Estudo 4: O Evangelho - A Ira de Deus (Áudio, vídeo e texto)* - Manoel Coelho Jr.






Se o pecado é tão terrível conforme mostramos no capítulo anterior necessariamente terá uma reação apropriada da parte de Deus a qual é chamada pela Bíblia de Ira. Muitos se sentem incomodados quando ouvem que Deus se ira contra pecadores. Eles pensam que um Deus que é amor não pode estar irado. Mas este entendimento é equivocado porque apresenta a Deus de uma forma desequilibrada. Isso acontece devido ao fato de que neste caso o amor de Deus é enfatizado e sua Justiça é esquecida. Isso levado às últimas consequências tornaria o amor de Deus algo injusto. No entanto precisamos entender que Deus é Amor Justo, isto é, seu amor não compactua com o pecado e injustiça, mas com a santidade, a justiça, e a retidão. Sendo assim Deus não pode estar satisfeito com o que peca, mas sendo justo se ira contra o pecado que é essencialmente injustiça. Entenderemos isso melhor nos próximos pontos.

1 – O Pecado resulta na Ira Divina.

Vemos que a Ira de Deus só passou a si manifestar em várias formas a partir da entrada do pecado na humanidade. Para provarmos isso basta lermos os três primeiros capítulos da Bíblia. Podemos dizer que a Ira de Deus é uma consequência direta do pecado, e é uma consequência necessária. Geralmente as pessoas não aceitam a Ira de Deus porque não entendem a gravidade do pecado. Todavia se compreendemos o que é o pecado percebemos que a Ira não é alguma coisas gratuita, exagerada ou desnecessária. Não! Ora, se Deus não se irasse com o pecado estaria negando a si mesmo e colocando-se do lado de algo tão terrível como é o pecado. Assim antes de continuarmos eu lhe incentivo a ler novamente o capítulo anterior com bastante calma e meditação.

Então já leu? Agora posso afirma o que se segue.

2 – A Ira de Deus é contra o pecado como mal.

Quando lemos os dois primeiros capítulos de Gênesis percebemos que tudo o que Deus faz é bom. Isso é assim porque o próprio Deus é Bom (Sl 100:5). O pecado, no entanto é o mal maior e na verdade a fonte de todo o mal. Isso se vê pelo fato de que após a Queda de Adão e Eva todos os males penetram na humanidade. Observe que se Deus é Bom e Criador. Dessa forma o padrão da Bondade está Nele. É por isso que Ele diz que sua Criação é boa, e realmente boa ela é (Gn 1:4). O pecado é absolutamente contrário a Deus, sendo assim essencialmente mau. Neste caso Deus não pode se satisfazer com o pecado e tão pouco compactuar com ele. Necessariamente Deus tem de estar contra o pecado porque Ele é Bom e o pecado é mau. Por isso Deus se ira contra o pecado.

3 – Deus se ira porque o pecado contraria sua Santidade.

Nadabe e Abiú, filhos de Arão, tomaram cada um o seu incensário, e puseram neles fogo, e sobre este, incenso, e trouxeram fogo estranho perante a face do SENHOR, o que lhes não ordenara. Então, saiu fogo de diante do SENHOR e os consumiu; e morreram perante o SENHOR. E falou Moisés a Arão: Isto é o que o SENHOR disse: Mostrarei a minha santidade naqueles que se cheguem a mim e serei glorificado diante de todo o povo. Porém Arão se calou.” Lv 10:1-3.

Este foi um terrível caso de manifestação da Ira de Deus contra o pecado. Note que Moisés associa o caso com a Santidade de Deus. O fato é que as Escrituras mostram que o pecado é um atentado contra a Santidade Divina, pois é impureza e oposição a sua santa Lei (II Co 6:14). Dessa forma se Deus não se irasse com o pecado estaria atentando contra si, contra sua Santidade. Por isso necessariamente Deus se ira com o pecado.

4 – Deus se ira contra o pecado e contra o pecador.

