Nona exposição sobre o Juízo Final - Desmascarando os “bons frutos” dos falsos profetas - Mt 7:15-18 - Texto*.

Acautelai-vos dos falsos profetas, que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores. Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinheiros ou figos dos abrolhos? Assim, toda árvore boa produz bons frutos, porém a árvore má produz frutos maus. Não pode a árvore boa produzir frutos maus, nem a árvore má produzir frutos bons.”. Mt 7:15-18.

I – INTRODUÇÃO:

Encerrei o estudo anterior dizendo assim: “Apenas o fruto destrói os disfarces dos falsos profetas, pois o fruto é uma espécie de “janela do coração” mostrando a real natureza de um homem. Na prática este fruto se mostra no ensino e na vida diária. Olhemos então para os frutos e não nos iludamos com disfarces. Cristo mesmo nos diz: ‘Pelos seus frutos os conhecereis’.”. Mas agora preciso lhe falar de outro problema que se não for mencionado causará grande dano. O problema é este: Faz parte da mentira dos falsos profetas simularem o bom fruto. Eles tentarão parecer que pregam a doutrina correta e que vivem uma vida santa. Com isso enganarão a muitos. Diante desse fato temos apenas um antídoto: A Sagrada Escritura iluminada pelo o Espírito Santo. Assim neste estudo tratarei de mostrar a maneira de desmascararmos os falsos frutos dos enganadores.

II – IDENTIFICANDO O FRUTO PELA PALAVRA DE DEUS.

Vamos supor que alguém viva em um país onde nunca se tenha visto uma laranja. Em certo tempo esta pessoa viaja ao Brasil para morar e trabalhar em sua casa. Alguns dias depois você lhe pede que vá a feira comprar algumas laranjas. Mas como ela cumprirá a tarefa se nunca viu o fruto? Evidentemente ou você lhe mostrará uma laranja ou fará uma descrição mais ou menos detalhada da mesma. Você lhe falará da cor, da forma, e da textura. Assim seu funcionário não trará uma banana, por exemplo. Ora, bananas são bem diferentes das laranjas. Algo semelhante acontece com respeito ao nosso assunto, ou seja, só poderemos identificar um bom fruto se o conhecermos. Neste caso qualquer outra coisa imediatamente se mostrará para nós como completamente falsa. Jesus nos diz que: “toda árvore boa produz bons frutos, porém a árvore má produz frutos maus.” Mt 7:17. Dessa forma precisamos saber claramente a diferença entre “Fruto bom” e “Fruto mau”. Se não, identificaremos um fruto mau como bom e vice-versa. Mas como ter este conhecimento? Bem, como no exemplo que dei o conhecimento vem da explicação sobre as características do bom fruto. Mas onde encontramos esta explicação, esta luz? Só há uma resposta: Na Escritura Sagrada. Veja o que nos diz o salmista:

Quanto amo a tua lei! É a minha meditação, todo o dia! Os teus mandamentos me fazem mais sábio que os meus inimigos; porque, aqueles, eu os tenho sempre comigo. Compreendo mais do que todos os meus mestres, porque medito nos teus testemunhos. Sou mais prudente que os idosos, porque guardo os teus preceitos. De todo mau caminho desvio os pés, para observar a tua palavra. Não me aparto dos teus juízos, pois tu me ensinas. Quão doces são as tuas palavras ao meu paladar! Mais que o mel à minha boca. Por meio dos teus preceitos, consigo entendimento; por isso, detesto todo caminho de falsidade. Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e, luz para os meus caminhos. Jurei e confirmei o juramento de guardar os teus retos juízos.”. Sl 119: 97-106.

