O Terrível Estado de Morte Espiritual e a Maravilhosa Graça de Deus em Cristo – Manoel Coelho Jr.



Trecho da pregação “Vivificados em Cristo”, proferida em 21 de Janeiro de 2015, na Congregação da Assembleia de Deus do Conjunto Marex, Belém – PA. Link da pregação completa no final.

Transcrição...

Qual a arma do maligno? Resposta: A mentira, o engano. Ele usou isso no Éden e continua usando. Jesus Cristo nos disse que seus inimigos não o ouviam porque ele lhes dizia a Verdade. Eles eram filhos do diabo. Eles, segundo Cristo, amavam o que o diabo amava. Queriam o que o diabo queria. E que o diabo ama? Ora, a mentira e o pecado. Assim aquelas pessoas não ouviam a Jesus, que é a Verdade, porque elas amavam a mentira, queriam a mentira. Por isso o diabo as dominava completamente e as tinha em seu laço. Por quê? Porque elas queriam mesmo a vontade do diabo.

Paulo nos fala agora no verso três de Efésios dois de um outro inimigo. Aqui Paulo vai falar de algo profundo de algo que nós somos... “entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais.”. Dos três inimigos que ele cita neste capítulo, dois vem de fora, o mundo e o diabo, e um vem de dentro, a carne ou natureza pecaminosa. Este é o inimigo que está dentro, está no coração. Isso aconteceu desde que Adão pecou. Os homens estão mortos no coração. Você não precisa ensinar nada para eles sobre isso. Eles já nascem assim. Cada criança já nasce assim. Já nasce pecadora. Peca porque é pecadora. Peca porque tem uma natureza pecaminosa que odeia a Deus. Vocês muito bem sabem que é preciso um esforço para que uma criança aprenda o que é correto. Mas não se precisa de esforço para que logo, logo ela comece a mentir, ou comece a chamar um palavrão, ou a brigar com as coleguinhas. Reúna uma porção de crianças e logo perceberá o egoísmo entre elas, e isso desde bem novinhas. Já começam a puxar o brinquedo da outra e há brigas, egoísmo e inimizade se manifestando. O homem já mostra desde pequeno a depravação no coração, o pecado, o desagrado com os mandamentos de Deus. Por isso que é impossível para estas pessoas não seguirem o mundo, pois o mundo é um conjunto de ímpios como elas mesmas. O mundo apresenta para elas o que amam, o que querem, isto é, o pecado. É por isso que é impossível que elas se livrem das mentiras de satanás porque elas amam a mentira. Por isso que Jesus disse que os seus inimigos não o ouviam, pois eles queriam agradar o pai deles, ou seja, o diabo. O coração de vocês, mostrava Jesus, é dominado pelo amor a mentira. Isso é o estado de morte espiritual.

Meus irmãos, se há uma pessoa aqui que Deus não salvou ainda, essa é a sua situação. Você odeia a Deus. Você não suporta os mandamentos de Deus. Você não suporta a santidade. Você não suporta a Palavra de Deus. Você não ama a Verdade. Você não ama a Bíblia, os mandamentos, o Evangelho, Cristo, mas você ama a mentira, você ama o pecado, você ama que os outros mintam para você sobre assuntos espirituais. Você ama a mensagem do maligno. Você ama o que o mundo ensina.  Você quer isso. Você pode estar até na igreja. Pode ser até batizado. Você pode até estar há muito tempo na igreja, mas seu coração todo se dirige para o pecado, porque você ama o pecado. Este é o estado de morte. Se esse é o seu caso eu preciso falar-lhe claramente: Seu estado é terrível. Seu estado é de morte espiritual. Que espera por todos aqueles que estão neste estado, meus irmãos? Paulo encerra esta parte dizendo: “e éramos, por natureza, FILHOS DA IRA, como também os demais”. Por natureza, natureza ímpia. A expressão “Filhos da ira” evidentemente está relacionada ao fato de que eles estão debaixo da Ira de Deus. Eles estão indo em direção, ao encontro, da terrível Ira de Deus. A Bíblia vai mostrar que quando morre um ímpio, logo ele estará no inferno. Imediatamente ele cai no inferno. O corpo volta ao pó, e a alma vai para o inferno. E virá o dia quando Cristo retornar este ímpio vai ressuscitar, e então o corpo e a alma estarão na presença de Deus do Grande Juízo Final. Será o Grande e Terrível Dia do Senhor.  O Grande e Terrível Dia quando Deus se levantará para destruir os seus inimigos. Para destruir aqueles que se opuseram a Ele por toda a vida. Para destruir aqueles que se uniram contra Deus e contra Cristo (Sl 2). É Terrível o estado de morte espiritual porque os que assim se encontram são chamados de FILHOS DA IRA. Estão destinados a Ira de Deus. Esse é o estado de todos os homens sem exceção, a não ser que Deus os salve, a não se que Deus lhes conceda a sua Graça.

