Exposição do Evangelho de João: O trágico destino deste mundo pecaminoso.

De outra feita, lhes falou, dizendo: Vou retirar-me, e vós me procurareis, mas perecereis no vosso pecado; para onde eu vou vós não podeis ir. Então, diziam os judeus: Terá ele, acaso, a intenção de suicidar-se? Porque diz: Para onde eu vou vós não podeis ir. E prosseguiu: Vós sois cá de baixo, eu sou lá de cima; vós sois deste mundo, eu deste mundo não sou. Por isso, eu vos disse que morrereis nos vossos pecados; porque, se não crerdes que EU SOU, morrereis nos vossos pecados.”. (Jo 8:21-24).

I – INTRODUÇÃO:

As pessoas não gostam de aceitar duras realidades. É difícil, por exemplo, ouvir de um médico a respeito de uma doença grave. Da mesma forma as pessoas não gostam de pensar que morrerão, e que terão de prestar contas a Deus, e que estão em débito com Ele, pois fazem parte de um mundo pecaminoso. No entanto esta é uma verdade que Cristo apresenta a cada um de nós de forma claríssima. Faremos bem em ouvi-la com uma reflexão séria. Isto é o que pretendemos neste estudo.


II – O DESTINO DOS INCRÉDULOS É A MORTE (Jo 8:21,22)!

Temos observado neste estudo de João que o Senhor Jesus recebeu uma dura oposição dos líderes religiosos dos judeus, e mesmo do povo em geral. A característica principal deles era a incredulidade. Eles não criam que Ele era quem dizia ser. À estes homens Cristo dá uma palavra muito dura. O Senhor diz que eles vão morrer. Trata-se de homens ímpios, homens que não se submetem a revelação de Deus em seu Filho, que loucamente querem ensinar Àquele que é luz do Mundo. À este Cristo só tem uma palavra: Morrerão em seu pecado, ou seja, em sua incredulidade. Cristo está dizendo que o fim dos ímpios é a perdição eterna, a condenação, o inferno. Deus está irado com eles, e rejeitando o Único Salvador, ninguém os livrará desta ira divina (Jo 3:36). Em breve, provavelmente na hora de sua morte, estes homens procurarão consolo em Cristo, mas não o encontrarão (Pv 1:24-33). Então o fim virá, e eles estarão para sempre condenados, e nunca poderão estar com Ele no Céu junto ao Pai. De fato duríssimas foram estas palavras de Cristo para aqueles homens. Mas estas palavras continuam a valer para todos os que teimam em não crer em Cristo.

Totalmente diferentes destas palavras são as que Ele diz aos crentes em Jo 13: 31-14:6. Lá Ele os enche de consolo. Fala que o fim deles não é a condenação, mas o deleite eterno na Casa de seu Pai. Cristo mostra que Ele mesmo é o Caminho para este fim glorioso: Chegar ao Pai e estar com Ele para sempre no Céu. Portanto, para os crentes em Cristo há consolo, mas para os ímpios incrédulos, há o anuncio da mais terrível destruição se aproximando. Porém, aqueles ímpios incrédulos manifestam mais uma vez sua incredulidade ao zombarem de Cristo, de suas palavras de alerta, perguntando se Ele iria se suicidar. Que louca ousadia! Em vez de se quebrantarem ainda zombam. Mas os ímpios de hoje continuam fazendo o mesmo, ao darem pouco caso às palavras de alerta dos pregadores da Justiça de Cristo.

Amigo leitor, que palavras de Cristo se aplicam ao seu caso específico? Cristo está a lhe consolar ou a lhe condenar? A resposta a esta pergunta depende desta outra: Você crê ou não em Cristo? Você crê ou não no Cristo da Bíblia? Eu lhe afirmo solenemente que se você não crê em Cristo, ou diz que crê, sendo que crê em um “cristo” criado por você e não no Verdadeiro Cristo da Bíblia, então para você não há esperança. Não se iluda, você morrerá e irá para o inferno e nunca para o Céu. Estas palavras lhe são duras? Mas são as Palavras de Cristo e não minhas. Não há a mínima esperança fora de Cristo. Você precisa entende isso claramente. Ou você tem Cristo e tem tudo, ou não tem Cristo e nada possui! Com Cristo, todo o consolo, nem a morte assusta. Sem Cristo, nenhum consolo, mas apenas a dura expectação do inferno. Qual o seu caso? Por favor, leia:

“Porque, se vivermos deliberadamente em pecado, depois de termos recebido o pleno conhecimento da verdade, já não resta sacrifício pelos pecados; pelo contrário, certa expectação horrível de juízo e fogo vingador prestes a consumir os adversários. Sem misericórdia morre pelo depoimento de duas ou três testemunhas quem tiver rejeitado a lei de Moisés. De quanto mais severo castigo julgais vós será considerado digno aquele que calcou aos pés o Filho de Deus, e profanou o sangue da aliança com o qual foi santificado, e ultrajou o Espírito da graça? Ora, nós conhecemos aquele que disse: A mim pertence a vingança; eu retribuirei. E outra vez: O Senhor julgará o seu povo. Horrível coisa é cair nas mãos do Deus vivo.” (Hb 10:26-31).