O salmista fala que é a Lei de Deus que lhe concede luz. Por isso Ela o faz sábio (mais que os inimigos e mestres), prudente (mais que os idosos), e lhe livra do mal e da falsidade. Portanto, para ele a Lei de Deus é desejável mais que tudo. Ele a ama e Nela medita todo o dia. Temos assim que o conselho da Palavra é: Se você deseja ser livre de toda a falsidade é preciso que ame e medite regularmente nas Sagradas Escrituras. Logicamente isso só é possível quando se ama a Deus, pois quem não ama a Palavra não ama a Deus, já que a Palavra é Dele. Por isso ele diz:Jurei e confirmei o juramento de guardar os teus retos juízos.”. E Jesus nos diz “Se me amais, guardareis os meus mandamentos.”. Jo 14:15. Além destes fatos Paulo nos fala que a Bíblia é a fonte de fé e prática. Veja: “Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste e de que foste inteirado, sabendo de quem o aprendeste e que, desde a infância, sabes as sagradas letras, que podem tornar-te sábio para a salvação pela fé em Cristo Jesus. Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra.” II Tm 3: 14-17.  As doutrinas do Evangelho de Cristo estão na Bíblia, como também toda a boa obra que o cristão deve praticar. Lembremos que o fruto do profeta se conhece como bom ou mau pelo o que ele diz e faz, por sua doutrina e por sua prática. Ora, fica claro que o padrão do bom fruto está na Bíblia, pois ela mostra a boa doutrina e as boas obras. Não há outra forma de conhecermos estas coisas.

No entanto é preciso dizer que a Bíblia só é entendida com a iluminação do Espírito Santo. Veja:
Tenho-vos dito estas coisas para que não vos escandalizeis. Eles vos expulsarão das sinagogas; mas vem a hora em que todo o que vos matar julgará com isso tributar culto a Deus. Isto farão porque não conhecem o Pai, nem a mim. Ora, estas coisas vos tenho dito para que, quando a hora chegar, vos recordeis de que eu vo-las disse. Não vo-las disse desde o princípio, porque eu estava convosco. Mas, agora, vou para junto daquele que me enviou, e nenhum de vós me pergunta: Para onde vais? Pelo contrário, porque vos tenho dito estas coisas, a tristeza encheu o vosso coração. Mas eu vos digo a verdade: convém-vos que eu vá, porque, se eu não for, o Consolador não virá para vós outros; se, porém, eu for, eu vo-lo enviarei. Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo: do pecado, porque não crêem em mim; da justiça, porque vou para o Pai, e não me vereis mais; do juízo, porque o príncipe deste mundo já está julgado.  Tenho ainda muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora; quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir. Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar.  Tudo quanto o Pai tem é meu; por isso é que vos disse que há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar.”. Jo 16:1- 14.

Algo que deve nos deixar perplexos neste texto é a afirmação de Cristo de que se os perseguidores matarão seus discípulos acreditando que com isso servem, cultuam a Deus. Que erro absurdo. Deus os manda para um lado e eles seguem o oposto acreditando que o obedecem. Como chegam a este equívoco tão grande? Jesus responde assim: “Isto farão porque não conhecem o Pai, nem a mim”. A falta de conhecimento de Deus leva as pessoas a terríveis erros. E fazem isso pensando agir com acerto. Porém observemos que logo Jesus mostra que é o Espírito Santo quem convence os homens de seus erros. Ele é o Espírito da Verdade. É Ele quem nos guia à Verdade. Fica claro que só podemos compreender a Verdade que está na Bíblia quando somos iluminados pelo Espírito Santo. Quando tal coisa acontece não caímos naqueles terríveis equívocos. Para melhor compreensão vamos resumir todos estes fatos nas seguintes pontos:

1 – A Bíblia é a luz de Deus que nos livra da falsidade.

2 – Apenas os que amam a Deus e a sua Palavra terão esta luz.

3 – Só entendem o que a Palavra diz os que são iluminados pelo Espírito Santo.

4 – Os que são iluminados pelo Espírito Santo amam a Deus e a sua Palavra.

Assim, meu leitor questione-se: Eu amo a Deus e sua Palavra? Eu busco a luz de Deus na sua Palavra para não cair na falsidade? Se estas coisas não estão acontecendo é que você não está sendo dirigido pelo Espírito Santo. Neste caso você está impondo a Bíblia sua própria opinião ou de outra pessoa. O resultado será um terrível equívoco e você não saberá diferenciar o “bom fruto” do “mau fruto” sendo assim enganado por falsos profetas. Cuidado! Ouça: Muitas vezes encontramos pessoas que não nos ouvem quando mostramos na Bíblia que o que elas chamam de “bom fruto” na verdade é “mau fruto”. Elas estão muito certas de suas opiniões. Elas perseguem os verdadeiros cristãos achando que cultuam a Deus. O que as leva a isso é a arrogância. Elas não se humilham diante de Deus com desejo sincero de encontrar a Verdade. Elas não pedem com sinceridade que o Espírito Santo as iluminem. Elas já leem a Bíblia com uma ideia errada e assim nada entendem. Elas amam a mentira. Cuidado! Seja humilde e clame pela misericórdia de Deus. Peça que Ele lhe ensine por sua Palavra iluminada pelo Espírito Santo pois “Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão fartos.” Mt 5: 6.  

