Exposição do Evangelho de João: O Pai testemunha a respeito do Filho!

"Se eu testifico a respeito de mim mesmo, o meu testemunho não é verdadeiro. Outro é o que testifica a meu respeito, e sei que é verdadeiro o testemunho que ele dá de mim. Mandastes mensageiros a João, e ele deu testemunho da verdade. Eu, porém, não aceito humano testemunho; digo-vos, entretanto, estas coisas para que sejais salvos. Ele era a lâmpada que ardia e alumiava, e vós quisestes, por algum tempo, alegrar-vos com a sua luz. Mas eu tenho maior testemunho do que o de João; porque as obras que o Pai me confiou para que eu as realizasse, essas que eu faço testemunham a meu respeito de que o Pai me enviou. O Pai, que me enviou, esse mesmo é que tem dado testemunho de mim. Jamais tendes ouvido a sua voz, nem visto a sua forma. Também não tendes a sua palavra permanente em vós, porque não credes naquele a quem ele enviou. Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim. Contudo, não quereis vir a mim para terdes vida." (Jo 5:31-40)

I – INTRODUÇÃO:

O Senhor Jesus continua sua defesa diante dos judeus incrédulos. Lembremos que eles estavam escandalizados por Jesus ter curado no sábado, e por se igualar a Deus (Jo 5:16-18). Vimos também que em vez de Jesus amenizar suas palavras Ele fortalece o que havia dito deixando os judeus, com certeza, ainda mais perplexos. Mas agora Jesus continua mostrando que o Pai está do seu lado, testemunhando a seu favor de várias formas. A implicação deste fato é que os judeus deveriam crer em Cristo. Não crendo Nele estariam descrendo do testemunho do Pai. A mesma implicação é para mim, para você, e para todos os seres humanos de todos os tempos! Estudemos, assim, de forma atenciosa este texto a partir de agora.


II - O PAI TESTEMUNHA POR JOÃO BATISTA (Jo 5:31-35)!

O Senhor afirma que se testemunhasse a respeito de si mesmo não seria verdadeiro o seu testemunho. Não é que as palavras de Cristo não tenham crédito, ou que Ele diga mentiras. Não, não, de forma nenhuma é este o caso! O fato é que, dada as circunstancias, as palavras de Cristo não seriam consideradas verdadeiras por parte de seus inimigos, os judeus incrédulos. Para eles Jesus era apenas um homem blasfemo, um falso profeta. Assim, não adiantaria Ele simplesmente dizer quem era, ou seja, o Filho de Deus. Aqueles incrédulos não creriam. No entanto, Jesus diz àqueles homens que o Deus a quem eles diziam servir, ou seja, o Pai, é Ele quem testifica a seu respeito de que é o seu Filho, enviado por Ele para salvar. Este é o “outro” a quem Jesus se refere.

A partir daí o Senhor Jesus começa mostrar as formas como o Pai tem dado este testemunho. A primeira forma mencionada é João Batista, o precursor de Nosso Senhor. Ele lembra o episódio em que os judeus foram inquirir a João (Jo 1:19-28), e diz que João deu testemunho da Verdade.

Leiamos agora o seguinte texto:

Houve um homem enviado por Deus cujo nome era João. Este veio como testemunha para que testificasse a respeito da luz, a fim de todos virem a crer por intermédio dele. Ele não era a luz, mas veio para que testificasse da luz, a saber, a verdadeira luz, que, vinda ao mundo, ilumina a todo homem.” (Jo 1:6-9).

Fica claro que João fora enviado por Deus. Assim através dele o Pai está a testemunhar sobre Filho. João não é a luz, mas foi enviado pelo Pai para apontar aquele que é a Luz, ou seja, O Filho de Deus. E João cumpriu o seu ministério. Por isso Jesus afirma que ele disse a verdade, e que era uma lâmpada que produzia a luz na qual os judeus se alegraram por algum tempo. João produzia luz porque apontava para aquele que de fato é a luz.

