Cristo, nosso único mediador - Fabiano Rocha*.

Somente Cristo! Esse foi o brado dos reformadores. Essa frase resume um dos temas pilares e centrais da fé cristã: salvação somente por Cristo e através de sua mediação perfeita. Isso fez frente à arrogância papal de se estabelecer como cabeça da igreja, como suma ponte. O prelado católico assumiu a posição de representante do Senhor sobre a terra e chefe supremo da igreja. Por isso afirmamos que houve e ainda há a grande mentira contida no sistema romano de salvação pelas obras. O coroamento do mérito humano é uma clara negação de que Cristo seja o único mediador.


O grito que se fez ouvir desde os porões escuros da idade média e que se expandiu para todo o mundo foi um grito de liberdade e despertar do grande sono. Foi o brado que despertou multidões! Nações foram impactadas, famílias transformadas, homens receberam de Deus uma ousadia sobre-humana para enfrentar uma estrutura religiosa poderosa. Confissões e mais confissões não resolviam os tormentos de consciência. Aqueles dias escuros revelaram que é impossível alcançar a salvação pelos méritos humanos. Isso séria como colocar remendo novo em roupa velha. A rotura e os prejuízos finais eram piores do que a brecha inicial. Mas a luz da verdade trouxe clareza em meio às trevas. A supremacia de Cristo foi redescoberta pela igreja verdadeira.

A igreja reformada defende que Cristo é central em toda a salvação e que nossa relação com Deus não é uma questão simples, mas o fundamento no qual todas as demais estruturas da soteriologia bíblica está sustentada. Tirando O Filho de Deus do centro, tudo aquilo que de pecaminoso e perverso existe no homem assume o Seu lugar. Todo processo religioso vira um emaranhado de sugestões e méritos humanos. A verdade passa a ser instrumento de dominação e engano. O Senhor Jesus deixou-nos bem claro que Ele “é o caminho, a verdade e a vida”. Ele não mostrou o caminho nem muito menos ressaltou que seria só um dos caminhos, uma das verdades ou uma das maneiras de se alcançar a verdadeira vida. Pelo contrário, Ele e somente Ele é o caminho que nos conduz a Deus. É a única verdade verdadeira e a única fonte de vida espiritual. A Escritura é clara, não basta declarar Cristo. Muitos declaram Cristo, pregam em seu nome, adoram em seu nome e falam em seu nome, mas é sempre Ele e mais alguma coisa. Mas a verdade central da Escritura é que o Senhor Jesus é o único mediador entre Deus e os homens. Por essa razão,houve o estabelecimento do “Somente Cristo”. Ele cumpriu de forma completa e cabal toda a justiça de Deus no lugar de pagadores. Nele, pela fé, temos paz com Deus. Somos reconciliados, obtemos perdão de pecados. Através da vida dele recebemos diariamente a provisão para um viver santo e digno. Nele e somente dele somos “abençoados com toda sorte de bênçãos espirituais”.

*Pastor da Primeira Igreja Batista Reformada em Taguatinga.

Pode ser copiado e distribuído livremente, desde que indicada a fonte, a autoria, e o conteúdo não seja modificado!

Leitura recomendada para o aprofundamento no assunto:

Cristo: Sabedoria, Justiça, Santificação, Redenção


Cristo: Sabedoria, Justiça, Santificação, Redenção

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição de João 10:1-18 - Jesus é o Bom Pastor (Texto e áudio) - Manoel Coelho Jr.

Meditações em Gênesis 22: A prova suprema da Fé de Abraão* - Manoel Coelho Jr.

Estudo em Gênesis 3 (Primeira parte)