Mas permita-me que eu exemplifique tudo isso. Leiamos:

Então, vieram de Jerusalém a Jesus alguns fariseus e escribas e perguntaram: Por que transgridem os teus discípulos a tradição dos anciãos? Pois não lavam as mãos, quando comem.” Mt 15: 1,2.

Veja, os fariseus e escribas, que eram os falsos profetas daquela época, se escandalizaram porque os discípulos não lavavam as mão ritualmente conforme prescrevia a tradição dos homens. Este fato manifesta uma constante prática dos falsos profetas: Eles não amam a Bíblia, mas sua própria tradição humana. Eles colocam a Bíblia abaixo das opiniões humanas. Isso os leva a rituais religiosos que têm a aparência de “bom fruto”. Ora, parecia tão piedoso lavar as mãos ritualmente. Mas veja a resposta de Cristo:

Ele, porém, lhes respondeu: Por que transgredis vós também o mandamento de Deus, por causa da vossa tradição?” Mt 15:3.

Observe que Jesus mostra o problema básico deles: Transgridem o mandamento de Deus para seguir a própria tradição. Com isso o Senhor os desmascara. E para complementar mostra esta verdade num exemplo prático:

 Porque Deus ordenou: Honra a teu pai e a tua mãe; e: Quem maldisser a seu pai ou a sua mãe seja punido de morte. Mas vós dizeis: Se alguém disser a seu pai ou a sua mãe: É oferta ao Senhor aquilo que poderias aproveitar de mim; esse jamais honrará a seu pai ou a sua mãe. E, assim, invalidastes a palavra de Deus, por causa da vossa tradição.” Mt 15: 4-6.
Conclusão: A tradição deles levava as pessoas a desobedecerem ao quinto mandamento. Mas tudo parecia muito certo, pois a desobediência se transformava em uma “oferta ao Senhor”. No final parecia um “bom fruto”, mas na verdade era “mau fruto”. Você percebe? Sempre é assim. Mas Jesus continua:

Hipócritas! Bem profetizou Isaías a vosso respeito, dizendo: Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. E em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens.”. Mt 15: 7-9.

Ou seja: Toda a religião do falso profeta é preceito de homens, e consequentemente não é religião do coração, mas hipocrisia. Eles não tratam do coração, mas promovem máscaras. Eles lavam as mãos pensando estar se purificando e nem observam que é o coração mau deles que os contamina. Diz o Senhor: “Porque do coração procedem maus desígnios, homicídios, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos, blasfêmias. São estas as coisas que contaminam o homem; mas o comer sem lavar as mãos não o contamina.” Mt 15: 19, 20. Eles não foram objetos do novo nascimento por isso diz Jesus a respeito deles: “Toda planta que meu Pai celestial não plantou será arrancada.” Mt 15: 13.

Assim temos:

1 – os falsos profetas seguem outras coisas e não a Bíblia.

2 – Os falsos profetas promovem uma religião hipócrita com aparência de “bons frutos”, mas que na verdade são “maus frutos”.

3 – A única forma de desmascarar estes “bons frutos” é, seguir o exemplo de Cristo, isto é, olhar com sinceridade e seriedade para a Escritura Sagrada como Única Fonte da Verdade, deixando toda e qualquer outra suposta “fonte de conhecimento espiritual”.  Você está disposto a isso?

III – “BONS FRUTOS”: NEGANDO A PORTA E O CAMINHO ESTREITO.

