O Consolo de ter o Espírito Santo como Mestre* – Exposição de João 14: 25,26 – Manoel Coelho Jr.



Baixe o mp3 clicando aqui.

Isto vos tenho dito, estando ainda convosco; mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito.

João 14: 25,26.

I – INTRODUÇÃO:

Temos visto que este capítulo é extremamente consolador. Estes dois versos que vamos agora estudar acompanham esta tendência ao apresentar o Espírito como nosso Mestre por excelência. Lembremos que os discípulos enfrentariam muitas dificuldades, isto é, viriam a morte de Cristo, seria traídos por pessoas como Judas, teriam seus “Pedros”, ou seja, a natureza pecaminosa deles, seriam também odiados e muitas vezes perseguidos até a morte por parte de religiosos. Além disso, a obra a fazer era imensa, e para dizer a verdade, impossível para o poder humano. Mas o Senhor lhes diz: “Não se turbem” Jo 14:1. O Senhor os consola mostrando que não precisavam ficar angustiados. Não estavam sozinhos e sem direção. Eles teriam um Mestre. Eles teriam o Espírito Santo que os ensinaria tudo o que eles precisariam saber para caminharem neste mundo difícil.

II – TUDO PREPARADO.

Isto vos tenho dito, estando ainda convosco; mas o Consolador”.

Para mim fica evidente que estas palavras expressam o amável cuidado do Senhor com seus discípulos. Agora Ele está presente, mas logo isso não seria mais realidade. Estariam eles sozinhos e abandonados? Não e não! Eles teriam o Consolador, o Auxiliador. Parece com o caso de um pai de família que viajará por um tempo e sente a necessidade de seus filhinhos. Ele se alegra de estar com eles e de cuidar de suas necessidades, mas precisa partir. Então ele tudo providencia, e tendo preparado o suprimento e um cuidador, olha para eles com ternura e lhes diz: “Não se preocupem, pois vocês não estarão desamparados. Eu preparei suprimentos e um acompanhante que será para vocês um amigo, protetor e guia. Ele os conduzirá”. Assim o Senhor estava dizendo a seus discípulos que Ele iria, mas não havia motivo para desespero. Estava tudo preparado. O Espírito estaria com eles para conduzi-los em tudo como Mestre. Tudo estava preparado, tudo estava preparado, tudo estava preparado. Amém!

Amigos cristãos, sei que este mundo é muito difícil para nós.  Não somos amados por ele e temos muitos inimigos e empecilhos até a reta final. Mas não estamos sozinhos, nem desamparados. O Senhor deixou para nos acompanhar a melhor das companhias, o melhor dos auxiliadores, o melhor dos professores, a saber, o próprio Espírito Santo. O sentido disso é que nós estamos nas melhores condições para enfrentarmos o mundo e suas dificuldades. O Espírito nos dará tudo o que precisarmos ao longo do caminho. Mas o que se enfatiza aqui é sua função como Guia. Tanto os discípulos iniciais como nós precisamos de direção diante de tantas dificuldades.

III – COMPLEMENTO NÃO CONTRADIÇÃO.

esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito

É importante enfatizarmos que a obra do Espírito como mestre não seria para contradizer o que o Senhor vinha dizendo, mas sim complementar. A fase em que Cristo passou na terra era peculiar em termos de ser um início para algo mais profundo que viria em breve após sua morte e ressurreição, e isso por meio do Espírito. Assim não havia contradição, mas complemento.

IV – DO PAI E DO FILHO.

o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome”.

Cristo havia dito: “E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco, o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não no vê, nem o conhece; vós o conheceis, porque ele habita convosco e estará em vós.” Jo 14:16,17. Assim temos que o Espírito é enviado pelo Pai e pelo Filho. Isso também deve se relacionar não apenas a obra da Redenção, mas ao que ocorre eternamente na Trindade Santa, ou seja, o Espírito emana do Pai e do Filho. Para nós fica a verdade que a Trindade trabalha harmonicamente em prol de nossa salvação, santificação e glorificação em meio a um mundo hostil. Isso também é muito consolador, pois observe: O Pai envia em nome do Filho o Espírito Santo para nos ensinar tudo o que precisamos. Oh cristão você quer melhor consolo que este? Anime-se e vá em frente esperando na graça de Deus em Cristo pelo poder do Espírito. Amém.

V – ELE ENSINA TUDO.

esse vos ensinará todas as coisas”.

 O ministério do Espírito como Mestre se manifesta em duas formas. Ele ensinará tudo e lembrará o que Cristo já havia falado. Falemos brevemente agora da primeira parte.

Esse “ensinar tudo” significa ensinar tudo o que é necessário. Há o texto clássico de II Tm 3:16 e 17 que assim nos diz: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra.”. Isso evidentemente se relaciona a esta obra de Mestre do Espírito que Jesus menciona em nosso texto de João. Tudo o que precisamos está na Bíblia, e a Bíblia é produção do Espírito como Mestre. Temos assim que o ensino do Espírito diz respeito a tudo o que precisamos para sermos cristãos em termos de fé e de prática. Além disso, esse ensino seria complementar ao que Cristo já vinha ensinando, conforme já vimos anteriormente. Cristo ainda diria aos seus discípulos em João 16: 12 e 13: “Tenho ainda muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora; quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir.”. O Espírito traria estas coisas ainda não suportáveis. E de fato Ele trouxe. Amém.

Conclusão: O Espírito traria todo o necessário, o que não era possível até aquele momento. Isso significa que já temos este depósito agora, a nossa disposição. Que consolo saber que não estamos sem orientação. O Espírito, nosso Mestre, nos orienta em tudo agora.

