O Culto Cristão e o culto pagão (Áudio, vídeo e texto)* - Manoel Coelho Jr.



Acesse o vídeo clicando aqui.

Baixe o Mp3 clicando aqui.

Das filhas de Israel não haverá quem se prostitua no serviço do templo, nem dos filhos de Israel haverá quem o faça. Não trarás salário de prostituição nem preço de sodomita à Casa do SENHOR, teu Deus, por qualquer voto; porque uma e outra coisa são igualmente abomináveis ao SENHOR, teu Deus.” Dt 23:17, 18.

Lemos no início deste culto Mateus 12:38 em diante, onde Nosso Senhor repreende aquela geração de seu tempo por não se arrepender diante Dele que era maior que Jonas e Salomão. Aquela geração não deixava suas abominações, sua falsa religião para ouvir o Senhor Jesus. Mas assim não agiram os ninivitas da época de Jonas e nem a Rainha do Sul diante de Salomão. Cristo os alerta que devido a sua incredulidade eles iam se afastar ainda mais da Verdade. A apostasia iria aumentar, a luz ia se apagar cada vez mais e as trevas se avolumariam. O Senhor diz ainda no mesmo trecho que a sua família são aqueles que ouvem a sua Palavra. Tudo isso mostra que o arrependimento real está ligado a disposição de ouvirmos a Jesus Cristo. Ele á maior que Jonas e Salomão, é maior que todos os profetas do Antigo Testamento. Ele é O Profeta prometido. Assim ninguém se arrepende se não der atenção as Palavras de Cristo. Todos os homens precisam se arrepender. Mas aqueles que teimosamente não se arrependem, não ouvindo a Palavra, cairão em uma cegueira ainda maior. O diabo tomará estas pessoas e as levará a escuridão crescente. Nosso Senhor nos deixa entender isso no mesmo trecho de Mateus.

Mas satanás é apenas um dos inimigos que temos. Segundo a Bíblia temos outros dois: A carne e o mundo. O mundo é este sistema presente, e a carne é nossa natureza pecaminosa, o pecado que está em nós. O arrependimento significa um rompimento com essas forças.  É deixar de ouvi-las. O homem antes de se arrepender está completamente dominado por elas. Está dominado por seu próprio coração perverso que ama a mentira. Também está dominado pelo diabo que o tem na mão e o conduz por seus enganos como ocorreu em em Gênesis 3. Cada geração tem seguido o terrível exemplo de Adão e Eva porque eles são filhos do diabo. Eles gostam do que o diabo gosta e lhes apresenta. Eles amam a mentira e seguem aquilo como quem vai beber água. Também o homem não arrependido é dominado pelo mundo. Ele faz e segue o que os outros pensam e fazem. Ele segue a cultura pecaminosa em sua volta porque gosta do caminho do pecado que lhe é apresentado. Isso é o secularismo. Assim estas três forças estão atuando com toda a potência na vida do homem que ainda não se arrependeu. Mas devemos dizer elas também tentam influenciar os cristãos. O diabo continua tentando-os, o mundo procura seduzi-los, e a natureza pecaminosa se insinua. Enquanto estamos neste mundo a luta é constante. Não há tréguas. A vida cristã é uma batalha permanente. Todavia, os verdadeiros cristãos vencem, pois maior é o que está neles que o que está no mundo ( I Jo 4:4).

