O que acontece quando a Bíblia prova a Tradição Religiosa?* - Mateus 15: 1-20 - Manoel Coelho Jr.





No texto anterior procurei mostrar o que acontece como consequência do tradicionalismo, que é colocar a Tradição Religiosa acima da Bíblia. Vejamos agora o inverso, ou seja, sobre o que ocorre quando a Bíblia é posta com teste para todas as tradições. Mas antes devo lembrar que ser protestante não é dispensar as contribuições dos mestres do passado.  Quem faz isso é um pobre soberbo que pensa ter “inventado a roda”. Todavia ser protestante ou evangélico é testar tudo pela Bíblia. Creio que esta é a atitude que devemos promover hoje com grande urgência. Infelizmente o tradicionalismo tem imperado no meio Romano, o que não é novidade. O mais triste é que o mesmo tem acontecido entre ditos evangélicos. Mas quero lhes mostra, como incentivo, o que acontece quando a Bíblia é posta como teste. Vamos lá.

1 – As crenças passam a se basear na realidade revelada na Bíblia.

Então, vieram de Jerusalém a Jesus alguns fariseus e escribas e perguntaram: Por que transgridem os teus discípulos a tradição dos anciãos? Pois não lavam as mãos, quando comem.” Mt 15:1,2.
A Bíblia é a revelação de Deus para nós. A Bíblia mostra a realidade. Ora, se aqueles homens tivessem ouvido e entendido a mensagem do Antigo Testamento não teriam feito uma pergunta tão tola para Cristo como a que fizeram. Eles saberiam que Cristo é quem diz ser. Eles conheceriam a realidade espiritual. Se eles tivessem testado suas tradições pelas Escrituras esse seria o resultado. O fato é que quando a Bíblia é posta como teste nossa fé e prática passa a ser baseada na realidade espiritual, pois a Bíblia é a “lanterna de Deus” que nos permite enxergar a Verdade sobre Ele, sobre nós mesmos, e sobre Cristo.

2 – A Bíblia assume seu lugar de autoridade.

Ele, porém, lhes respondeu: Por que transgredis vós também o mandamento de Deus, por causa da vossa tradição? Porque Deus ordenou: Honra a teu pai e a tua mãe; e: Quem maldisser a seu pai ou a sua mãe seja punido de morte. Mas vós dizeis: Se alguém disser a seu pai ou a sua mãe: É oferta ao Senhor aquilo que poderias aproveitar de mim; esse jamais honrará a seu pai ou a sua mãe. E, assim, invalidastes a palavra de Deus, por causa da vossa tradição.” M 15:3-6.
Veja que Cristo não tentou argumentar com aqueles homens usando a tradição deles, mas mostrou que as Escrituras invalidavam aquelas mesmas tradições. Isso é o que acontece quando a Bíblia é posta como teste, isto é, passa a assumir seu lugar de autoridade sobre todas as tradições por ser a Palavra de Deus. Isso significa o fim do pernicioso tradicionalismo tornando-se a Bíblia autoridade de fato para nós e não apenas em teoria.


3 – O coração se submete a Deus e sua Palavra nas Escrituras.

Hipócritas! Bem profetizou Isaías a vosso respeito, dizendo: Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. E em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens.” Mt 15:7-9.

Aqueles tradicionalistas não amavam a Deus e por isso desprezavam as Escrituras. O inverso também é verdadeiro, isto é, quando alguém se submete a Bíblia testando suas tradições pelo o que ela diz, é porque ama a Deus e a Ele se submete no coração. É como um filho que ama seu pai e obedece a sua ordem mesmo quando não está presente. 

4 – O Cristianismo é autêntico.

Hipócritas! Bem profetizou Isaías a vosso respeito, dizendo: Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. E em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens.” Mt 15:7-9.

O tradicionalismo encobre o que os homens têm no coração produzindo a hipocrisia. Já as Escrituras revelam o que somos nos chamando a sinceridade. Assim quando a Bíblia é posta como teste da tradição o que se produz é um cristianismo autêntico.


5 – As Escrituras produzem luz espiritual.

E, tendo convocado a multidão, lhes disse: Ouvi e entendei: não é o que entra pela boca o que contamina o homem, mas o que sai da boca, isto, sim, contamina o homem. Então, aproximando-se dele os discípulos, disseram: Sabes que os fariseus, ouvindo a tua palavra, se escandalizaram? Ele, porém, respondeu: Toda planta que meu Pai celestial não plantou será arrancada. Deixai-os; são cegos, guias de cegos. Ora, se um cego guiar outro cego, cairão ambos no barranco.” Mt 15: 10-14.

Se aqueles homens tivessem ouvido as Escrituras eles veriam que a contaminação vinha de seus corações maus, e não pelas mãos não lavadas em seus rituais. Assim é que quando a Escritura é levada a sério ela nos ilumina dando-nos discernimento sobre o que é realmente o bem e sobre o que é de fato o mal. Luz, discernimento, verdade, é o resultado das Escrituras.  

6 – As Escrituras produzem pureza.

Então, lhe disse Pedro: Explica-nos a parábola. Jesus, porém, disse: Também vós não entendeis ainda? Não compreendeis que tudo o que entra pela boca desce para o ventre e, depois, é lançado em lugar escuso? Mas o que sai da boca vem do coração, e é isso que contamina o homem. Porque do coração procedem maus desígnios, homicídios, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos, blasfêmias. São estas as coisas que contaminam o homem; mas o comer sem lavar as mãos não o contamina.” Mt 15:15-20.

Se aqueles homens tivessem ouvido as Escrituras teriam visto a imundície em seus corações tendo assim a oportunidade de buscar a purificação verdadeira que há apenas em Cristo. Da mesma forma cada vez que a Bíblia é posta como teste a luz brilha e nada é posto para “debaixo do tapete”. Os homens então veem, pelo o que Bíblia lhes diz, que apenas em Cristo há redenção, justificação, e santificação. Assim o conhecimento genuíno da mensagem bíblica produz verdadeira pureza.

7 – A graça salvadora de Deus em Cristo está atuando.

Ele, porém, respondeu: Toda planta que meu Pai celestial não plantou será arrancada.” Mt 15:13.

Todos os pontos anteriores acontecem apenas se Deus operar sua graça. É Deus quem planta as suas árvores. São apenas estas que dão fruto. É a graça de Deus que nos dá um novo coração que ama a Deus e sua Palavra nas Escrituras. Assim que oremos com o salmista: “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração, prova-me e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno.” Sl 139: 23,24.

Agora eu lhe pergunto: Há estes sinais de graça em sua vida e na Igreja em que se congrega? A Bíblia é realmente a autoridade para você e sua igreja? Não é hora de você meditar e orar sobre estes assuntos?

Pode ser copiado e distribuído livremente, desde que indicada a fonte, a autoria, e o conteúdo não seja modificado!

*Pregação do Culto da noite, 3 de novembro de 2013, na Congregação Batista Reformada em Belém.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição de João 10:1-18 - Jesus é o Bom Pastor (Texto e áudio) - Manoel Coelho Jr.

Meditações em Gênesis 22: A prova suprema da Fé de Abraão* - Manoel Coelho Jr.

Estudo em Gênesis 3 (Primeira parte)