III – AS DUAS ESFERAS (Jo 8:23,24).

Cristo responde a zombaria de seus ouvintes expandindo o que vinha dizendo. Mostra que é de uma esfera superior a daqueles incrédulos. Ele vem de cima, vem do Pai, enquanto que eles são de baixo, ou seja, deste mundo pecaminoso. Por mundo devemos entender o conjunto dos incrédulos. Cristo mostra que por isso eles morrerão, porque pertencem a este mundo que corre a passos largos para a morte, devido a seus pecados. Notemos que agora Cristo usa a palavra “pecado” no plural, “pecados”. Já vimos que “pecado” se referia a incredulidade. Agora “pecados” de refere a todo o tipo de pecado, pois a incredulidade é a raiz de todos os pecados. Ora, o que impera neste mundo é o pecado, por isso podemos chamá-lo de “mundo pecaminoso”, e o “salário” do pecado é a morte (Rm 6:23).

Mas o Senhor deixa entender que existe uma escapatória deste mundo tenebroso e de seu destino mortal: “Crer que Eu sou”. Crer que Ele é quem diz ser é a única salvação para os homens. Cristo diz que seus opositores morrerão por não crerem Nele. Na verdade Cristo veio para salvar os seus, e tirá-los deste mundo pecaminoso (Jo 15:19). Eles recebem o Espírito Santo que o mundo não tem (Jo 14:17). O mundo não conhece nem entende a Cristo, mas eles, sim, o conhecem e têm comunhão com Ele (Jo 14:18-24). Eles, como Cristo o foi, também são odiados pelo mundo. Mas o que importa se tem a paz que o mundo não tem, e Cristo já venceu o mundo (Jo 15:18, 19; 14:27; 16:33)? Ora, é por eles que Cristo roga e não por todo o mundo. Ele os tirou do mundo (Jo 17:6-21).

Desta forma há duas esferas: A celestial, e a pecaminosa. Uma, a Celestial, é destinada a glória, pois nela estão os redimidos do pecado em Cristo, o Salvador. E a outra, a deste mundo pecaminoso, está destinada a destruição, pois não foi redimida por Cristo permanecendo em seu pecado que a conduzirá fatalmente a morte. Em qual esfera você se encontra? Naquela da fé em Cristo ou a da incredulidade? A Celestial ou do mundo pecaminoso? A verdade deste texto é que este mundo com todo o seu brilho e promessas não passa de uma ficção, e tolos são os que se iludem com ele. Serão como atores que ao fazerem uma peça de teatro convence-se que vivem a realidade. Serão como loucos que pensam ser personalidades históricas. Tudo é ilusão, pois este mundo é cá de baixo, é inferior, é nada, pois o fim dele é a morte eterna. Mas aqueles que pertencem a Cristo vivem na realidade, pois pertencem ao Reino de Deus, que é firme, inabalável, Eterno, glorioso. Este Reino é de cima, e Nele não há morte, mas sim a Vida Eterna. Meu leitor, em qual esfera você está?

IV – CONCLUSÃO:

Cristo mostra a dura realidade de que este mundo pecaminoso está destinado a morte. Precisamos encarar esta verdade com toda seriedade abandonando qualquer ilusão. Apenas Cristo, e ninguém mais, pode nos salvar deste mundo tenebroso e de seu destino mortal. Que creiamos Nele!

Pode ser copiado e distribuído livremente, desde que indicada a fonte, e o conteúdo não seja modificado!  

Adquira a primeira parte da versão impressa destas exposições, ou outras obras nossas, clicando aqui. 

Leitura recomendada para o aprofundamento no assunto: 

Pecadores nas Mãos de um Deus Irado

Pecadores nas Mãos de um Deus Irado

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição de João 10:1-18 - Jesus é o Bom Pastor (Texto e áudio) - Manoel Coelho Jr.

Meditações em Gênesis 22: A prova suprema da Fé de Abraão* - Manoel Coelho Jr.

Estudo em Gênesis 3 (Primeira parte)