Mas, temos visto no estudo da Declaração de Cambridge que o problema das igrejas modernas é o secularismo. A “Igreja” moderna se transformou numa igreja mundana. O evangelicalismo moderno é mundano. Perdeu-se a essência do verdadeiro evangelicalismo que é o Evangelho resgatado pela Reforma Protestante. Lembremos que a Reforma resgatou o ensino do genuíno Evangelho da Bíblia e esteve em sintonia com aqueles que de fato seguiram a Verdade ao longo da história do cristianismo. Ora, a Igreja Romana nas suas tradições espúrias havia pervertido e se afastado do Evangelho. Porém, evangélico é aquele que segue o verdadeiro Evangelho bíblico, o que se mostra de forma especial na questão da defesa de Justificação pela fé em Cristo, que a Igreja Romana tinha pervertido ao acrescentar os méritos humanos. Infelizmente o evangelicalismo moderno traiu tudo isso. Ele se colocou do lado da apostasia romana. Ele fez com que o Evangelho se transformasse em marketing. Ele transformou as igrejas em lojas e supermercados que querem ganhar clientes e se submetem a vontade do freguês. Assim a pregação e a vida dos evangélicos passam cada vez mais a agradar este mundo pecador.  O mundo entrou na “Igreja” fazendo o inverso do que Cristo disse ao comparar seus discípulos com o sal e a luz. As igrejas de hoje lamentavelmente em vez de lutarem contra a corrupção do mundo estão apodrecendo com ele. As igrejas em vez de iluminarem o mundo estão se contaminando com suas trevas. O mundo está na “Igreja evangélica” infelizmente.

O texto que li no início da mensagem nos alerta contra esse secularismo. Deus diz aqui que o que acontece com os outros não deve acontecer com seu povo.  Das filhas de Israel não haverá quem se prostitua no serviço do templo, nem dos filhos de Israel haverá quem o faça.”. Ele está se referindo a prostituição cultual, a prostituição no culto que era algo muito comum entre aqueles povos da terra. Havia prostitutas e prostitutos que praticavam seus atos obscenos nos rituais de fertilidade. Isso era feitos por aqueles povos pagãos que não tinham a Palavra de Deus. Mas, o Culto Genuíno é ao Senhor e consequentemente Santo, Puro. Deus é Santo. Deus é Puro. Evidentemente o Culto a Deus tem que ser Santo também. O fato é que quanto mais conscientes nós estamos sobre quem é Deus, mais nosso culto é santo e puro. Da mesma forma, quanto menos conhecimento temos de Deus, mais nosso culto é profano, pagão, impuro. Em outras palavras, aquelas pessoas das ditas nações não conheciam a Deus. Observem que há uma fome nos homens que os faz buscar a divindade, mas nunca, a não ser que Deus se revele, eles descobrirão o verdadeiro Deus. Se eles não têm conhecimento do verdadeiro Deus, então criam deuses para si. Esses deuses são de acordo com o coração deles. Se vocês tomarem os deuses pagãos logo descobrirão que tais deuses em nada diferem de seus criadores. São deuses tão impuros como os que os imaginaram. A Bíblia diz que Deus criou o homem a sua imagem e semelhança. Como Deus é Santo o homem foi criado santo. Mas os homens pecaram e perderam a santidade. Logo deixaram a Deus e passaram a adorar a criatura no lugar do Criador (Rm 1).  Esses deuses falsos são criações do homem no pecado. Usando uma comparação com a criação do homem por Deus, os homens no pecado também criaram deuses a sua imagem e semelhança. Percebe? Esses deuses são como seus criadores, isto é, impuros, pecadores. Esses deuses satisfazem o ego pecaminoso dos homens.  Satisfazem o amor ao pecado.   

Para entendermos melhor quero levar-lhes a questão da sexualidade. Nós contatamos ao estudarmos a Bíblia como a sexualidade foi pervertida pela o pecado. Deus criou o casal santo e deu-lhes a relação sexual como expressão do amor e para a procriação. Com a entrada do pecado surgiram as perversões sexuais. Temos a bigamia do perverso Lameque em Gênesis 4, e a homossexualidade em Gênesis 19 em Sodoma. Assim o pecado vai pervertendo a sexualidade.  Deus criou o casamento santo, e o sexo para o casal, mas o pecado tomou o que Deus criou e o perverteu. O Casamento é tão santo que inclusive ilustra a relação entre Cristo e sua Igreja, mas o pecado toma a criação de Deus para o casamento, a relação sexual, e a transforma em algo imundo. Daí vem bigamia, poligamia, homossexualidade, prostituição e todas as demais perversões. Tudo isso fizeram os homens ao seguir seus corações pecaminosos. Quando os mesmos homens criaram suas religiões e seus deuses eles transferiram estas perversões para o culto. Seus deuses são cheios de luxúria.  Assim temos a mesma luxuria levada para o culto, e seus deuses satisfazem a mente carnal. Observemos que tudo isso é muito atual. Os homens sempre criam religiões, cultos, e deuses que satisfazem seu coração mau. Isso acontecia naquelas nações em volta de Israel.