Mas devemos também observar que a característica mais fundamentar dos “bons frutos” dos falsos profetas é a negação da porta e caminho estreito. Isso deduzimos pelo contexto de nosso texto. O Senhor acabara de falar dos dois caminhos, o estreito e o largo. O estreito dá para a vida e o largo para morte. É evidente que faz parte da falsificação a aparente indicação da porta e caminho estreito. Mas é tudo isso mesmo: Aparência. Na verdade o falso profeta continua conduzindo as pessoas pelo caminho largo. O falso profeta é alguém que odeia o caminho estreito da Lei de Deus e oferece uma alternativa mais suave, mais fácil, mais larga. Veja:

Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e tendes negligenciado os preceitos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia e a fé; devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas! Guias cegos, que coais o mosquito e engolis o camelo!” Mt 23:23, 24.

Conclusão: Eles fazem o menos importante e deixam o mais importante de lado. Naturalmente agem assim para promover uma religião mais fácil, mais suave, mais larga. Percebe? Ora, não é verdade que há ímpios que se tornam dizimistas? Mas seguir a justiça, a misericórdia, e a fé é para os que querem o caminho estreito. Veja outro exemplo:

Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir. Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra. Aquele, pois, que violar um destes mandamentos, posto que dos menores, e assim ensinar aos homens, será considerado mínimo no reino dos céus; aquele, porém, que os observar e ensinar, esse será considerado grande no reino dos céus. Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder em muito a dos escribas e fariseus, jamais entrareis no reino dos céus. Ouvistes que foi dito aos antigos: Não matarás; e: Quem matar estará sujeito a julgamento. Eu, porém, vos digo que todo aquele que sem motivo se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento; e quem proferir um insulto a seu irmão estará sujeito a julgamento do tribunal; e quem lhe chamar: Tolo, estará sujeito ao inferno de fogo. Se, pois, ao trazeres ao altar a tua oferta, ali te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa perante o altar a tua oferta, vai primeiro reconciliar-te com teu irmão; e, então, voltando, faze a tua oferta. Entra em acordo sem demora com o teu adversário, enquanto estás com ele a caminho, para que o adversário não te entregue ao juiz, o juiz, ao oficial de justiça, e sejas recolhido à prisão. Em verdade te digo que não sairás dali, enquanto não pagares o último centavo. Ouvistes que foi dito: Não adulterarás. Eu, porém, vos digo: qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, no coração, já adulterou com ela. Se o teu olho direito te faz tropeçar, arranca-o e lança-o de ti; pois te convém que se perca um dos teus membros, e não seja todo o teu corpo lançado no inferno. E, se a tua mão direita te faz tropeçar, corta-a e lança-a de ti; pois te convém que se perca um dos teus membros, e não vá todo o teu corpo para o inferno.” Mt 5: 17- 30.

Conclusão: O Caminho de Cristo é muito mais restritivo que dos fariseus. Para Cristo insultar já é matar, e cobiçar já é adulterar. Para Cristo é preciso cortar o mal pela raiz. É preciso ser radical. Ora, os falsos profetas nunca vão tão longe. Eles promovem uma religião mais suave, que não exige muito, que não é tão radical. Eles dizem: “Deus entende,...não seja tão radical,...todos pecam...” e por aí vai. Você entendeu bem isso leitor? Fique então alerta para esse tipo de coisa. Ouça: Um homem não deve exigir nada que a Bíblia não prescreva, mas quando alguém começa a ser muito tolerante quanto a quebra dos claros mandamentos bíblicos é hora de ficar alerta. Este é um sinal muito característico de que se trata de um falso profeta. É claro que eles serão muito sutis, mas este sinal sempre aparecerá. No final Deus lhe dará este discernimento por sua Palavra iluminada pele Espírito Santo conforme já estudamos. Assim meu conselho é que você busque a Deus pedindo-lhe discernimento por sua Palavra.

IV – O JUIZ CONHECE OS VERDADEIROS BONS FRUTOS.

