanto, nos cultos as pessoas estão expostas à este poderoso instrumento de Deus para o crescimento de seu Reino: a pregação da Palavra na unção do Espírito (naturalmente me refiro aqui a igrejas verdadeiras onde a Palavra de fato é exposta). Então meu amado, dê um bom testemunho, ofereça boa literatura, fale de Cristo e convide seus familiares e amigos para os cultos. Convide alguém para os próximos cultos. Faça isso com muita oração e súplica ao Único que pode mover o coração dos pecadores endurecidos: O Senhor Deus Pai, Filho e Espírito Santo.

V – VIVENDO EM OBEDIÊNCIA, AMOR, E CONFIANÇA:

É também viver para a glória de Deus andar confiantemente em gratidão a Deus e não em murmuração. Creiamos na soberania, sabedoria, providência, bondade e misericórdia de Deus em cada momento de nossas vidas, sejam estes bons ou maus. Descansemos em suas promessas e nunca desanimemos. Ele é fiel e está conosco, e se permitir nosso sofrimento é para sua glória e o nosso bem espiritual. Não é hora de desanimarmos, mas sim de, olhando para Ele com fé e gratidão, prosseguirmos com todo o ânimo a nossa caminhada à Morada Eterna. Aqui somos peregrinos. Nessa caminhada nosso amor e obediência a Deus devem aumentar. Nisso é que de fato estaremos vivendo para sua glória.

VI - CONCLUSÃO:

O pecado nos arruinou e nos afastou desta glória. Mas o Senhor planejou nossa Salvação, o Filho pagou o preço dela na Cruz, e o Espírito Santo aplica esta salvação em nosso coração nos regenerando e santificando. Estamos sendo santificados, estamos crescendo em amor e obediência a Deus e cada vez mais a sua Glória resplandece em nossa vida. A nós cabe o empenho, conforme temos tratado nesta explanação, em conhecer mais e mais a sua Verdade e viver de acordo com ela. Portanto, vamos nos desvencilhar de erros ou negligencias, vamos pedir perdão a Deus, e buscar Nele forças para deixarmos todo o atrapalho. Vamos nos empenhar para crescermos em santidade e obediência a Ele e para o bem dos que ainda não o conhecem. Que o Senhor tenha misericórdia de nós e nos fortaleça com sua graça, para que possamos mais e mais viver para sua glória por toda nossa vida, e um dia em sua Graça estaremos juntos com todo seu povo reunidos naquele lugar santo, no Céu. Lá não haverá pecado. Lá a sua glória em nós será perfeita, lá com os santos anjos viveremos por toda a eternidade honrando e bendizendo o seu Santo Nome dizendo : “Santo, Santo, Santo é o Senhor”. Lá de fato estaremos em plenitude vivendo para a glória de Deus em Cristo Jesus Nosso Senhor. Amém! Que assim seja!

Pode ser copiado distribuído livremente, desde que indicada a fonte, e o conteúdo seja mantido!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caros amigos, como o propósito do blog é mostrar o que a Bíblia ensina para a nossa edificação espiritual, e não fomentar polêmicas, que tendem a ofensas e discussões infrutíferas, não publicarei comentários deste teor, tão pouco comentários com linguagem desrespeitosa. Grato pela compreensão.