Deus e os conflitos na evangelização - Fabiano Rocha*.

A história da natureza humana é uma história de conflitos. Conflitos que vêm se desenrolando desde o Gênesis, entre a semente da mulher e a da serpente (Gn 3:15 ), entre a igreja do Se-nhor e o mundo. Desde a queda do homem em pecado, Satanás sempre tem feito o máximo para se opor a propagação do evangelho e ao avanço do reino de Deus. Para isso ele usa sua própria semente. Embora sendo um inimigo vencido e lute em uma batalha perdida, pois as portas do inferno não hão de prevalecer contra a igreja de Cristo , ele jamais desiste. Ele tenta de todas as formas neu-tralizar a eficiência da evangelização. E aqui está um grande mistério da sabedoria de Deus, em per-mitir que o inimigo lhe faça oposição. Não há nenhuma dúvida de que Deus é onipotente. No livro de Daniel está escrito: “Segundo a sua vontade ele opera com o exército do céu e os moradores da terra, não há quem lhe possa deter a mão nem lhe dizer: Que fazes ?” (Dn 4:35).

A igreja do Senhor foi inserida nesse grande conflito. E o inimigo tenta de todas as formas deter seu avanço e crescimento. O apóstolo Paulo enfrentou grande oposição em Tessalônica, ao ponto de ter que sair daquela cidade às pressas. Ficou ali pregando por três sábados, o que foi o tempo suficiente para edificar ali uma igreja fiel. Porém, com muito sacrificio tentou voltar para confirmar os irmãos. Mas Satanás o impediu. Deus permite muitas vezes que o inimigo provoque impedimento na procla-mação do evangelho. Isso nos faz exclamar: “ó profundidade da riqueza e da sabedoria”. Ocasional-mente Ele também utiliza as obras do inimigo de modo que elas cooperem para a vinda de seu reino. Uma experiência da igreja primitiva oferece-nos grande exemplo. O apedrejamento de Estevão inau-gurou uma grande perseguição contra a igreja de Jerusalém. Todos, exceto os apóstolos iam por toda a parte proclamando a boa notícia (At 8:1-4). O conflito, os ataques externos e a perseguição contribuí-ram para o processo evangelizador. Esse processo repetiu-se muitas vezes na história da igreja. O po-vo do Senhor sempre teve que enfrentar fortes oposições e conflitos em sua caminhada e na prática da evangelização. Os homens perversos são usados para agravar ainda mais esse estado.

Porém, vislumbres como esses nos ensinam a confiar no infinito poder e sabedoria de Deus. Deus dirige tudo com vistas ao cumprimento do seu plano. Nada e ninguém podem frustrá-lo. Ele planejou tudo desde a eternidade. Se o modo como ele administra esse conflito – dando muitas vezes corda ao inimigo para que ele se oponha ou fazendo com que suas ações malignas contribuam para o avanço do seu reino – sobrepuje nosso entendimento, devemos descansar e confiar a Ele todas as nossas ações. Como Paulo, que fez um grande pedido a igreja de Tessalônica: “orai por nós para que a palavra de Deus se propague e seja glorificada” (2 Ts 3:1,2).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição de João 10:1-18 - Jesus é o Bom Pastor (Texto e áudio) - Manoel Coelho Jr.

Meditações em Gênesis 22: A prova suprema da Fé de Abraão* - Manoel Coelho Jr.

Estudo em Gênesis 3 (Primeira parte)