A Consciência e a Verdade - Edson Rosendo*

A consciência é “a voz de Deus no coração do homem”. A carta aos romanos afirma que a consciência aprova ou desaprova os atos de todos os homens, isto é, quando eles acertam, a consciência lhes aprova os atos, e quando eles erram, a consciência lhes desaprova os atos. É verdade que a consciência do pecador está anuviada, anestesiada, cauterizada, porém, não de todo. Há sempre aquele saldo de lucidez que lhe desaprova ou aprova os atos. Ninguém está de todo anestesiado.

Quando os pregadores do Senhor, os proclamadores da verdade se levantam nos quatro cantos da terra, a pregação tem a função de chamar as consciências a partir de um estado de torpor para uma estado de condenação, para que entendam o quanto estão em falta com Deus. E nesse processo as consciências são despertadas e entendem o quanto estão distantes do padrão requerido por Deus, entendem que são merecedoras dos castigos com os quais podem contar todos os que vivem fora desse padrão, e por tudo isso suas consciências lhes atormenta o ser. Os homens ouvem a verdade, as suas consciências são despertadas, e então eles ficam querendo fazer o bem sem conseguir, e querendo evitar o mal que não conseguem deixar de praticar, e tudo isso lhes causa dores terríveis. A dureza dos seus corações lhes comanda as ações. Então, na vida de todos eles chegam aqueles momentos em que a verdade cumpre aquilo que prometera fazer, e eles, sem ter se arrependido, são atormentados mais ainda nas suas consciências, porque viram que as ameaças da verdade se cumpriram à risca. A Escritura está farta de exemplos dessa natureza: os homens antediluvianos zombaram do pregador Noé, porém, quando começou o dilúvio, eles foram atormentados; Assim também os habitantes de Sodoma e Gomorra. Muito mais foram acometidos nas suas consciências os homens que participaram do martírio de Jesus, pois quando Ele estava crucificado, com a vida na iminência de se esvair, e mesmo depois que Ele entregou o espírito, os homens presentes caíram em si, nas suas consciências, e foram acometidos dos maiores terrores imagináveis, pois viram a verdade de uma situação que eles ouviram que iria acontecer, não deram crédito, e agora estão diante dela. Que cada qual procure estar de bem com a sua consciência, como recomenda a escritura: “Me esforço por ter consciência pura diante de Deus e dos homens” (Atos 24.16).

*Pastor da Primeira Igreja Batista Reformada em Caruaru.

Pode ser copiado e distribuído livremente, desde que indicada a fonte, a autoria, e o conteúdo não seja modificado!

Leitura recomendada:

Quebrantamento (Nova Edição)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição de João 10:1-18 - Jesus é o Bom Pastor (Texto e áudio) - Manoel Coelho Jr.

Meditações em Gênesis 22: A prova suprema da Fé de Abraão* - Manoel Coelho Jr.

Estudo em Gênesis 3 (Primeira parte)