Paulo, fiel ministro de Cristo - Fabiano Rocha*.

De perseguidor da igreja a servo fiel de Jesus Cristo. Esses são dois extremos da vida desse servo de Deus. Da tribo de Benjamim e zeloso membro do partido dos fariseus, Paulo foi um dos oponentes mais ferre-nhos do cristianismo. Consentiu na morte de Estevão, quando esse pregou a Palavra de Deus, identificando seus ouvintes como traidores e assassinos do Senhor e sendo, por conta disso, apedrejado. As testemunhas deixaram suas capas aos pés do jovem chamado Saulo. Esse homem que depois passou a ser chamado de Paulo assolava o povo de Deus com uma ação intensa para destruí-los. Ele entrava de casa em casa arrastando os cristãos para serem presos. Porém, em uma dessas ações contra o rebanho do Senhor, indo em direção a Damasco, Cristo o intercepta no caminho, fazendo-o curvar-se. A partir daquele ponto de sua vida, Saulo passaria a chamar-se Paulo. Ao invés de viajar para destruir a igreja, faria isso agora para fundá-la e edificá-la.


O chamado de Paulo teve uma dupla verdade, seria uma ferramenta escolhida para levar o evangelho aos gentios e sofreria intensamente pelo nome de Cristo. A Palavra de Deus diz em Cl 1:25 que Paulo foi feito ministro. Ele não se auto-comissiona e nem se auto-intitula ministro. Cristo apareceu a ele como um apóstolo que nasceu fora de época. Como anunciador dos mistérios de Deus revelado em Jesus, ele foi um fiel ministro em todas as circunstâncias. Não se olvidou em nenhum momento, como pregador do evangelho e pregou todo o conselho de Deus aos gentios. Não foi pregador de suas opiniões, não transmitiu aos gentios suas experiências no caminho de Damasco, não impôs autoridade pelo seu currículo ou como aluno aplicado de Gamaliel, nem exigiu que os gentios se tornassem judeus. Como arauto fiel, pregou a Cristo e esse crucificado. O que outrora possuía autorização para prender estava sendo instrumento de libertação espiritual pela mensagem poderosa do evangelho. Pregou a tempo e fora de tempo. Em meio a muito sofrimento lutou pela edificação do corpo de Cristo. Como diz aos irmãos da Galácia: “Meus filhinhos por quem de novo sinto as dores de parto até que Cristo seja formado em vós”Gl 4:19. Na pregação, no sofrimento, na disposição e abnegação, em tudo ele Paulo fiel.

A razão de todo esse serviço compromissado e diligente está no fato de Cristo o ter chamado e capacitado a ser o que ele foi. Com a capacidade e força que Deus lhe concedeu, ele de fato trabalhou mais que todos os seus contemporâneos. Ele mesmo diz aos coríntios: “pela graça de Deus sou o que sou” 1Co 15:10. A vida de Paulo foi uma vida de intensa oração, buscando em Deus e em Sua graça a força para o trabalho. Que assim como Paulo, a graça de Deus nos capacite a ser em tudo fiéis ao Senhor.

*Pastor da Primeira Igreja Batista Reformada em Taguatinga.

Pode ser copiado e distribuído livremente, desde que indicada a fonte, a autoria, e o conteúdo não seja modificado!



Leitura recomendada para o aprofundamento no assunto:


A Apresentação do Evangelho


A Apresentação do Evangelho

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição de João 10:1-18 - Jesus é o Bom Pastor (Texto e áudio) - Manoel Coelho Jr.

Meditações em Gênesis 22: A prova suprema da Fé de Abraão* - Manoel Coelho Jr.

Estudo em Gênesis 3 (Primeira parte)