O Senhor diz, ainda, que não estava apelando para o testemunho de João em si, como se dependesse da palavra de um homem. O Senhor não precisa da confirmação de homens. Mas o valor do testemunho de João estava no fato de ele ter sido enviado por Deus o Pai. Na verdade, podemos dizer que não era João testemunhando, mas o Pai testemunhando através de João. Nisto estava o valor do testemunho: procedia de Deus. Assim, Jesus podia dizer que, apesar de não aceitar o testemunho de homens, o de João era válido por proceder do Pai, e os judeus crendo nele seriam salvos. Assemelha-se hoje aos pregadores da Palavra de Deus. Só devem ser ouvidos, não porque a palavras de homens tenha alguma real importância, mas porque não transmitem simplesmente a palavras de homens, mas a Palavra de Deus nas Escrituras.

Mas vejam, o Senhor diz que eles se alegraram na luz que João trouxe “por um tempo”. Parece que Jesus está dizendo que eles não aproveitaram apropriadamente aquele luz. E deve ser assim já que quando Cristo, a verdadeira luz apontada por João, se revela, eles não crêem. Amigos leitores, a luz que temos recebido deve ser aproveitada, se não só servirá para aumentar nossa culpa, visto que a tivemos, mas a desprezamos. Muitos hoje fazem como os ouvintes de João: Até se alegram com a luz, mas não se dispõem a enxergar o que ela mostra. Em outras palavras, tais pessoas vão a certo ponto no entendimento da salvação, mas nunca chegam longe o suficiente para submeterem-se a revelação trazida para serem salvos. São como pessoas que chegam a beira da porta, mas não entram por ela por falta de fé de que de fato é a porta certa. Proclamamos a você que Cristo é a porta, como João em sua linguagem o anunciou há tantos séculos. Que você creia de uma vez, aproveitando-se da luz que tem recebido. Não siga o exemplo daqueles judeus incrédulos.

III – O PAI TESTEMUNHA PELAS OBRAS DO FILHO (Jo 5:36)!

Jesus prossegue afirmando que possui um testemunho maior que o de João. Naturalmente Ele se refere a seus milagres. Lembremos que ele curara o enfermo, o que suscitou toda a controvérsia, apenas com uma ordem (Jo 5:8,9). Só o Filho de Deus pode curar com sua Palavra. Ora, aquele milagre, como todas os sinais que operou, era uma obra através da qual o Pai testemunhava que Jesus era seu Filho, e que, portanto, todos deveriam crer Nele. (Jo 20:30,31). Os milagres que Cristo operava eram evidências dadas pelo Pai de que Jesus era seu amado Filho enviado para salvar seu povo. No entanto, de maneira trágica, os judeus viram aquele milagre como um motivo de perseguição a Cristo (Jo 5:8-18). Cegados por suas interpretações equivocadas da Lei, viram no milagre, não uma obra através da qual o Pai testificava a favor de seu Filho, mas uma prova de que Cristo não fora enviado por Ele. Eles entenderam exatamente o oposto do propósito do Pai naquele sinal. Que coisa impressionante! É como se eu dissesse: “Vá para frente”, e quem ouvisse a recomendação entendesse “vá para traz”

Mais uma vez vemos a luz brilhando sem, no entanto, ser aproveitada pelos homens. Amigo, os sinais que evidenciam que Jesus é o Filho de Deus estão todos nos Evangelhos, estão aqui no Evangelho de João (Jo 20:30,31). Aproveite esta luz crendo em Cristo, para que tenhas a vida eterna. Mas deixe-me dar-lhe um alerta: Creia nos sinais das Escrituras, e não nos “sinais” dos operadores de milagres modernos. Na verdade estes “operadores de milagres” não levam as pessoas a Cristo, mas desviam-nas Dele, por pregarem heresias destruidoras. Olhe para os sinais da Bíblia, e procure entendê-los bem. Veja para onde eles apontam, a luz do ensino geral das Escrituras, e você estará em caminho seguro. Você descobrirá, então, que eles apontam para Cristo, o Filho de Deus, em quem você deve crer para ter a Vida Eterna!

IV – O PAI TESTEMUHA PELAS ESCRITURAS (Jo 5:37-40)!