Quando você compara o culto em Israel, que era o Culto prescrito por Deus, com o culto daquelas nações, você vê imediatamente um disparate, um contraste muito grande. Infelizmente nem sempre Israel obedeceu a Deus, mas várias vezes se contaminou com o culto pagão seguindo suas práticas. Mas o Culto prescrito por Deus em sua Lei era limpo do paganismo. Não havia prostituição cultual. Também não havia sacrifício de crianças, nem imagens para adoração. A diferença entre o Culto prescrito e o culto pagão era tão grande como a diferença entre luz e trevas. Mas qual a razão desta diferença tão grande? É que em Israel havia algo fundamental como base do culto. O que? É que Deus tinha se revelado a Israel. Os outros povos não possuíam esta revelação. Mas Deus tirou Abraão dentre os pagãos e se revelou a ele. Deus chamou a Moisés e lhe deu sua Lei. Esta era a diferença fundamental: A Revelação. Disso também o Senhor Jesus fala ao afirmar que era maior que Jonas e Salomão em Mt 12. Ora, Cristo é a Revelação suprema de Deus. O Antigo Testamento já o revelará progressivamente, mas então no tempo do Novo Testamento Ele mesmo revestiu-se de humanidade e habitou entre nós. Assim devemos ver este fato claramente: Os pagãos não conheciam a Deus, pois não tinham sua Revelação. Já Israel O conhecia, pois tinha tal Revelação. Isso fazia toda a diferença. As nações pagãs criavam deuses tão pecaminosos como eles, possuindo assim um culto imundo. Mas Israel, ao contrário, conhecia o Verdadeiro Deus e tinha um Culto Puro e Santo. Por quê? Porque Deus é Santo. No livro de Levítico isso é muito enfatizado. Veja:

Eu sou o SENHOR, vosso Deus; portanto, vós vos consagrareis e sereis santos, porque eu sou santo; e não vos contaminareis por nenhum enxame de criaturas que se arrastam sobre a terra. Eu sou o SENHOR, que vos faço subir da terra do Egito, para que eu seja vosso Deus; portanto, vós sereis santos, porque eu sou santo.” Lv 11:44,45.

Fala a toda a congregação dos filhos de Israel e dize-lhes: Santos sereis, porque eu, o SENHOR, vosso Deus, sou santo.” Lv 19:2.

Ser-me-eis santos, porque eu, o SENHOR, sou santo e separei-vos dos povos, para serdes meus.” Lv 20:26.

Disse o SENHOR a Moisés: Fala aos sacerdotes, filhos de Arão, e dize-lhes: O sacerdote não se contaminará por causa de um morto entre o seu povo, salvo por seu parente mais chegado: por sua mãe, e por seu pai, e por seu filho, e por sua filha, e por seu irmão; e também por sua irmã virgem, chegada a ele, que ainda não teve marido, pode contaminar-se. Ele, sendo homem principal entre o seu povo, não se contaminará, pois que se profanaria. Não farão calva na sua cabeça e não cortarão as extremidades da barba, nem ferirão a sua carne. Santos serão a seu Deus e não profanarão o nome do seu Deus, porque oferecem as ofertas queimadas do SENHOR, o pão de seu Deus; portanto, serão santos. Não tomarão mulher prostituta ou desonrada, nem tomarão mulher repudiada de seu marido, pois o sacerdote é santo a seu Deus. Portanto, o consagrarás, porque oferece o pão do teu Deus. Ele vos será santo, pois eu, o SENHOR que vos santifico, sou santo.” Lv 21;1-8.

E Pedro diz:

Como filhos da obediência, não vos amoldeis às paixões que tínheis anteriormente na vossa ignorância; pelo contrário, segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos em todo o vosso procedimento, porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo. I Pe 1:14-16.