Deus é justo juiz, Deus que sente indignação todos os dias. Se o homem não se converter, afiará Deus a sua espada; já armou o arco, tem-no pronto; para ele preparou já instrumentos de morte, preparou suas setas inflamadas. Eis que o ímpio está com dores de iniqüidade; concebeu a malícia e dá à luz a mentira. Abre, e aprofunda uma cova, e cai nesse mesmo poço que faz. A sua malícia lhe recai sobre a cabeça, e sobre a própria mioleira desce a sua violência. Eu, porém, renderei graças ao SENHOR, segundo a sua justiça, e cantarei louvores ao nome do SENHOR Altíssimo.” Sl 7:11-17.

Há uma frase muito tola que diz assim “Deus odeia o pecado, mas ama o pecador”. Ela é tola porque desassocia o pecado daquele que a comete. Ora, para ilustrar podemos lembrar que quando se encontra um corpo de alguém vítima de violência não se diz que o assassinato deve ser punido e não o assassino. Não e não! O assassino é quem deve levar a pena, pois praticou o assassinato. Um ato odioso torna odioso e merecedor de pena aquele que o comete. Ao olharmos o texto do salmo acima notamos que a indignação de Deus é contra o ímpio, o pecador, e é contra ele, o ímpio, que Deus prepara suas armas. Não nos iludamos amigos, pois a Ira de Deus é contra o pecado e o pecador que o comete.

5 – A plena Ira de Deus virá na Volta de Cristo para julgar a humanidade.
Porquanto, quem quiser salvar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a vida por minha causa achá-la-á. Pois que aproveitará o homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Ou que dará o homem em troca da sua alma? Porque o Filho do Homem há de vir na glória de seu Pai, com os seus anjos, e, então, retribuirá a cada um conforme as suas obras.” Mt 16: 25-27.

Cristo vem para julgar os homens segundo suas obras. Isso mostra que a Ira plena de Deus virá no estabelecimento de seu Reino. Podemos dizer que a ira já se manifesta agora, só que misturada com sua paciência e misericórdia. Cristo diz: “porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons e vir chuvas sobre justos e injustos.” Mt 5:45. Estas palavras demostram que a misericórdia de Deus esta presente neste mundo manifestando-se até sobre homens muito maus. Mas no futuro a Ira será plena, ou seja, sem nenhum resquício de misericórdia. O que fazer então? Devemos abusar desta misericórdia e paciência de Deus prosseguindo no pecado? Não! Absolutamente não! Há muitos que fazem isso permanecendo nos seus pecados crendo que Deus não os julgará, visto que ainda não os chamou para prestar contas e tudo continua ocorrendo normalmente a cada dia. Eles veem o Sol nascer a cada manhã e seus corpos fortalecidos, e pensam que Deus não se importa com suas vidas pecaminosas. Mas “Por que razão despreza o ímpio a Deus, dizendo no seu íntimo que Deus não se importa?” Sl 10:13. Paulo deixa o seguinte alerta a estes: “Tu, ó homem, que condenas os que praticam tais coisas e fazes as mesmas, pensas que te livrarás do juízo de Deus? Ou desprezas a riqueza da sua bondade, e tolerância, e longanimidade, ignorando que a bondade de Deus é que te conduz ao arrependimento? Mas, segundo a tua dureza e coração impenitente, acumulas contra ti mesmo ira para o dia da ira e da revelação do justo juízo de Deus, que retribuirá a cada um segundo o seu procedimento: a vida eterna aos que, perseverando em fazer o bem, procuram glória, honra e incorruptibilidade; mas ira e indignação aos facciosos, que desobedecem à verdade e obedecem à injustiça.” Rm 2:3-8.  Prezado leitor não abuse da paciência e misericórdia de Deus. Não permaneça teimosamente no pecado, mas procure zelosamente conhecer a Cristo e sua Redenção e para Ele corra em fé e arrependimento!

Pode ser copiado e distribuído livremente, desde que indicada a fonte, a autoria, e o conteúdo não seja modificado!

 *Estudo da noite de quarta, dia 23 de outubro de 2013, na Congregação Batista Reformada em Belém.

Para os livros do blog clique aqui.

Leitura recomendada: 


A Ira de Deus - M. Lloyd-Jones.





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição de João 10:1-18 - Jesus é o Bom Pastor (Texto e áudio) - Manoel Coelho Jr.

Meditações em Gênesis 22: A prova suprema da Fé de Abraão* - Manoel Coelho Jr.

Estudo em Gênesis 3 (Primeira parte)