Finalmente nosso Senhor fala de mais uma forma do testemunho do Pai: As Escrituras. Ele diz que o Pai tem testemunhado sobre Ele por sua Palavra nas Escrituras. Elas testificam Dele. É lógico que o Senhor se refere ao Antigo Testamento. Cristo é o centro do Antigo Testamento. Vemo-lo ali. Vejamos apenas algumas passagens com referencias claras a Ele:

A – Logo após a queda Deus se refere a Ele:

Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.” (Gn 3:15).

B – Ao chamar Abrão, Deus o põe como aquele que vai abençoar as famílias da terra. Naturalmente isso se refere a Cristo que seria descendente de Abrão.

Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra.” (Gn 12:3).

C – O Pai refere-se a Ele como Filho, ordena que todos se dobrem diante Dele, e busquem Nele o refugio:

Por que se enfurecem os gentios e os povos imaginam coisas vãs? Os reis da terra se levantam, e os príncipes conspiram contra o SENHOR e contra o seu Ungido, dizendo: Rompamos os seus laços e sacudamos de nós as suas algemas. Ri-se aquele que habita nos céus; o Senhor zomba deles. Na sua ira, a seu tempo, lhes há de falar e no seu furor os confundirá. Eu, porém, constituí o meu Rei sobre o meu santo monte Sião. Proclamarei o decreto do SENHOR: Ele me disse: Tu és meu Filho, eu, hoje, te gerei. Pede-me, e eu te darei as nações por herança e as extremidades da terra por tua possessão. Com vara de ferro as regerás e as despedaçarás como um vaso de oleiro. Agora, pois, ó reis, sede prudentes; deixai-vos advertir, juízes da terra. Servi ao SENHOR com temor e alegrai-vos nele com tremor. Beijai o Filho para que se não irrite, e não pereçais no caminho; porque dentro em pouco se lhe inflamará a ira. Bem-aventurados todos os que nele se refugiam.” (Sl 2).

D – Deus anuncia claramente através de Isaias o nascimento de seu Filho, seus sofrimentos para salvar seu povo, seu Reino e glória futura:

Portanto, o Senhor mesmo vos dará um sinal: eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho e lhe chamará Emanuel.” (Is 7:14).

Quem creu em nossa pregação? E a quem foi revelado o braço do SENHOR? Porque foi subindo como renovo perante ele e como raiz de uma terra seca; não tinha aparência nem formosura; olhamo-lo, mas nenhuma beleza havia que nos agradasse. Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores e que sabe o que é padecer; e, como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e dele não fizemos caso. Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho, mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos. Ele foi oprimido e humilhado, mas não abriu a boca; como cordeiro foi levado ao matadouro; e, como ovelha muda perante os seus tosquiadores, ele não abriu a boca. Por juízo opressor foi arrebatado, e de sua linhagem, quem dela cogitou? Porquanto foi cortado da terra dos viventes; por causa da transgressão do meu povo, foi ele ferido. Designaram-lhe a sepultura com os perversos, mas com o rico esteve na sua morte, posto que nunca fez injustiça, nem dolo algum se achou em sua boca. Todavia, ao SENHOR agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando der ele a sua alma como oferta pelo pecado, verá a sua posteridade e prolongará os seus dias; e a vontade do SENHOR prosperará nas suas mãos. Ele verá o fruto do penoso trabalho de sua alma e ficará satisfeito; o meu Servo, o Justo, com o seu conhecimento, justificará a muitos, porque as iniqüidades deles levará sobre si. Por isso, eu lhe darei muitos como a sua parte, e com os poderosos repartirá ele o despojo, porquanto derramou a sua alma na morte; foi contado com os transgressores; contudo, levou sobre si o pecado de muitos e pelos transgressores intercedeu.” (Is 53).

Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz; para que se aumente o seu governo, e venha paz sem fim sobre o trono de Davi e sobre o seu reino, para o estabelecer e o firmar mediante o juízo e a justiça, desde agora e para sempre. O zelo do SENHOR dos Exércitos fará isto.” (Is 9:6,7).

