Soberania Divina e a Segurança do Cristão – Manoel Coelho Jr.

não temais; estai quietos e vede o livramento do Senhor” Ex 13: 13.

Qual a base de nossa fé? A Bíblia Sagrada nos ensina que o Senhor Deus é absolutamente Soberano. Ou seja, os seus planos não serão frustrados. O que Ele decide e determina isso fará, e é isso que ocorrerá. Os seus planos são certos, não falham. As coisas são assim pelo grandioso fato de Ele ser Fiel (não mente) e Todo Poderoso. Tanto é verdade que não existem mentiras em suas promessas, como Nele está todo o Poder para cumpri-las. Esta é a base da fé cristã. Podemos confiar neste Deus, e nesta fé enfrentar as lutas da presente vida e as tentações e dificuldades espirituais em nossa caminhada cristã para o Céu.

Os inimigos de Deus e de seu povo não são independentes, ou seja, até eles estão nas mãos daquele Ser Único que de fato é independente e Todo Poderoso: O Senhor nosso Deus. Isto nos dá um grande alento e segurança. O Senhor tem o controle de tudo, tanto dos problemas e sofrimentos desta vida a que todos estamos sujeitos, como sobre os nossos inimigos espirituais, ou seja: a carne o mundo e o diabo. Inimigos estes que tentam atrapalhar a nossa santificação. Lembremos que o próprio Jesus sofreu, em tudo foi provado e foi conduzido pelo próprio Espírito Santo ao deserto para ser tentado pelo maligno (Confira, por favor: Mt 4:4). Deus controla todas as coisas, e usa todas as coisas para o bem daqueles que o amam e são chamados segundo o seu propósito, daqueles que são os seus eleitos.. Estes com certeza vencerão, e as dificuldades e os inimigos contribuem para isso. Tudo coopera para o bem deles (Rm 8:28-30). Infelizmente as igrejas modernas têm perdido este entendimento a respeito da Soberania de Deus e devido a isso têm visto satanás quase como igual a Deus em poder. Fala-se em “batalha espiritual” num sentido em que Deus e o diabo estão disputando a alma dos homens na impressão que as forças nesta luta são iguais. Alguns crentes hoje em dia demonstram mais medo do diabo que temor e respeito ao Deus Soberano. Fala-se que Deus é soberano, mas quando procuramos entender com profundidade o ensino destas pessoas descobrimos que na verdade não creem nesta soberania. Isso se manifesta, por exemplo, com relação ao ensino sobre o diabo. Porque tem sido assim? Porque na prática, muitos têm visto satanás como independente. Não, ele não é independente! Ele também está nas mãos do Deus Soberano! Sobre ele o Senhor também possui domínio! Se o maligno ainda está solto e atuando no mundo e tentando atrapalhar a vida da Igreja, é porque o Senhor permite e tem um propósito em tudo isto. Por incrível que pareça em nossa mente limitada, podemos afirmar que os inimigos de Deus, ou seja: a carne, o mundo e o diabo, em sua luta contra Ele e sua Igreja também servirão para glorificar a Deus e de alguma forma serem usados pelo Senhor para o benefício de seu povo. O mesmo podemos dizer das dificuldades naturais desta vida. Portanto, não nos desesperemos diante das lutas. É verdade que existe uma guerra entre nós e satanás, mas o Senhor é Soberano e se manifestou em Cristo para vencê-lo (I Jo 3:8). Enfrentemos, portanto, com coragem e fé no Senhor as dificuldades, pois Ele cuida de tudo em sua infinita sabedoria, fidelidade e poder.

Mas podemos perguntar: Por que existem sofrimentos? Por que ocorrem tragédias? Por que os servos de Deus sofrem? Onde está Deus nas horas de dor? Por que Ele permite estas coisas? Perguntas como estas sempre são feitas em momentos de tristezas em nossa vida ou quando as observamos na vida de outros. Às vezes tentamos explicá-las detalhadamente. No entanto talvez na maioria dos casos o melhor é nem tentar fazer isso. Não podemos compreender totalmente os caminhos do Senhor. Por exemplo no caso de Israel diante do Mar Vermelho (Ex 13:17-14:31), poderia o povo entender por que Deus os colocou no deserto entre o Mar e o poderoso exército de Faraó? Era difícil entender estas coisas naquele momento assim como hoje muitas vezes também é difícil entendermos nossas lutas. Ora, aquele caso pode lançar grande luz em relação a esta questão. Perguntemos: Quem estava na direção de tudo? Resposta: Deus. Havia um propósito, um sentido no que Ele estava fazendo? Resposta: Sim e sempre há. Deus não faz as coisas sem motivo, sem sentido. Sempre há um propósito. Confiemos nisso mesmo que nossas mentes não entendam. O Senhor é sábio e seus caminhos ultrapassam nossa compreensão. No final, e talvez só na eternidade, ficará provado que Ele tinha razão em permitir estas coisas. Todavia apesar de não podermos explicar detalhadamente todas as situações, podemos acreditar que sempre Deus tem dois propósitos gerais em todos os seus planos: Em primeiro lugar sua própria glória. Sempre Ele será glorificado. E em segundo lugar, abençoar de alguma forma os que lhe pertencem em Cristo. Tudo coopera para a bem dos que o amam (Rm 8:28). Esta é a nossa fé.