Se Deus é Santo o Culto também é santo e o adorador deve ser purificado, santificado. Como os israelitas eram pecadores, como todos nós, era preciso os sacrifícios que os purificassem. Esse sacrifícios apontavam para Cristo o “Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” Jo 1:29. Cristo é o que purifica nosso culto. É por Ele que nos apresentamos diante deste Santíssimo Deus para adorá-lo. Nunca poderíamos nos achegar a Deus em adoração se não fosse por Jesus Cristo. Nós vamos a Ele em Espírito e em Verdade (Leia Jo 4) . Vamos a Ele conforme tem se revelado, dirigidos por seu Espírito, e purificados por seu Sangue, tendo a Ele como Nosso Advogado. Israel possuía toda estas promessas e revelações. Israel conhecia a Deus. Por isso tinha um Culto tão diferente do culto pagão. Eles sabiam quem era Deus. Eles conheciam o Deus Verdadeiro. Os pagãos, ao contrário, só tinham ídolos, criações humanas, ilusões de demônios. Quanta diferença! Os ídolos são fantasias, são falsos. Mas Deus é Real, é o Único Deus, Criador de todas as coisas, Revelado em sua Lei, Revelado em sua Palavra. Deus revelou-se ao seu Povo e disse “Tomar-vos-ei por meu povo e serei vosso Deus; e sabereis que eu sou o SENHOR, vosso Deus, que vos tiro de debaixo das cargas do Egito.” Ex 6:7. Por isso o culto em Israel era purificado da prostituição. Ora, de onde vinha aquela prostituição cultual? Resposta: Do pecado no coração que criava deuses amantes da mesma. Mas sendo Deus conhecido a prostituição era descartada. De onde vinham os sacrifícios de crianças? Também vinham da loucura do coração humano que criava deuses que se satisfaziam com aquelas atrocidades. Sendo Deus conhecido tais sacríficos eram completamente descartados, pois para o Deus Santo sacrifício de inocentes é abominação. Dessa forma, o Culto Verdadeiro ao Deus Verdadeiro será purificado de todas estas coisas imundas.

Quais as conclusões de tudo o que até aqui falamos? São as seguintes:

A – Quanto mais eu conheço a Deus, mas o meu Culto é Verdadeiro. Consequentemente, quanto menos eu conheço a Deus, menos o meu culto é verdadeiro.


B – Quanto mais eu conheço a Deus, mais o meu Culto é cristão, genuinamente cristão, bíblico, evangélico. Quanto menos eu conheço a Deus, menos o meu culto é cristão, bíblico, evangélico. Quanto menos eu conheço a Deus, mais o meu culto é pagão.


C – Quanto mais eu conheço a Deus, mais o meu culto deixa de ser uma criação minha, pois o Deus que eu conheço é Verdadeiro, é o Deus que se revelou, e não um deus inventado por mim. Ele é e se Revelou. O Culto Verdadeiro é Verdadeiro porque Deus é Verdadeiro. Todavia, quanto menos eu conheço a Deus mais o meu culto é mentiroso, pois eu começo a criar uma ilusão sobre Deus. Eu começo a criar um deus conforme ache que ele deve ser.


D – Quanto menos eu conheço a Deus, mais eu servirei a um deus falso e, como os antigos pagãos, tal deus se adequará a minha pecaminosidade, a minha imundície. Será um “deus” de acordo com os pagãos. Entrando no nosso texto este será um Deus secular, mundano, um deus que o mundo ama.


E – Quanto mais eu conheço a Deus, mais eu me afasto do “deus mundano” e mais eu desagrado os homens, mais eu desagrado este século. Quanto menos eu conheço a Deus, menos agradarei a Ele, e mais agradarei ao mundo, pois sirvo ao “deus mundano”, ao “deus pagão”.  Serei como os pagãos que colocavam até a prostituição em seus cultos, visto que o deus deles aceitava tal impureza. Naturalmente que tal deus era muito conveniente e aceitável para aqueles ímpios.


F – Quanto mais eu conheço a Deus, menos mundano eu sou, e menos eu pratico um culto mundano, um culto que seja agradável aos mundanos. Quanto menos conheço a Deus, mais mundano serei e também meu culto o será, sendo assim muito agradável aos mundanos.