Esta evidenciado, diante destes textos, que de fato, como Nosso Senhor falou, podemos dizer das Escrituras: “são elas mesmas que testificam de mim”. Cristo é anunciado no Antigo Testamento, e no Novo tudo se cumpre. O Senhor não contraria a busca dos judeus pela vida Eterna no estudo das Escrituras. Realmente a Vida eterna é encontrada nas páginas da Bíblia, pois a Bíblia anuncia a Cristo, que é o seu centro. Ora, por Cristo temos a Vida Eterna! No entanto mais uma vez os judeus desperdiçam a luz oferecida. Incrivelmente, apesar de eles pesquisarem profundamente as Escrituras, não vêm ao Cristo que elas anunciam para terem a Vida Eterna, sim, a Vida que tanto procuram nelas. Não é isto algo também impressionante? É como se a um doente fosse anunciado que um médico poderia curá-lo, e então o pobre enfermo se esforçasse por encontrá-lo, mas ao achá-lo não o reconhecesse, e não aceitasse sua ajuda. Eles buscavam a Vida Eterna, mas não a reconheceram quando as Escrituras apontavam para Cristo, que é a Vida.

Fica-nos aqui o alerta: Podemos estudar as Escrituras e ainda assim não encontrarmos a Cristo. Mas como isso é possível? Primeiro devemos reafirmar que o Senhor ensinou que não é errado estudar as Escrituras, aliás, é essencial que elas sejam conhecidas e perscrutadas. No entanto o fato de estudá-las não garante que encontraremos a Vida Eterna. Mas afinal, porque aqueles judeus não acharam a Vida mesmo estudando as Escrituras? Respondemos que o problema era que não havia fé na vida daqueles homens. Eles não tinham a Palavra no coração, pois não criam realmente no que ela dizia (5:38). E isto é provado pelo fato de não crerem no Cristo que as Escrituras anunciavam. Assim eles não viram a forma de Deus em Cristo (5:37). Na verdade estes homens buscavam a Vida Eterna nas Escrituras, mas a motivação não era correta, pois não amavam a Deus (5:42). O que eles buscavam era uma religião mundana que almejava a glória que vem dos homens e não a de Deus (5:44). Por isso não se submetiam a Palavra de Deus, mas cegados por esta religião mundana, não criam nela, e conseqüentemente no Cristo que anunciava, eles não iam a Cristo, o centro da Bíblia, o que dá a Vida Eterna (5:39,40). Que terrível é tudo isso!

Caro amigo, peço que avalie todas estas coisas. Você crê no Cristo da Bíblia? Você ama a Deus? Você quer apenas agradar a Deus, ou em tudo só pensa em agradar a homens? Avalie tudo isso, pois você pode até ser religioso, e procurar estudar a Bíblia, mas se não ama a Deus e procura agradar a homens, você também não crerá em Cristo e como aqueles judeus, não achará a Vida Eterna. Se este é o caso, clame já pela graça de Deus, pois só Ele pode nos transformar, e volte-se para Deus em arrependimento e creia no seu Filho conforme a Bíblia lhe mostra, conforme o Pai testemunha.

V – CONCLUSÃO:

O Pai testemunhou a respeito de seu Filho através de João Batista, pelos milagres operados por Cristo, e por todo o Antigo Testamento, e agora pelo Novo. E por este testemunho Ele está dizendo a todos os seres humanos, inclusive a você, que Cristo de fato é seu Filho, enviado por Ele como Salvador de seu povo, e que aqueles que desejam encontrar a Vida Eterna devem vir a ele crendo de coração. Este é o testemunho do Pai. Você crê neste testemunho ou não? Que você creia! Amém!

Pode ser copiado e distribuído livremente, desde que indicada a fonte, e o conteúdo não seja modificado!

Acesse também: Livros Reformados.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição de João 10:1-18 - Jesus é o Bom Pastor (Texto e áudio) - Manoel Coelho Jr.

Meditações em Gênesis 22: A prova suprema da Fé de Abraão* - Manoel Coelho Jr.

Estudo em Gênesis 3 (Primeira parte)