O Rei da Paz* – João 12:12-19 - Manoel Coelho Jr.





I – INTRODUÇÃO:

O extraordinário milagre da ressurreição de Lázaro operado por Cristo continua repercutindo em Jerusalém e arredores. Após ter sido ungido por Maria em Betânia Cristo ruma em direção a Jerusalém. Esta nova chega ao povo que se preparava para a Páscoa e que já tinha ouvido a respeito do grande milagre de Nosso Senhor. Estas pessoas então vão receber a Cristo com grande alegria e o exaltam como Rei de Israel. De fato o propósito do texto é apresentar a Cristo como Rei. Porém não podemos esperar que todos naquela ocasião entendessem que espécie de Rei Ele era. Na verdade nem mesmo os seus discípulos compreendiam o significado de tudo aquilo. Observamos com estes acontecimentos a dificuldade humana de entender a Palavra de Deus, o que indica que necessitamos urgentemente da graça do Alto para termos compreensão das coisas espirituais. A grande questão é: Sabemos que tipo de Rei Cristo é? Ele realmente é o nosso Rei neste sentido?


II – O REI NO ENTENDIMENTO DO POVO (Jo 12:12,13).

O povo em grande júbilo recebe Cristo com ramos de palmeiras e o proclama Rei. Eles dize “hosana” que significa “salve agora”. Cristo não contraria o povo,  pois de fato aqui ele estava se revelando como Rei. No entanto podemos crer que pelo menos grande parte deste povo tinha apenas uma compreensão materialista de Cristo como Rei. Assim como em Jo 6:15 eles viam o Senhor como um Rei político que os lideraria contra o inimigo, isto é, o Império Romano. Temos aqui um problema bastante destacado neste Evangelho que é a dificuldade dos homens de compreenderem a Verdade que Cristo estava revelando. O problema não é que a revelação seja difícil ou imprecisa, mas é que os homens amam o pecado, passando assim a interpretar todas as coisas pelo prisma de seus interesses maus (Jo 3: 19,20). No caso presente é o interesse político e materialista. Eles viam o Império Romano como o grande inimigo e consequentemente viam a Cristo, aquele que ressuscitou Lázaro, como alguém capaz de liderá-los numa luta contra este inimigo.

Todavia Cristo não era esta espécie de libertador simplesmente porque o inimigo não era Roma. Ora, onde está Roma, o Grande Império, atualmente? Não existe mais! Roma não é nada como nenhum de nossos problemas desta vida. Todos estes problemas encerram-se com a nossa morte ou com o fim de algo neste mundo que os mantêm. Mas há um inimigo que nada neste mundo pode destruí-lo, e nem mesmo a nossa morte promove seu fim. Que inimigo é este? Resposta: O pecado. O pecado é o mal dos males. O pecado é o que alimenta todos os nossos problemas desta vida. O pecado é um “combustível” que alimenta o inferno. O pecado nos torna odiosos aos olhos de Deus. O pecado atrai sobre nós a Sua Santa Ira. O pecado nos torna seus inimigos. O pecado é rebelião contra o Altíssimo. O pecado nos faz estar em guerra contra Ele. O pecado faz que Ele esteja contra nós. E se Ele está contra nós quem pode ser a nosso favor? Diante de tudo isso o que é o Império Romano? O que é a doença a pobreza, e qualquer problema desta vida? Ora, com a morte tudo isso tem um fim, mas nem a morte pode destruir nosso pecado. Se somos inimigos de Deus agora e se morrermos assim imediatamente entraremos no castigo eterno. Portanto que tolo é ver a Cristo como um libertador de “Impérios Romanos”. Hoje infelizmente muitos veem a Cristo como um mero curador, ou como aquele que prospera e resolve problemas familiares. Pensam assim porque não entendem o real problema que é o pecado. E você como vê a Cristo?

III – CRISTO É REI (Jo 12:14,15).

João deixa claro que Cristo neste evento estava cumprindo uma profecia do Antigo Testamento. Ao olharmos para tal profecia podemos entender melhor o significado de todo este evento. Leiamos:
Alegra-te muito, ó filha de Sião; exulta, ó filha de Jerusalém: eis aí te vem o teu Rei, justo e salvador, humilde, montado em jumento, num jumentinho, cria de jumenta. Destruirei os carros de Efraim e os cavalos de Jerusalém, e o arco de guerra será destruído. Ele anunciará paz às nações; o seu domínio se estenderá de mar a mar e desde o Eufrates até às extremidades da terra.” Zc 9:9,10.

