Entende o Evangelho - Richard Baxter.

Medita Estas Coisas (Nova Edição)
Para que a obra da sua conversão não venha a ser abortada, isto no caso em que pareça haver começado ou estar se desenvolvendo de modo esperançoso, o meu primeiro conselho é: Esforce-se para obter um correto entendimento da natureza do Cristianismo, e do significado do evangelho que visa salvá-lo.

Você é por natureza escravo do Príncipe das Trevas, vive em um estado de trevas, pratica as obras das trevas, e precipita-se para a mais completa escuridão; e é a luz do conhecimento salvífico que pode recuperá-lo, ou não haverá recuperação. Deus é 'o Deus de luz, e habita na luz'; Cristo é 'a luz do mundo'; seus ministros são também os 'luzeiros do mundo', desde que se submetam a Ele; e são enviados para 'retirarem os homens das trevas para a luz, pelo evangelho que é a luz para os nossos pés; e isto para fazer-nos filhos da luz, para que não mais pratiquemos as obras das trevas, mas possamos ser participantes da herança dos santos na luz'. Acredite nisto, as trevas não são o caminho para a glória celestial. A sua doença é a ignorância espiritual, e o conhecimento espiritual precisa ser a sua cura. Eu sei que os ignorantes espirituais têm muitas desculpas, e que pensam que o caso deles não é assim tão ruim como queremos sugerir, achando que não há tal necessidade de conhecimento, e que um homem pode ser salvo sem ele. Mas eles pensam assim, exatamente porque carecem deste conhecimento, que lhes mostraria a miséria da sua ignorância e o valor do conhecimento. Não diz a Escritura claramente que, 'se o evangelho está encoberto, é para os que se perdem que esta encoberto, nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus' (2 Cor 4:3,4)?

Eu sei que muitos que possuem bastante conhecimento são im¬piedosos. Mas e daí? Pode por causa disso qualquer homem ser piedoso ou salvo sem conhecimento? Você pode ter um mau servo, o qual entretanto é extremamente capaz em seu serviço; mas você não solucionará o problema substituindo-o por outro que não tenha nenhuma capacidade para o serviço. Você pode mandar um homem como seu mensa¬geiro, que conheça o caminho, o qual, entretanto, não lhe obedecerá, mas procrastinará e enganará você; mas e daí? Solucionaria você o problema mandando outro que não conhece um passo sequer do cami¬nho, nem irá aprender? Embora um homem com conhecimento possa ser um servo do mal, ainda assim, nenhum homem sem conhecimento, e que não faz uso da razão, pode ser um servo de Deus. Um homem pode ir para o inferno com conhecimento; mas ele certamente irá para o inferno se não o tiver.

Eu não quero dizer com isto que todos devem ser eruditos, ou habilitados nas artes, ciências e línguas; mas você deve ter o conheci¬mento de um crente, embora não tenha o de um erudito. Pode você amar e servir a Deus a quem não conhece? Pode você abrir mão de amigos, bens, e da própria vida, por uma glória da qual não tem conhecimento? Pode você fazer do principal propósito de sua vida buscar um céu, cujas excelências nada conhece? Pode você lamentar seu pecado e miséria, quando nem sequer está familiarizado com ele? Ou esforçar-se-ia você na luta contra o pecado, como o mal maior, quando você não conhece o mal que há no pecado? Creria você em um Cristo, a quem não conhece, ao ponto de confiar-Lhe sua alma e tudo o mais? Descansaria você em uma promessa, temeria uma ameaça, ou se submeteria a uma lei, as quais não compreende? Não é possível ser um crente sem conhecer a substância do Cristianismo; nem é possível ser salvo sem conhecer o caminho da salvação.

Esforce-se, portanto, para se tomar bem familiarizado com as bases, razões e natureza da sua religião. Quanto mais clara for a sua luz, mais ardente e vivo será o seu coração. Iluminação é a primeira parte da santificação. A cabeça é a passagem para o coração. Oh, se você apenas soubesse realmente o que é o pecado, e o tipo de vida que serve carne, e qual será o fim disso, com que abominação você repugnaria o pecado! Se você realmente soubesse o que é uma vida de santi¬dade, com que presteza você a escolheria! Se você soubesse verdadeiramente quem é Deus, quão infinitamente poderoso, sábio e bom; quão santo, justo, e verdadeiro; e que direito e autoridade Ele tem sobre você; e que porção eterna Ele seria para você; como seria possível que você viesse a preferir o pó do mundo a Ele, ou demorar-se um momento sequer em voltar-se para Ele?

Se você apenas soubesse verdadeiramente quem é Cristo, e o que Ele fez e sofreu por você, e o que significam o perdão, a graça e a glória que Ele adquiriu para você, e quão infalível é a sua promessa, pela qual estas bênçãos lhe são oferecidas, não é possível que você viesse a recusá-lO, ou demorar-se a entregar-Lhe a sua alma. Você pensa realmente que um homem que sabe verdadeiramente o que é o Céu e o que é o Inferno, ainda poderia ter alguma dúvida sobre qual deles deveria escolher? Se Deus apenas abrisse os seus olhos para ver em que situação você se encontra, e o que está fazendo, você correria como se para salvar a sua própria vida, e rapidamente mudaria sua mente e caminhos. Você não permaneceria em seu estado carnal mais do que permaneceria em uma casa que estivesse desmoronando sobre a sua cabeça, ou em um navio, o qual percebesse estar afundando sob seus pés, ou sobre a areia quando visse uma enchente vindo em sua direção. Se você apenas pudesse ver o seu quarto cheio de demónios esta noite, não continuaria questionando se deveria render-se. Certamente, se você soubesse qual a intenção dos demónios para com você, como eles o enganam, o dirigem e esperam para carregá-lo para o inferno, você nunca mais protelaria uma noite sequer propositadamente em tal estado.