G – Quanto mais eu conheço a Deus mais meu culto será sério, santo, e puro. Deus será Central em meu Culto, pois é o adorado. Mas, quanto menos eu conheço a Deus, mais adoro a um deus criado por mim, que está ali para me satisfazer. Nesse caso quando me reúno aos outros “Cristãos” não o faço para cultuar a Deus, mas para que Deus me cultue, para que ele satisfaça meus desejos egoístas. Eu passo assim a ser o centro e Deus o meu servo. Que horrível!


H – Quanto mais eu conheço a Deus, mais estou disposto a perder tudo por Ele se assim for preciso, pois o amo. Mais, quanto menos eu conheço a Deus, menos estou disposto a perder coisas por Ele, visto que neste caso tudo é de mais valor que Deus para mim. Isso se reflete no culto que deixará de ser teocêntrico para ser antropocêntrico. Eu passo a querer participar do culto para ser satisfeito, e Deus de fato não é importante.


I – Quanto mais eu conheço a Deus, menos vou querer os “sinais”. Não seguirei a atitude dos questionadores de Mateus 12:38 que queriam um sinal de Cristo. Agirei assim porque não vou querer um espetáculo, mas a Deus. Estarei, neste caso, satisfeitíssimo com o próprio Jesus.  Mas, quanto menos eu conheço a Deus, mais eu quero “sinais”, pois o miraculoso será mais interessante que Deus. Isto também implica em que quanto mais conheço a Deus, menos busco prosperidade material, pois o dinheiro não será meu Deus. Mas se conheço pouco a Deus, mais quero dinheiro e riquezas, como também curas e outras coisas, e Deus será apenas um trampolim para que eu alcance prosperidade e o que busco. Como esse Deus não existe, então eu crio um. Como um cristo assim não existe, então eu crio um, e ainda digo que adoro o Cristo da Bíblia. Mas será mais um deus pagão, um cristo pagão, e não o Cristo Verdadeiro. Tal deus pagão agradará a muitos e poder ser que meus cultos sejam bem frequentados. Será assim exatamente porque é um deus pagão, um deus criado por ímpios, um deus mundano, que agrada aos mundanos.

Toda a distorção que cito acima é paganismo, mundanismo, secularismo, religião pagã, culto pagão. É religião demoníaca, pecaminosa, carnal e que logo receberá o Juízo de Deus. Jesus disse: “Ninivitas se levantarão, no Juízo, com esta geração e a condenarão; porque se arrependeram com a pregação de Jonas. E eis aqui está quem é maior do que Jonas. A rainha do Sul se levantará, no Juízo, com esta geração e a condenará; porque veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão. E eis aqui está quem é maior do que Salomão.” Mt 12:41, 42. Aquelas pessoas a quem Cristo fala pensavam que cultuavam a Deus, mas de fato não o Conheciam, e assim seu culto era falso, e em breve seriam condenados.

Nosso texto base está cheio de todas estas implicações que temos meditado. Deus diz:  Das filhas de Israel não haverá quem se prostitua no serviço do templo, nem dos filhos de Israel haverá quem o faça. Não trarás salário de prostituição nem preço de sodomita à Casa do SENHOR, teu Deus, por qualquer voto; porque uma e outra coisa são igualmente abomináveis ao SENHOR, teu Deus.” Dt 23:17, 18. A prostituição não podia ser admitida no culto, pois é impureza. Deus é puro e a abominação o ofende. Assim não poderia existir prostituição cultual. Ninguém em Israel poderia praticar tal abominação. Nem homem, nem mulher. Ora, a prostituição é absolutamente incompatível com o culto ao Santo Deus.  Deus também proíbe trazer dinheiro para tal abominação. Que não aja nem prostituição no culto nem quem traga dinheiro para tal. Essa é a ordem de Deus. E observe que nenhum voto poderia purificar uma coisa dessas, por mais razoável que alguém o considerasse. E tudo era assim pelo fato de Deus ser quem é: “porque uma e outra coisa são igualmente abomináveis ao SENHOR, teu Deus.”. Portanto é incompatível ter prostitutas ou prostitutos no culto. É incompatível trazer salario para prostituição cultual, pois Deus é Santo. Mas isso não era praticado ativamente pelas outras nações? Não fazia aparte da cultura dos outros povos? Sim! Mas tudo isso era abominação diante do Santo Deus. Por isso o Senhor diz a seu povo: Não façam isso! Em outras palavras: Não sejam como eles são. O povo de Deus era diferente, não era a mesma coisa. Aquele povo conhecia a Deus. Os pagãos não. O Culto deles deveria por isso ser diferente do culto pagão.