VI – ELE TROUXE LEMBRANÇA DE TUDO.

vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito”.

A segunda parte do trabalho do Espírito como Mestre é que Ele faria os discípulos originais lembrarem-se de tudo o que Cristo falou e fez.

Observemos alguns textos para melhor entendimento desta parte:

Perguntaram-lhe, pois, os judeus: Que sinal nos mostras, para fazeres estas coisas? Jesus lhes respondeu: Destruí este santuário, e em três dias o reconstruirei.  Replicaram os judeus: Em quarenta e seis anos foi edificado este santuário, e tu, em três dias, o levantarás? Ele, porém, se referia ao santuário do seu corpo. Quando, pois, Jesus ressuscitou dentre os mortos, lembraram-se os seus discípulos de que ele dissera isto; e creram na Escritura e na palavra de Jesus.

João 2:18-22.

Observe que naquele momento os discípulos não entenderam as implicações das palavras de Cristo. Mas depois da ressurreição eles “lembraram-se”. Quem os fez lembrar? Ora, foi o Espírito Santo. Observe que esta lembrança não foi uma mera recordação de um evento passado, mas foi uma lembrança com entendimento, isto é, eles lembraram compreendendo o que não conseguiam entender no momento do evento.

Vejamos mais um exemplo:

E Jesus, tendo conseguido um jumentinho, montou-o, segundo está escrito: Não temas, filha de Sião, eis que o teu Rei aí vem, montado em um filho de jumenta. Seus discípulos a princípio não compreenderam isto; quando, porém, Jesus foi glorificado, então, eles se lembraram de que estas coisas estavam escritas a respeito dele e também de que isso lhe fizeram.

João 12:14-16.

Seus discípulos não compreenderam na hora, mas depois “se lembraram de que estas coisas estavam escritas a respeito dele e também de que isso lhe fizeram”.  Quem os fez lembrar? Resposta: O Espírito santo. E mais uma vez não foi uma mera recordação, mas uma lembrança com entendimento. Na hora eles não compreenderam, mas depois lembraram-se entendendo o fato. Tudo isso quem operou foi o Espírito Santo em seu trabalho de mestre.

Conclusão: O Espírito fez os discípulos originais lembrarem-se do que Cristo falou, compreendendo o significado destas palavras e obras. 

Mas ainda devemos dizer que tais lembranças estão relacionadas ao outro trabalho do Espírito como mestre. Refiro-me ao ensino complementar ao que Cristo já vinha dizendo, ou seja, ensinar tudo o que eles precisavam saber. Tanto a lembrança como os ensinos complementares estão unidos, pois ao trazer a lembrança o Espírito complementava, dando compreensão do significado daquele evento ou palavra. Finalmente todo este trabalho do Espírito tornou-se um precioso depósito de Revelação de Deus e sua obra em Cristo para o benefício de seus discípulos. É por este depósito que o Espírito continua exercendo sua função de Mestre para os discípulos de hoje e dos tempos futuros até a volta de Cristo. Isto está a sua disposição, amado cristão. Você não está sem direção. Não e não. Você tem o que precisa, a saber, o Espírito lhe ensinando e conduzindo por meio deste depósito. Mas onde está tal precioso depósito? Veremos no ponto a seguir.

VI – O DEPÓSITO DO MESTRE.

mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito”.

Onde este o depósito? Resposta: Nas Escrituras. Ora, “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra.” II Tm 3:16, 17. Sabemos que a obra do Espírito como Mestre, em lembrar e complementar, foi registrada no Novo Testamento, pela direção do mesmo Espírito. Esta obra foi completada quando o último livro foi Escrito. Isso é óbvio pelo o que II Tm 3:16,17 nos diz. Temos tudo o que precisamos nas Escrituras. Esta obra está completa. Mas será que o Espírito não exerce mais a obra de Mestre. Sim, Ele ainda continua exercendo. Porem não mais trazendo lembranças ou complementos, pois lembrar só era possível àquelas testemunhas oculares, e o complemento já lhes foi dado para que a nós fosse transmitido. Porém, hoje o Espírito continua nos orientando levando-nos as Escrituras. Ele nos conduz a lê-las e a ouvir sua exposição na pregação fiel. É à medida que meditamos e compreendemos que também somos por Ele ensinados e guiados. É assim que o Espírito continua exercendo o trabalho prometido por Cristo nestas palavras: “Quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir” João 16:13. Ele nos deu todo este depósito nas Escrituras e agora nos ensina por meio do mesmo depósito. Este é nosso consolo, querido irmão. Sim, o consolo é que temos o Espírito como Mestre por meio das Escrituras. Oh cristão busque esta direção, este ensino nas Escrituras. Faça isso lendo, meditando e ouvindo a fiel pregação com oração para que o Espírito lhe conduza. Não se desanime. Você não está só. Você tem o maravilhoso Mestre que lhe ensina por sua Palavra nas Escrituras. Amém!

VII – CONCLUSÃO:


Em meio as dificuldades da vida cristã, temos o consolo de saber que estamos sendo guiados pelo Mestre por excelência, isto é, o Espírito Santo que nos ensina pelas Escrituras. 

Pode ser copiado, distribuído, e traduzido livremente para outro idioma, desde que indicada a fonte, a autoria, e o conteúdo não seja modificado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição de João 10:1-18 - Jesus é o Bom Pastor (Texto e áudio) - Manoel Coelho Jr.

Meditações em Gênesis 22: A prova suprema da Fé de Abraão* - Manoel Coelho Jr.

Estudo em Gênesis 3 (Primeira parte)