Enquanto o homem não entender o que é o evangelho, nem o que o ministro lhe diz, não é de espantar que ele não os considere, e continue nos seus pecados. Se você vir um urso ou um cão raivoso avançando em direção a um homem, por mais que venha a avisá-lo e alertá-lo para que fuja, se o homem falar outra língua e não entender você, ele nunca se apressará; mas se ele o entender e acreditar em você, sem dúvida fugirá. Enquanto as pessoas pensarem que os ministros estão gracejando com elas, ou que estão incertos quanto ao que di¬zem, não é de admirar que elas nos ouçam na brincadeira, ou como homens que não acreditam no que ouvem. Mas se você soubesse que a sua vida depende disso, sim, sua vida eterna, não daria você atenção para o que lhe é dito, nem atentaria para a sua situação? Agora você fica hesitando e questionando quanto a se deveria ou não arrepender-se e desvencilhar-se do pecado; mas se soubesse que certamente obterá o inferno juntamente 'com o pecado que quer manter, acredito que suas dúvidas seriam rapidamente solucionadas, e você relutaria em hospedar por mais uma noite convidados tão acusadores e perigosos.

Agora, quando nós o persuadimos a uma vida de santidade, você objeta-se a isto, como se tivesse alguma dúvida quanto ao assunto; mas se você compreendesse a natureza e o fim da santificação, você cedo perderia suas dúvidas; e se você apenas soubesse o quão mais feliz seria com Deus, nunca se obstinaria em desvencilhar-se dos seus pecados mais deliciosos. Assim como os judeus rejeitaram a Cristo e preferiram um assassino a Ele, gritando 'crucifica-o', e tudo isto porque eles não O conheciam, assim você deixa Cristo batendo e convidan¬do-o, e oferecendo-lhe salvação, enquanto permanece questionando se deveria ou não obedecer ao seu chamado, ou se não deveria preferir as suas luxurias a Ele; e tudo porque você não O conhece nem a graça e glória que Ele lhe oferece.

Quando os homens não entendem as razões de Deus, as quais deveriam prevalecer sobre as deles, não é de admirar que não abandonem aquilo que lhes é tão querido quanto as suas vidas. Mas quando eles vêm a conhecer as razões do Cristianismo, aquelas razões comoventes, inegáveis e valiosas, que advêm da compreensão da realidade de Deus, do Céu e do Inferno, eles não mais questionarão o assunto, mas abrirão mão de tudo, até da própria vida. O conhecimento a que eu me refiro, entretanto, é um conhecimento espiritual, poderoso e prático, e não meras opiniões e conceitos vacilantes.

Estude portanto quem é Deus, o que Ele significa para você, e o que Ele será para você; estude o que é o pecado, e o que é a condenação e o que ele merece. Estude quem é Cristo, o que Ele fez e o que sofreu por você, e o que Ele está querendo fazer, se você não O negligenciar. Estude o que é o mundo, e o que, em última análise, o pecado fará a você. Estude o que é a glória eterna que você pode ter com Deus, se não a perder, por causa da sua loucura. Estude o que é a fé, o que é arrependimento, o que são o amor e a alegria, e o que é uma vida santa e celestial, e quão pouca razão você tem para ter medo dessas. Se esse entendimento apossar-se profundamente de você, ele influenciará o seu coração, e fará de você um converso resoluto e confirmado.

Mas, se ao invés disso, você apenas parece ter se arrependido, mas mal sabe o porquê, e adota a vida cristã antes de ser totalmente possuído pela sua natureza, bases e razões, não é de admirar que venha rapidamente a se perder nas trevas, a hesitar, a ser enganado, e a ficar perplexo por causa de qualquer astuto que venha a colocar em dúvida tudo o que você tem feito; ou que venha a correr de um grupo para outro, a seguir qualquer um que lhe conte uma mentira razoável; e nunca venha a saber no que se fixar, nem a saber quando está ou não no caminho certo.

As apreensões da mente movem o homem por inteiro. A sabedoria é o guia e a âncora da alma. Pecar é cometer insensatez, e pecadores são insensatos. O júbilo deles é o júbilo dos insensatos, e a música deles é a música dos insensatos. Sim, o melhor das suas obras, enquanto se recusam a ouvir e a obedecer, não passa de sacrifício de in¬sensatos. Isto não é próprio da casa de Deus, 'pois Deus não tem prazer nos insensatos'. Tal homem precisa ter discernimento dEle, e compreender o que lhe for possível, a fim de que possa ser servo do Deus dos Céus, escapar dos enganos do Diabo astuto, e alcançar o Céu por meio de tantas dificuldades que surgem diante de si. Portanto, acima de tudo o que puder adquirir, 'adquire a sabedoria'.

Parte do Livro "Medita estas coisas coisas" de Richard Baxter, editado pela Clássicos Evangélicos, e atualmente pela Knox Publicações. Para ler o livro completo clique aqui. Para comprar o livro impresso na nova edição clique no seguinte link: Medita Estas Coisas (Nova Edição)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição de João 10:1-18 - Jesus é o Bom Pastor (Texto e áudio) - Manoel Coelho Jr.

Meditações em Gênesis 22: A prova suprema da Fé de Abraão* - Manoel Coelho Jr.

Estudo em Gênesis 3 (Primeira parte)