Fé verdadeira e Sua natureza - Fabiano Rocha*.

A fé verdadeira é um instrumento da salvação. Ela é uma obra soberana de Deus no coração do pecador. O Espíri-to de Deus, através da exposição do evangelho produz fé no coração do salvo. Calvino dizia que “ela é as pernas que Deus concede ao pecador para que ele consiga ir até Cristo”. Ele também asseverava que a crença verdadei-ra é como um balde concedido por Deus afim de que o pecador o encha da justiça de Jesus. A fé só é possível ao homem caído por ela ser um dom soberano do Senhor, uma obra lavrada pelo Espírito Santo. Por mais que haja um ‘senso do divino’ no homem caído, essa manifestação jamais pode ser chamada de fé verdadeira. O arrependimento pode ser chama-do de elemento negativo da salvação, pois é um retorno, uma mudança de caminho e pesar pela condição pecaminosa. É sair do caminho contrário ao Senhor e nos voltarmos para Deus e Sua vontade. Já a fé é o que podemos chamar de expres-são positiva. Após o novo nascimento, somos conduzidos a Cristo, sendo totalmente despojados da autoconfiança, da justi-ça própria e da luta enganosa de alcançar salvação pelos méritos humanos. Vestimos então a justiça daquele que é perfei-to. Alcançamos a paz com Deus e o creditar da justiça de Cristo e descansamos por meio do relacionamento reparado com Deus. Agora salvos, todo o nosso ser é totalmente entregue de forma verdadeira a Cristo, como nosso Salvador e Senhor. Pela fé já não mais vivemos, mas “ Cristo deve viver em nós”.


Apesar de todas essas evidências escriturísticas, a fé sempre foi objeto de muita confusão. Isso por não compreendermos sua verdadeira natureza, por acharmos que sua única expressão é uma concordância meramente intelectual à verdade. Isso leva muitos a se contentarem em defender um credo meramente ortodoxo sem fruto, sem prática, sem ortopraxia. Tiago já nos alertara dizendo que até os demônios possuem credo ortodoxo, pois eles “creem que estremecem”. Não é simplesmente o fato de chamarmos Cristo de Senhor que prova que cremos verdadeiramente nele. Quem nele crê faz o que Ele manda. Uma crença sem obediência é chamada pela Bíblia de fé morta ou fé de demônios. É uma expressão religi-osa de homens caídos e nominais. Por essa razão , a única maneira de sabermos a natureza e o exercício da verdadeira fé é através daquilo que a Escritura diz ser uma verdadeira fé salvadora.

Por isso, usando a Palavra de Deus como parâmetro e régua de medir, a fé verdadeira gera obediência. Através dela somos levados a crer que é verdade tudo o que o Senhor revelou em sua Palavra e temos um credo ortodoxo. Esse conjunto de verdades é a revelação do Senhor. Por essa razão, somos chamados à obediência e chamados a viver naquilo que cremos, fazendo da Escritura nossa regra de fé e, principalmente, de vida prática. Devemos andar obedientemente. Esse verbo pressupõe movimento, ação conforme a vontade do Senhor. Temos condições de agir assim, de compreender as coisas de Deus, pois somos chamados a obedecer ao que o Senhor revelou como Sua vontade. O salvador deve ser necessariamente Senhor da vida daquele que foi salvo.


Pode ser copiado e distribuído livremente, desde que indicada a fonte, a autoria, e o conteúdo não seja modificado!

Leitura recomendada para o aprofundamento no assunto:

As Raízes de Uma Fé Autêntica


As Raízes de Uma Fé Autêntica

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição de João 10:1-18 - Jesus é o Bom Pastor (Texto e áudio) - Manoel Coelho Jr.

Meditações em Gênesis 22: A prova suprema da Fé de Abraão* - Manoel Coelho Jr.

Exposição de Gênesis 11: O projeto fracassado e o projeto vitorioso!