Reflexão: Saiba que no mais profundo do seu ser está o perigo.

Diz-nos Jesus: “Porque de dentro, do coração dos homens, é que procedem os maus desígnios, a prostituição, os furtos, os homicídios, os adultérios, a avareza, as malícias, o dolo, a lascívia, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura. Ora, todos estes males vêm de dentro e contaminam o homem.” (Mc 7:21-23).

O pecado é um mal que contamina todo o ser do homem. Ele não fica só na superfície, mas age profundamente. Existem pessoas que acham que pecar é tão somente praticar atos errados. Todavia, mesmo sendo verdade que o pecado se manifesta nos atos, a Bíblia nos informar que ele vai muito além disso. Ou seja, a sua origem é muito mais profunda. 

Vejamos:


1 – O pecado está nas nossas ações e nelas se manifesta (Ex 20:8-16):

Observemos que esta parte dos dez mandamentos nos fala de obediência em termos de nossas ações: Guardar o sábado; Honrar pai e mãe; Não matar; Não adulterar; Não dizer falso testemunho. É claro que existe um sentido mais profundo nestes mandamentos que a simples prática, o que veremos a seguir. Mas, todos eles sem dúvida se referem a ações, as práticas do dia a dia. Se pecar é quebrar a Lei de Deus, então quando praticamos coisas contrárias a estes mandamentos nós pecamos. Por exemplo, se não honrarmos nossos pais estaremos pecando. Assim o pecado pode ser algo prático, ou seja, algo que se mostra por meio de ações no viver diário.

2 – O pecado está em nossos desejos e neles se manifesta (Ex 20:17):

É muito importante darmos atenção ao fato de que os dez mandamentos não nos proíbem apenas as práticas erradas, mas também os desejos errados. Pecar não é só fazer coisas erradas, mas é também ter desejos errados. Muitas vezes as pessoas pensam que pecam apenas quando praticam certas coisas. Mas a Bíblia vai mais longe, e nos diz que elas podem pecar também nos desejos. “Não cobiçarás”. O pecado está na cobiça. A cobiça já é pecado. Quando desejamos, cobiçamos o que não é para ser cobiçado, já pecamos. E é assim, mesmo que não aconteça nenhuma ação. A própria prática se origina em um desejo pecaminoso que em si já é pecado. Aliás, Jesus ensinou que os mandamentos são quebrados antes que a prática se manifeste. (Mt 5:21,22,27,28)

3 – O pecado está em nosso coração e nele se manifesta (Gn 6:5 e 8:21):

Podemos dizer que coração na Bíblia se aplica a sede do ser do homem. É a sua capital. É de lá que vem todos os desejos, vontades e inclinações. Pois bem, segundo estes textos, é no coração que o pecado está. O pecado não está apenas nas obras e desejos do homem, mais atingiu a sede: o coração. O homem não somente pratica obras pecaminosas e têm desejos pecaminosos, o problema é muito mais grave: Ele é um ser pecaminoso. É de lá que vem esses desejos e obras más. O pecado é como um exército conquistador que em uma guerra chega a capital do país conquistado. É como se um exército estrangeiro invadisse a nossa capital: Brasília. O pecado está em nossa Brasília, em nosso coração, e de lá domina todo o nosso ser. A situação é extremamente grave. Para expressar esta gravidade citamos o teólogo Wayne Grudem como segue: “O descrente, mesmo dormindo, embora não cometa atos pecaminosos nem nutra ativamente atitudes pecaminosas, é ainda ‘pecador’ aos olhos de Deus; ele ainda tem uma natureza pecaminosa que não se conforma à lei moral de Deus” (Teologia Sistemática de Wayne Grudem, página 404).

Na verdade ocorre que a pessoa não convertida não ama a Deus em seu coração. De coração ela aborrece e despreza a Deus e não se humilha diante dele para lhe dar glória. Sua natureza é rebelde, arrogante e inimiga de Deus. Lembremos que a essência do pecado é não amar a Deus e nem lhe dar glória. Ora, tal essência habita na natureza, no coração do ser humano. Por isso cada pessoa neste mundo precisa nascer de novo, ser regenerado, ser feito uma nova criatura para poder fazer parte do Reino de Deus. É preciso uma transformação profunda operada pelo Espírito Santo. É preciso ter uma nova vida, uma nova natureza para que então se possa amar a Deus de coração e viver para sua glória. Por favor, medite nestas coisas em oração e com a mesma atitude leia Jo 3:1-21.


Pense agora nas seguintes questões: Você já nasceu de novo? Já se converteu? Já confiou em Jesus como seu único Salvador e Senhor? Já se humilhou diante dele em profunda tristeza e sofrimento pelos seus pecados, seus desejos maus e seu coração rebelde, desejando ardentemente uma nova vida, um novo coração, novos desejos santificados e práticas santas? Já sentiu profunda tristeza e arrependimento por não amar a Deus, desejando agora amá-lo? Oh meu prezado, sem estas coisas somos inimigos de Deus e o pecado em nós habita e reina. Se estas coisas não estão em sua vida, se você possui apenas religião, mas no coração não ama a Deus, eu lhe conclamo a buscar ao Senhor intensamente, a clamar a Ele por misericórdia e a não sossegar até ter certeza de que já nasceu de novo. Não durmamos, mas busquemos a Deus e Ele terá misericórdia de nós, pois Ele diz: “Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. Deixe o perverso o seu caminho, o iníquo os seus pensamentos, converta-se ao Senhor, que se compadecerá dele, e volte-se para o nosso Deus porque é rico em perdoar” (Is 55:6, 7).

Para comprar as versões impressas destas reflexões clique aqui e aqui.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição de João 10:1-18 - Jesus é o Bom Pastor (Texto e áudio) - Manoel Coelho Jr.

Meditações em Gênesis 22: A prova suprema da Fé de Abraão* - Manoel Coelho Jr.

Estudo em Gênesis 3 (Primeira parte)