Jesus conclui esta seção dizendo: “Toda árvore que não produz bom fruto é cortada e lançada ao fogo.” Mt 7: 19. O grande teste no Juízo Final será: Qual a qualidade do fruto produzido? O fruto é bom ou mau? Será assim porque o fruto mostra a natureza da árvore, pois “toda árvore boa produz bons frutos, porém a árvore má produz frutos maus. Não pode a árvore boa produzir frutos maus, nem a árvore má produzir frutos bons.” Mt 7: 17, 18. Ora, o falso profeta pode enganar a si mesmo e aos outros com seus “bons frutos”, mas não poderá enganar o Juiz Daquele Dia. O Juiz sabe muito bem o que é o bom fruto e o que é o mau fruto. Então será que Naquele Dia os falsos profetas serão todos condenados e lançados no Inferno. Que terrível será este Dia para eles. Mas também será para todos os seus seguidores. Daí que tal assunto é tão importante para você que lê estas linhas. Caso você siga um falso profeta também será condenado. Tome cuidado! À quem você está seguindo? Veja o que a Palavra diz a você caso queira ser agradado por falsos profetas:

Porque povo rebelde é este, filhos mentirosos, filhos que não querem ouvir a lei do SENHOR. Eles dizem aos videntes: Não tenhais visões; e aos profetas: Não profetizeis para nós o que é reto; dizei-nos coisas aprazíveis, profetizai-nos ilusões; desviai-vos do caminho, apartai-vos da vereda; não nos faleis mais do Santo de Israel. Pelo que assim diz o Santo de Israel: Visto que rejeitais esta palavra, confiais na opressão e na perversidade e sobre isso vos estribais, portanto, esta maldade vos será como a brecha de um muro alto, que, formando uma barriga, está prestes a cair, e cuja queda vem de repente, num momento. O SENHOR o quebrará como se quebra o vaso do oleiro, despedaçando-o sem nada lhe poupar; não se achará entre os seus cacos um que sirva para tomar fogo da lareira ou tirar água da poça. Porque assim diz o SENHOR Deus, o Santo de Israel: Em vos converterdes e em sossegardes, está a vossa salvação; na tranqüilidade e na confiança, a vossa força, mas não o quisestes. Antes, dizeis: Não, sobre cavalos fugiremos; portanto, fugireis; e: Sobre cavalos ligeiros cavalgaremos; sim, ligeiros serão os vossos perseguidores. Mil homens fugirão pela ameaça de apenas um; pela ameaça de cinco, todos vós fugireis, até que sejais deixados como o mastro no cimo do monte e como o estandarte no outeiro. Por isso, o SENHOR espera, para ter misericórdia de vós, e se detém, para se compadecer de vós, porque o SENHOR é Deus de justiça; bem-aventurados todos os que nele esperam.” Is 30: 9-18.

Conclusão: Se você desprezar a palavra de Deus e desejar as mentiras dos falsos profetas, eis que você será condenado com eles. Oh, mas para que você faria isso? Vamos, arrependa-se e busque a misericórdia de Deus já. Ele é compassivo e misericordioso sendo que feliz é o que Nele espera. Ele diz: “Em vos converterdes e em sossegardes, está a vossa salvação; na tranqüilidade e na confiança, a vossa força, mas não o quisestes.”. Você não vai querer? Que tolice é esta sua? Vamos arrependa-se e creia em Cristo já! Busque a Verdade homem! Busque a Verdade mulher! Você preferirá encher-se de males por desprezar a Deus amando esta vida (Leia por favor: I Tm 6:3- 10)? Qual sua resposta?

V- CONCLUSÃO:

Os “bons frutos” dos falsos profetas enganam a muitos. Mas pelas Escrituras iluminadas pelo Espírito Santo podemos desmascará-los. A característica mais básica destes falsos frutos é a negação da porta e caminho estreito. Mas ao Juiz este falsos profetas não enganam. Assim, no Juízo Final serão condenados juntamente com seus seguidores. Dessa forma todos devem ficar alertas correndo imediatamente para a Verdade de Deus na sua Palavra em arrependimento e Fé. Que assim seja com você, prezado leitor! Amém!

*Por Manoel Coelho Jr.

Pode ser copiado e distribuído livremente, desde que indicada a fonte, a autoria, e o conteúdo não seja modificado!

Adquira as obras do blog clicando aqui.



Leitura recomendada:



Medita Estas Coisas (Nova Edição) Medita Estas Coisas (Nova Edição)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição de João 10:1-18 - Jesus é o Bom Pastor (Texto e áudio) - Manoel Coelho Jr.

Meditações em Gênesis 22: A prova suprema da Fé de Abraão* - Manoel Coelho Jr.

Estudo em Gênesis 3 (Primeira parte)