Meus irmãos, um morto espiritual está inativo para Deus, e não pode fazer nada para mudar isso. Um morto não quer mudar isso. O morto ama o caminho do mundo, de satanás, do pecado. O morto ama o caminho que lhe conduz para a Ira de Deus. Ele está apaixonado pela morte. Está apaixonado pela imundície. Está cego. Ele não que ver. Não adianta você falar a Ele a Verdade. O morto não quer saber de Deus. Quero colocar claramente: Só Deus pode lhe salvar. Se você hoje é um crente, se você ama a Cristo, se você se arrependeu de seus pecados, voltou-se para Deus em Cristo, você não é assim como eu descrevi, mas uma nova pessoa, se você não ama o caminho do mundo e de satanás, mas ama a Verdade no Evangelho, saiba que isso só aconteceu na sua vida por obra de Deus. Foi Deus quem operou isso. Você não podia fazê-lo. Foi uma obra da Graça de Deus. Do verso quatro em diante Paulo não fala de nenhuma ação do homem, mas da ação exclusiva de Deus. É como estar diante de um morto. Ninguém, tão pouco o morto, pode fazer nada. Mas há alguém que pode: Deus. É como na história de Lázaro, morto há quatro dias (Jo 11). Ninguém podia ressuscitá-lo, mas Cristo podia e fez, pois é Deus. Um dia todos os mortos ressuscitarão pela ordem de Cristo.

Por isso Paulo diz: “Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, —pela graça sois salvos, e, juntamente com ele, nos ressuscitou, e nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus;” (Ef 2:4-6). Paulo mostra aqui a ressurreição espiritual e o motivo para ela. Estávamos mortos espiritualmente, mas Deus nos ressuscitou em Cristo. Ele e não nós nos ressuscitamos. E por que ele fez isso? Ora ele não viu nada bom em nós, mas apenas mau cheiro e podridão da morte espiritual. Como isso pode motivar o Deus puríssimo, Santíssimo?  As nossa melhores obras diante dEle são trapos imundos (Is 64:6). Que odor tem para Deus as nossas melhores obras, obras de homens ímpios, obras de homens pecadores? Deus não se agradará em nada, pois há fedor da morte espiritual em nossas obras. Irmãos, não há nada que Deus veja em nós que o motive a salvar-nos. Nada que o faça dizer: “Este homem merece ser salvo”. Não! Eu não mereço ser salvo. Você não merece ser salvo. Se Deus disser: “Não vou salvar este homem”, haverá alguma injustiça nEle? Não, não haverá!  Deus não tem obrigação de salvar quem quer que seja, pois só há uma coisa que todos merecem, isto é, a Ira de Deus.  E Ele fez isso pela graça. E graça o que é? Deixe-me explicar-lhe então o que é a Graça de Deus. Normalmente as pessoas explicam a Graça assim: Graça é favor imerecido. Bem, isso não deixa de ser verdade, irmãos. Mas isso não explica tudo. O fato é que Graça é mais que favor imerecido. Amigos, Deus não me dá simplesmente o que eu não mereço, mas mais que isso, Deus deixa de me dar o que eu mereço. O que eu mereço? Eu mereço o inferno. Eu sou Filho da Ira por natureza... “e éramos, por natureza, FILHOS DA IRA, como também os demais”. Paulo está falando dos convertidos como que dizendo: “Olha como vocês eram...Vocês eram filhos da Ira como todos agora”. Deus não tem obrigação de salvar a ninguém. A graça é mais que favor imerecido, mas a Graça é um favor imerecido àqueles que merecem o seu “desfavor”, que merecem a sua Ira, que merece a sua maldição, o inferno, a perdição eterna. É isso que por natureza eu e você merecemos. Então deixem-me colocar uma coisa bem clara a todos: Deus não tem obrigação de nos salvar. Deus não se motiva para salvar em nada que esteja em nós. Ao contrário, o que Ele vê em nós, por natureza, o motiva a Ira Justa. Assim o que motivou a Deus para nos salvar? Paulo responde: “sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, — pela graça sois salvos”. Então o que o motivou foi seu mor, e amor específico pelos que Ele ressuscita. Pense: Há vários mortos, todos de aspecto imundo e terrível e não há nada neles que Deus se agrade. Mas Deus ama um número específico destes mortos, e soberanamente, livremente, os ressuscita por pura Graça. Ele dá vida a estes. Assim, se você é um crente hoje, foi porque Ele quis te salvar. Foi a Graça dEle! Você vai dizer: “Pastor, mas fui eu que cri, eu que me arrependi”. Sim, mas lembre: Morto não crê, morto não se arrepende. Por isso se diz no verso oito: “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus;”. Tudo é obra da Graça. É um dom, uma dádiva. É a benevolência de Deus. E então depois de ressuscitado ele passa a crer e se arrepender, assim como Lázaro passou a andar depois de ter sido vivificado por uma ordem de Cristo. Amigos, morto não crê e não ama a Deus. Dessa forma, se hoje você crê, é porque Ele te deu Vida. Fala-se aqui de regeneração, Novo Nascimento, Nova Vida. Isso é obra da Graça. Somente Deus pode fazer isso. Você não pode fazer isso. Apenas Deus pode. Amém!

Acesse esta pregação na íntegra...




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição de João 10:1-18 - Jesus é o Bom Pastor (Texto e áudio) - Manoel Coelho Jr.

Meditações em Gênesis 22: A prova suprema da Fé de Abraão* - Manoel Coelho Jr.

Estudo em Gênesis 3 (Primeira parte)