O fato destacado em cada evangelho é que o Rei viria montado num jumentinho. O cavalo era um animal de guerra, mas ele vinha montado num jumento, o que significa que não vinha para fazer guerra, mas “anunciar paz às nações; o seu domínio se estenderá de mar a mar e desde o Eufrates até às extremidades da terra”. Este Rei implantará um Reinado Absoluto onde haverá a Paz. Assim, este Rei é o Rei da Paz. Isto é bem diferente do pensamento daqueles que queriam uma guerra contra o Império Romano.

No entanto que paz ele trará? Paulo diz assim: “Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo; por intermédio de quem obtivemos igualmente acesso, pela fé, a esta graça na qual estamos firmes; e gloriamo-nos na esperança da glória de Deus.” Rm 5:1,2. Cristo veio promover a Paz entre Deus e os homens. Ele fez isso vencendo o inimigo, o pecado, na Cruz, “pois todos pecaram e carecem da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus, a quem Deus propôs, no seu sangue, como propiciação, mediante a fé, para manifestar a sua justiça, por ter Deus, na sua tolerância, deixado impunes os pecados anteriormente cometidos; tendo em vista a manifestação da sua justiça no tempo presente, para ele mesmo ser justo e o justificador daquele que tem fé em Jesus.” Rm 3:23-26.

Por isso o profeta Malaquias também nos diz: “Naquele dia, haverá uma fonte aberta para a casa de Davi e para os habitantes de Jerusalém, para remover o pecado e a impureza.” Zc 13:1. E acrescentemos que é em estar em paz com Deus que promovemos a Paz entre os homens. Por isso se diz: “Destruirei os carros de Efraim e os cavalos de Jerusalém, e o arco de guerra será destruído. Ele anunciará paz às nações; o seu domínio se estenderá de mar a mar e desde o Eufrates até às extremidades da terra.”. Se Cristo Reina sobre nós já estamos em paz com Deus, pois Nele nossos pecados foram justificados, visto que morreu em nosso lugar. E se assim é também seremos promotores da Paz entre os homens. Mas esta paz será efetiva apenas no mundo vindouro, quando Cristo Reinará e não haverá resquício algum do pecado.

Reflitamos então nas seguintes questões: Cristo já é nosso Rei neste sentido? Ele é para nós o Rei da Paz? Já estamos em Paz com Deus? Somos pacificadores?

IV – ENTENDIMENTO TARDIO E ENTENDIMENTO EQUIVOCADO (Jo 12:16-19).

Os discípulos não entenderam logo o significado de tudo o que acontecia. Vieram a entender apenas depois de Cristo ser glorificado, isto é, depois de sua morte e ressurreição. Mas os fariseus nunca entenderam. Sempre se equivocaram. Olharam tudo aquilo temendo um levante do povo contra Roma, o que poderiam tirar deles o poder temporal que amavam (Jo 11: 47-50). Mas se os discípulos depois entenderam foi porque o Espírito os esclareceu (Jo 16: 12,13). Porém com os Fariseus isto não ocorreu, mas ao contrário Deus “Cegou-lhes os olhos e endureceu-lhes o coração, para que não vejam com os olhos, nem entendam com o coração, e se convertam, e sejam por mim curados.” Jo 12:40.  Que esteja bem claro em nossa mente que o entendimento vem de Deus. É pura graça. Assim, que todos clamemos por esta graça, suplicando que Deus nos guarde de nosso próprio coração enganoso, que por causa dos bens temporais acaba por desprezar a Cristo. O que tem acontecido conosco? Temos entendido que Cristo é o Rei da Paz?

V – CONCLUSÃO:

Cristo é o Rei da Paz. Ele nos reconcilia com Deus justificando-nos de nossos pecados em sua morte na Cruz. Nele somos feitos pacificadores. Já entendemos quem Ele é? Já cremos Nele? Ele já é nosso Rei da Paz?

Pode ser copiado e distribuído livremente, desde que indicada a fonte, a autoria, e o conteúdo não seja modificado!

*Pregação da noite de domingo, 10 de agosto de 2014, na Congregação Batista Reformada em Belém.

Para os livros do blog clique aqui.

Leitura recomendada:

Necessário Vos é Nascer De Novo* - Thomas Boston.


Conheça e inscreva-se nas páginas do blog no Youtube e Facebook :

 Create your own banner at mybannermaker.com!

Create your own banner at mybannermaker.com!

Acesse também:

Create your own banner at mybannermaker.com!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição de João 10:1-18 - Jesus é o Bom Pastor (Texto e áudio) - Manoel Coelho Jr.

Meditações em Gênesis 22: A prova suprema da Fé de Abraão* - Manoel Coelho Jr.

Estudo em Gênesis 3 (Primeira parte)