Estudos sobre o Apóstolo Paulo – A Religião Egoísta* – Fp 3:6 – Manoel Coelho Jr.






Segue o resumo do estudo atual...


quanto ao zelo, perseguidor da igreja

Filipense 3: 6.

Os Dez mandamentos dividem-se em duas partes. Os quatro primeiros se relacionam diretamente a Deus, e os seis últimos aos próximos. Cristo os resumiu assim: “Respondeu Jesus: O principal é: Ouve, ó Israel, o Senhor, nosso Deus, é o único Senhor! Amarás, pois, o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e de toda a tua força. O segundo é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes.” (Mc 12:29-31). Assim, não há amor ao próximo antes que se ame a Deus, ou, é somente quando amo a Deus que amarei ao próximo de fato. Consequentemente a religião falsa não é uma religião de amor ao próximo, mas de egoísmo. Por isso Paulo perseguia a Igreja. Explicando melhor, o homem que odeia a Deus cria um ídolo que chama de “Deus”. Este ídolo satisfaz seus desejos egoístas. Na verdade neste caso o homem está no centro e cria um deus para lhe servir. A consequência é que procura um falso profeta que lhe diga que seu deus é de fato deus. Temos então que o falso profeta proclama um deus agradável à multidão, com o objetivo de alcançar dela benefícios temporais. Por sua vez a multidão não é inocente, mas o segue porque o “deus” proclamado por ele satisfaz seus desejos egoístas. Portanto o que temos aqui não é o amor cristão altruísta, que serve o próximo porque conhece o amor de Deus e o ama, mas o interesse egoísta que usa o próximo para o seu benefício próprio. E isso de ambos os lados. Ora, só existem os vigaristas porque existem aqueles que querem ganhar algo facilmente. Assim só existem os falsos profetas porque existem pessoas que amam ser iludidas quanto a seus desejos religiosos egoístas. Esta é a religião do pecado. A religião egoísta que não ama a Deus, não ama ao próximo, não o serve, mas tenta dele se aproveitar. Não há aqui altruísmo, mas egoísmo. Não há aqui serviço, mas interesse. Não há aqui genuíno amor cristão, mas ódio disfarçado de amor. 

Podemos resumir estes fatos nas seguintes proposições:

1 – A religião do pecado produz um falso serviço a Deus.

Eles vos expulsarão das sinagogas; mas vem a hora em que todo o que vos matar julgará com isso tributar culto a Deus.

João 16:2.

O “Deus” que se serve é uma ilusão. Assim o culto também é ilusão.

2 – A Religião do pecado é uma revolta contra o verdadeiro Deus.
Quem me odeia também a meu Pai.

 João 15:23

O pecado é ódio a Deus. A religião do pecado é uma manifestação deste ódio.

3 – A religião do pecado é uma fábrica de ídolos.

vem a hora em que todo o que vos matar julgará com isso tributar culto a Deus

Jo 16: 2.

O “Deus” da religião do pecado é um “Deus” segundo o coração dos homens ímpios. Portanto, é um ídolo e não o Deus verdadeiro.

4 – A Religião do pecado é uma união pela idolatria.

e disse: Eis que vejo os céus abertos e o Filho do Homem, em pé à destra de Deus. Eles, porém, clamando em alta voz, taparam os ouvidos e, unânimes, arremeteram contra ele. E, lançando-o fora da cidade, o apedrejaram. As testemunhas deixaram suas vestes aos pés de um jovem chamado Saulo.

Atos 7:56-58.

Unanimes se voltaram não simplesmente contra Estêvão, mas contra Cristo que Estêvão pregava. Note: Unânimes. Trata-se de uma união contra Deus e a favor de seu falso “Deus”.

5 – A Religião do pecado é uma união sem amor genuíno, e sempre com interesses egoístas.

e disse: Eis que vejo os céus abertos e o Filho do Homem, em pé à destra de Deus. Eles, porém, clamando em alta voz, taparam os ouvidos e, unânimes, arremeteram contra ele. E, lançando-o fora da cidade, o apedrejaram. As testemunhas deixaram suas vestes aos pés de um jovem chamado Saulo.

Atos 7:56-58.

Nem toda união implica em amor cristão. Mas no caso da religião do pecado, é simplesmente uma união em prol dos interesses egoístas de cada membro do grupo, o que pode chegar atém em assassinato de cristãos. Em nome da “união” os homens já praticaram verdadeiros genocídios. Isso também é real no meio religioso.

6 – A religião do pecado é sempre uma manifestação de egoísmo e ódio ao próximo.

E ainda que eu distribua todos os meus bens entre os pobres e ainda que entregue o meu próprio corpo para ser queimado, se não tiver amor, nada disso me aproveitará.

I Coríntios 13:3.

É possível distribuir riqueza e dar o corpo para ser queimado e ainda assim não ter amor cristão. É possível fazer tudo isso servindo a um falso Deus. Consequentemente é possível fazer tudo isso com os fins puramente egoístas, ou seja, com o alvo dos interesses próprios e não para o real bem dos próximos. Assim na religião do pecado nunca se ama de fato as pessoas.

7 – A Religião do pecado é sempre uma manifestação de ódio a Igreja.

 quanto ao zelo, perseguidor da igreja

Filipense 3: 6.


A Religião do pecado é idolátrica. Por isso odeia a Igreja, pois esta revela o verdadeiro Deus. 

Pode ser copiado, distribuído, e traduzido livremente para outro idioma, desde que indicada a fonte, a autoria, e o conteúdo não seja modificado.

*Estudo da EBD de 29 de Março de 2015, na Congregação Batista Reformada em Belém.


Leitura recomendada:


















Conheça e inscreva-se nas páginas do blog no Youtube e Facebook :

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição de João 10:1-18 - Jesus é o Bom Pastor (Texto e áudio) - Manoel Coelho Jr.

Meditações em Gênesis 22: A prova suprema da Fé de Abraão* - Manoel Coelho Jr.

Estudo em Gênesis 3 (Primeira parte)