Quando pensamos nestas coisas podemos descobrir a base de nossa confiança. O que queremos dizer é o seguinte: Se Deus é o Senhor Todo Poderoso, se Ele não mente, se seus planos sempre se cumprem não precisamos temer absolutamente nada, pois somos o seu povo, aqueles que são chamados segundo o seu propósito. Em vez de temermos, devemos crer e agir de acordo com esta fé. Lembrando novamente Israel, quando o povo viu Faraó se aproximar com seu grande e poderoso exército, sabendo os do povo que não tinham para onde escapar, ficaram extremamente temerosos. Esta angústia se manifestou em palavras de murmuração, aliás, o que é bem comum entre os que sofrem. Mas as palavras de Moisés diante disso são profundamente consoladoras para todos os servos de Deus que passam por dificuldades. Ele diz: “O Senhor pelejará por vós” (verso 14). Ora o Senhor estava no controle de tudo. O Senhor tinha levado o povo até aquela situação de aperto. O Senhor também tinha levado Faraó até lá. Em todos os acontecimentos Deus estava no controle. Portanto, diante de todo esse fato do controle divino, Moisés afirma que este mesmo Deus iria pelejar por eles. Afinal quem faz todas as coisas é Deus seguindo o seu plano soberano. Neste plano Deus tinha decidido livrar o povo. Foi para isso que Ele havia chamado Moisés. Moisés crê nisso. Crê nesse Deus Soberano que escolheu aquele povo e que decidiu livrá-lo. Deus não havia mentido e possuía todo o poder para cumprir seus propósitos. A base da fé de Moisés era o Deus Soberano. Podia confiar no Senhor. Sua segurança estava no Senhor. Para esta fé é que Moisés chama o povo de Israel. Diz: “não temais; estai quietos e vede o livramento do Senhor” (verso 13). Mais adiante nos versos 15 e 16, Moisés é exortado por Deus para agir juntamente com o povo. O povo deveria marchar, e Moisés deveria fender o Mar. A verdadeira fé gera a ação. O homem é responsável por agir pela fé. Todavia a fé da qual falamos não é qualquer crença fundamentada na louca opinião de homens que não conhecem a Deus e sua Verdade, o que hoje observamos em várias religiões falsas. A fé verdadeira é aquela baseada na revelação da vontade de Deus em sua Palavra e que leva o homem a agir procurando sempre a direção do Senhor Deus. É o soberano Deus criando a fé no coração humano e dirigindo a pessoa a agir de acordo com está fé. Assim Ele fez com Moisés. Revelou-se a ele, deu-lhe fé e passou a guiá-lo em todas as suas ações. No final é sempre Deus agindo, mesmo pela ação humana. A Ele toda a Glória! Portanto, a base da fé e ação do povo de Deus é sempre esta: Deus é Soberano. Podemos aplicar isto em duas circunstancias.

Se Ele é o Senhor Soberano, podemos crer que Deus está no controle das situações de nossa vida nesta mundo. Deus controla os acontecimentos, e, se somos seus servos, crentes em seu Filho Jesus, sempre existirá um bom propósito em todos eles. Como vimos anteriormente, isso nem sempre é fácil de entender e aceitar principalmente quando envolve grande sofrimento. Mas este é o ensino da Palavra de Deus: O Senhor é Soberano, controla tudo. Se permitir nossos problemas e sofrimentos é porque isto concorrerá para o seu Sábio Plano. Isto sempre conduzirá para a sua glória e para o nosso bem. Oh amados, creiamos nisso, firmemos nisso a nossa fé, não nos desesperemos mesmo que a coisa toda ultrapasse nossa compreensão. Deus é Soberano, Sábio, Ele está no controle! É preciso ter fé e obediência, pois quem crê demonstra esta fé na obediência a Deus. Precisamos seguir as orientações desse Deus que controla tudo. Como encontramos esta orientação? Nas Escrituras! Façamos então uso dela. Infelizmente são muitos os “evangélicos” em nosso tempo que pouco conhecem o Livro Sagrado, quase nunca leem e estudam este livro e em momentos de aperto não sabem o que fazer. Então em suas angustias ficam esperando “revelações” em formas de sonhos visões e sentimentos ou por pessoas que supostamente possuem tais “novas revelações”. E quantos seguindo estas práticas acabam piorando ainda mais seus problemas. Não, meus irmãos, não precisamos destas coisas! Não sigamos este caminho perigoso. Leia estude, medite e obedeça a Bíblia constantemente, e se porventura Deus permitir que você sofra, e você é um filho de Deus em Cristo, saiba que é para o seu próprio bem e para a glória Dele, e que é o seu dever, mesmo nestas situações, continuar crendo e obedecendo.

Lembremos também que Deus nos sustenta em nossa caminhada ao Céu. A caminhada não é fácil. Há muitos inimigos e dificuldades a enfrentar. Mas os verdadeiros crentes não perderão a sua salvação, mas sim chegarão ao Céu. Por seu Filho Jesus eles já venceram (Rm 8:28-39). Sobre estes está a promessa que Deus os dá a vitória nas tentações (I Co 10:13). Mas uma das maneiras de o Senhor nos livrar da queda é por seus avisos e advertências. Paulo mostra no capítulo 10 de I Co que os acontecimentos com Israel são advertências para nós. Portanto, que nós provemos que de fato somos do Senhor não duvidando e murmurando como alguns de Israel, mas como Calebe e Josué, fiquemos firmes nas promessas de nosso Deus Soberano, cheios de fé e de coragem para continuar lutando contra os inimigos. Perseveremos irmãos sem vacilar, pois, desde agora a coroa da justiça nos está guardada, a qual o Senhor Justo Juiz, nos dará, à nós que amamos sua vinda (II Tm 4:8). Ele é Soberano e em suas mãos estamos seguros. Amém!

Pode ser copiado e distribuído livremente, desde que indicada a fonte!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição de João 10:1-18 - Jesus é o Bom Pastor (Texto e áudio) - Manoel Coelho Jr.

Meditações em Gênesis 22: A prova suprema da Fé de Abraão* - Manoel Coelho Jr.

Estudo em Gênesis 3 (Primeira parte)