Meus irmãos, quando olhamos para as igrejas evangélicas de hoje, notamos que estas cada vez menos conhecem a Palavra de Deus e cada vez mais criam cultos pagãos. São igrejas que cada vez menos conhecem a Deus e que consequentemente não conhecem o verdadeiro culto. Estas “igrejas”, (e isso parece ser muito duro, mas é preciso dizer com clareza) criam para si deuses pagãos e cultos pagãos também. Tais cultos vão se perdendo cada vez mais ao ponto de eu já ter visto, por exemplo, na internet um “pastor” mergulhar em um córrego cheio de dejetos humanos dizendo que aquilo era para Deus abençoar seu povo. Mas na semana passada vi uma aberração que acho ser até pior que essa. Uma jovem garota de programa ligou para um programa da Universal e no desenrolar da conversa disse que daria uma semana de seu trabalho como oferta para a construção do “Templo de Salomão”. A própria ideia de se construir tal Templo já mostra o grau de desvio desta “igreja”, visto que o Templo já não pertence ao nosso período pois Cristo já veio. O Templo fazia parte da época do Antigo Testamento. Para compreendermos isso basta lermos o capítulo 4 de João e o sermão profético em Marcos 13 quando Jesus profetiza a destruição do Templo. Mas isso mostra o tipo de evangelicalismo que temos em nossa terra, evangelicalismo que pouco se importa com o que Deus diz e desafia-o restaurando um local e um culto que Ele já tornou ultrapassado. Isso também mostra que a medida que as igrejas se afastam das Escrituras elas também perdem a glória espiritual do culto e se apegam a uma “glória física”. Aliás é só isso que elas tem, pois o Espírito não esta com tais falsas igrejas, visto que ele é o Espírito da Verdade. Ora o culto pagão é muito visual, é materialista. Os pagãos precisam ver algo estupendo pois para eles a simples pregação não é gloriosa. Eles não possuem visão espiritual. Por isso é que o culto Romano é tão cheio de glórias físicas.  Também por isso que as falsas igrejas de hoje são tão anelantes pela mesma glória meramente material. Elas precisam construir coisas como um “Templo de Salomão”. Tudo isso é culto pagão, pois não busca a glória de Deus que é espiritual. Este é o resultado de não se conhecer a Deus. Evidentemente que isso não é evangelicalismo verdadeiro, mas paganismo com nome de evangélico.   

Mas se isso já é errado o que dizer de alguém receber uma oferta provinda da prostituição? Foi o que o apresentador do programa fez. O que dizer disso? Ora, aquele homem aceitou daquela moça uma semana de prostituição para o Templo que eles dizer ser dedicados a Deus. Irmãos, eu pensei que já havia visto tudo, mas isso me surpreendeu infelizmente! Essa é a Igreja evangélica de hoje? Sim! Como alguém que recebe tal oferta se diz homem de Deus? Imaginem receber uma oferta de prostituição quando o Senhor diz claramente em sua palavra: “Das filhas de Israel não haverá quem se prostitua no serviço do templo, nem dos filhos de Israel haverá quem o faça. Não trarás salário de prostituição nem preço de sodomita à Casa do SENHOR, teu Deus, por qualquer voto; porque uma e outra coisa são igualmente abomináveis ao SENHOR, teu Deus.” Dt 23:17, 18. Evidentemente que não se deveria incentivar tal oferta, mas sim pregar-se o Evangelho chamando pecado de pecado e exortando o que peca ao arrependimento e fé em Cristo. Prostituição é pecado e ao que assim peca deve-se chamar a Cristo e nunca incentivá-lo para que por seu pecado oferte a Igreja. Quem incentiva tal ato vai ao extremo do pragmatismo crendo que os fins justificam os meios.  Não, meus irmãos, os fins não justificam os meios, pois Deus é Santo, e o pecado nunca é aceitável aos seus olhos. Pecado é abominação aos olhos de Deus e nenhuma oferta humana pode mudar isso.Não trarás salário de prostituição nem preço de sodomita à Casa do SENHOR, teu Deus, por qualquer voto; porque uma e outra coisa são igualmente abomináveis ao SENHOR, teu Deus.”. Ora, com relação aos que pecam sexualmente devemos seguir o exemplo de Cristo. Veja:

