Meditações em Gênesis 21: O Nascimento de Isaque e a Fidelidade de Deus - Manoel Coelho Jr.

I – INTRODUÇÃO:

Com o nascimento de Isaque o plano de Redenção dá um passo de grande importância, pois seria por ele que a semente prometida viria. Mas tudo isso só foi possível por causa da Fidelidade de Deus. Este é o atributo divino que encharca todo este capítulo, inclusive no caso de Agar e de Abimeleque.

II – O RISO DA FÉ SUBSTITUI O RISO DA INCREDULIDADE (Gn 21:1-7).

No capítulo dezoito Sara riu de incredulidade. Ela achou impossível engravidar devido a sua idade. Mas agora ela ri por fé, pois Deus cumpriu a sua promessa. Agora ela acredita que para Deus nada é impossível. Observemos que o texto começa falando da Fidelidade de Deus em cumprir sua promessa. Na verdade o primeiro riso de Sara, o riso da incredulidade, não tinha motivo, pois para Deus não há coisa demasiadamente difícil (Gn 18: 14). Mas o segundo riso tinha toda a razão do mundo. Por isso Sara diz: “Deus me deu motivo de riso, e todo aquele que ouvir isso vai rir-se comigo” Gn 21:6. É importante notar que o incrédulo pensa que sua dúvida está baseada em boas razões, e que o crente não passa de um alucinado, não passa de alguém que age sem motivos. No entanto é exatamente o contrário, pois o incrédulo não leva em conta o maior de todos os fundamentos: O Deus Todo-Poderoso e Fiel.  Assim é o crente que está bem firmado e não o incrédulo. Sara mostra esta fé, e Abraão também, visto que obedece a Deus em tudo circuncidado seu filhinho. Dessa forma eu enfatizo: Nunca esqueçamos que a Fé na Palavra de Deus é a coisa mais razoável do mundo.

Porém o fato mais importante de todo este evento é a Fidelidade de Deus em cumprir seu propósito de trazer o Salvador. Este é o fator maior, pois era pela descendência de Isaque que isto iria acontecer. Deus de fato salva mesmo que os homens sejam pecadores. Mesmo que sejam incrédulos, como foram Sara e Abraão em alguns momentos desta narrativa que temos estudado. Oh crente, sua fé está bem firmado na Palavra do Deus que promete e cumpre.

III – DEUS CUIDA DE ISMAEL E AGAR (Gn 21:21).

Após a zombaria de Ismael contra Isaque, Sara exigiu a expulsão de Agar e seu filho.  Isso foi duro para Abraão evidentemente. Mas sendo homem de fé, ele obedeceu a Deus que assim determinara e prometera cuidar de seu filho. Deus conduzia tudo, pois o filho da promessa precisava ser separado do outro.  Paulo viu no episódio um tipo da liberdade da nova aliança (Veja: Gl 4:21-31). Mas de fato Deus cuidou do rapaz consolando e providenciando água para sua mãe, e estando sempre com ele dando-lhe assim crescimento.

Neste trecho vemos mais uma vez e Fidelidade Divina como também o seu Poder. Notemos que para Abraão foi difícil despedir seu filho. Mas sabendo que assim Deus queria, ele o fez. Agiu assim porque confiava no Senhor. Agar também se inquietou, mas tendo recebido a Palavra de Deus se fortaleceu e continuou. Tudo isso mostra que os seres humanos não podem prosseguir sem a bondade de Deus, e que sem a fé tudo se desvanece. Mas quando os homens e mulheres conhecem o Poder e a Fidelidade de Deus, encontram então condições de prosseguir. O que você diz disso, prezado leitor. Você conhece a Deus e confia Nele ou acha que é autossuficiente?

Outra coisa que devemos notar é que, apesar de apenas Isaque ser o filho da promessa, Deus não deixou de abençoar a Ismael e a sua mãe Agar. Isso é demonstração da graça de Deus. A história subsequente da revelação vai mostrar que a benção chegaria a outros povos, e não apenas aos descendentes físicos de Abraão. Nunca devemos pensar que nosso caso é perdido, pois a graça de Deus chega ao maior dos pecadores (I Tm 1:15).

IV – A ALIANÇA COM ABIMELEQUE (Gn 21:23-34).

Eis mais uma demonstração da Fidelidade de Deus neste texto. Apesar de Abraão ter falhado com Abimeleque, este vê nele a presença de Deus. De fato apesar de seu pecado Deus mostrou a Abimeleque que Abraão era seu profeta (Gn 20:7). Também é digno de nota que agora Abraão não usa de evasivas, mas é claro com Abimeleque no caso do poço. A sinceridade nas relações é muito importante. Aliás, o próprio Abimeleque não quer mais mentiras por isso busca o juramento de Abraão. O texto segue com a aliança entre estes homens resolvendo então todo o caso pendente.  Por tudo isso eu repito: A sinceridade nas relações é essencial. E a fidelidade de Deus nos constrange a esta sinceridade. O texto se encerra com o estabelecimento de Abraão em Berseba e com a invocação ao Deus Eterno. Que belo fina!. Em todos estes fatos Deus foi honrado. Aquele que é Eterno, Todo-Poderoso, e Fiel se manifesta claramente neste texto, e na verdade o mesmo está completamente encharcado com esta verdade: Deus é Fiel e o seu povo Nele confia. Você confia em Deus?

V - CONCLUSÃO:

 Filho da promessa finalmente nasce, e pelo fato de ser filho da promessa fica manifestada a Fidelidade e o Poder do Deus Eterno. Deus decidiu salvar um povo por seu Filho que nasceria da descendência de Isaque. O texto mostra que isso com certeza aconteceria, como de fato aconteceu. Isaque veio segundo a Palavra de Deus. Cristo viria segundo a mesma Palavra Fiel. Que consolador saber que a Salvação está baseada em Deus e não no homem. Deus é Fiel a suas promessas e seu povo confia Nele e pode como Sara ter motivo para rir! Amém!

Pode ser copiado e distribuído livremente, desde que indicada a fonte, a autoria, e o conteúdo não seja modificado!

Acesse o vídeo ou áudio deste estudo clicando aqui.

Leitura relacionada:

Soli Deo Gloria - O Ser e Obras de Deus
Soli Deo Gloria - O Ser e Obras de Deus

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição de João 10:1-18 - Jesus é o Bom Pastor (Texto e áudio) - Manoel Coelho Jr.

Meditações em Gênesis 22: A prova suprema da Fé de Abraão* - Manoel Coelho Jr.

Estudo em Gênesis 3 (Primeira parte)