Como você procede em meio aos castigos? - Edson Rosendo*

Castigo é a retaliação da lei dos homens e da lei de Deus contra os pecados cometidos pelos homens. Quando pecam contra a sociedade, a lei dos homens os pune, e quando pecam contra a lei de Deus, Deus os pune (no tempo de hoje, acontece o absurdo de alguém cometer um ato que seja considerado transgres-são da lei de Deus, mas não o ser pela lei dos homens). Mas o certo é que, quando os homens transgridem as leis, são punidos, são castigados. O castigo é sempre a hora da dor, a hora em que os homens lamentam os crimes cometidos. As dores os afligem a tal ponto que o lamento é inevitável. É nesse ponto que muitos blasfemam contra Deus, acusando-o de lhes infligir tais sofrimentos, como se Deus fosse o culpado pelas transgressões que praticaram. Os homens querem transgredir, mas não querem sofrer as penalidades, como se isso fosse possível.

Por outro lado, há daqueles que reconhecem as dores pelas quais passam, identificando-as como justas, como merecidas, em retaliação a tudo quanto praticaram. Esses inocentam Deus de tudo quanto sofrem, mas atribuem somente a si mesmos o mérito das dores que suportam. Essa é a postura correta, justa, de alguém que sofre os castigos pelos seus atos. Podemos citar o exemplo dos dois ladrões que foram crucificados com Jesus. Enquanto, em certo momento, um blasfemava e desafiava Deus, o outro, em atitude de humildade, dirigiu-se a Deus em humilhação, reconhecendo sua culpa. Um, sob castigo, dirigiu-se a Deus em soberba, em orgulho, em desafio, sem reconhecimento de seu pecado, do seu demérito. O outro, sob castigo, dirigiu-se a Deus em humilhação, reconhecendo o mérito de seu castigo, e pedindo a Deus misericórdia por si. E Jesus, numa condição de grande sofrimento e afronta (porém sem que isso diminuísse em absolutamente nada o seu status de Deus), de forma soberana e autoritativa, perdoou o suplicante em humilhação, deixando o soberbo debaixo das dores do seu castigo, sob a culpa da sua condenação, sem lhe prover qualquer alívio. Deus é justo e todos os nossos castigos são merecidos, ninguém podendo atribuir a Deus falta alguma. Portanto, aprendamos a proceder bem quando estivermos sob castigo.

*Pastor da Primeira Igreja Batista Reformada em Caruaru.

Pode ser copiado e distribuído livremente, desde que indicada a fonte, a autoria, e o conteúdo não seja modificado!

Leitura sugerida:

Correção: Uma Prova do Amor de Deus


Correção: Uma Prova do Amor de Deus

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição de João 10:1-18 - Jesus é o Bom Pastor (Texto e áudio) - Manoel Coelho Jr.

Meditações em Gênesis 22: A prova suprema da Fé de Abraão* - Manoel Coelho Jr.

Exposição de Gênesis 11: O projeto fracassado e o projeto vitorioso!