Erguendo-se Jesus e não vendo a ninguém mais além da mulher, perguntou-lhe: Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou? Respondeu ela: Ninguém, Senhor! Então, lhe disse Jesus: Nem eu tampouco te condeno; vai e não peques mais.” Jo 8:10,11.

Jesus chamou as mulheres que viviam nesta vida para que se arrependessem de seus pecados. Jesus chamava a todos para o arrependimento. Mas aceitar oferta originada de um ato condenado por Deus, e ainda não chamar a pessoa ao arrependimento, é dizer que a prostituição é licita, é chamar pecado de algo útil e bom.  Tal ato é demonstração clara de falso cristianismo, é demonstração clara de paganismo, de culto pagão. Ofertar dessa forma, receber tal oferta, e tudo o que envolve estes atos não podem ser classificados como culto cristão. Tudo isso cai na classificação de culto pagão, pois não faz justiça a Santidade de Deus revelada em sua Palavra, criando um deus pagão que aceita toda essa profanação.  Tudo isso é muito triste. Mas não é só um problema da Universal. Coisas semelhantes se encontram em todo o evangelicalismo moderno, especialmente no Neopentecostalismo, pois o pragmatismo tem imperado abertamente. Os padrões éticos, morais, bíblicos, evangélicos são cada vez mais descartados para que se alcancem os resultados desejados. Deus e sua Palavra são desprezados para que se consiga mais membros, mais dinheiro, mais poder, mais glória humana. Que terrível ainda chamarem isso de cristianismo, de culto cristão! Não nos iludamos. Isso não passa de paganismo, de culto pagão! Mas também isso é o mundanismo, secularismo. Os pecados do mundo se tornam aceitáveis. Ninguém mais se constrange e o pecado se torna normal como no mundo sem Deus. Diante disso alguns até podem nos criticar quando assim falamos. Muitos dizem: “O que tem demais?” ou “Não julgue o próximo”. Todavia, isso só mostra que os evangélicos de hoje se secularizaram ao ponto de achar tudo normal conforme o mundo pensa.   

Porém todos estes tristes fatos apenas confirmam o que estudamos hoje, isto é, quando uma pessoa não conhece a Deus o seu culto é pagão. Eles criam deuses que aceitam suas abominações. Seguem os antigos pagãos que criavam deuses que aceitavam a prostituição e todo o pecado. Assim o deus de muitos ditos evangélicos é um deus pagão que é tão pecador como eles e aceita seus pecados como se fossem sagrados. Na verdade seus cultos não passam de idolatria pagã, e não tem nada a ver com o genuíno culto cristão que nasce do Verdadeiro conhecimento do Deus Santo que exige um culto santo, purificado pelo Cordeiro, o Senhor Jesus Cristo. Que este seja nosso culto. Que nosso culto de fato seja cristão e nunca pagão! Que o Senhor nos guarde!  

Pode ser copiado e distribuído livremente, desde que indicada a fonte, a autoria, e o conteúdo não seja modificado!

*Estudo da EBD, dia 15 de setembro de 2013, na Congregação Batista Reformada em Belém.


Para os livros do blog clique aqui.

Leitura recomendada:


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição de João 10:1-18 - Jesus é o Bom Pastor (Texto e áudio) - Manoel Coelho Jr.

Meditações em Gênesis 22: A prova suprema da Fé de Abraão* - Manoel Coelho Jr.

Exposição de Gênesis 11: O projeto fracassado e o projeto vitorioso!