Questões para pensar em como vivemos em 2016 e como pretendemos vivem em 2017 se Deus nos conceder mais um ano, por Manoel Coelho Jr.

Já estou de fato convertido? Não amo o pecado mais que a Deus? Quero sua vontade e viver para a sua glória? Creio de todo o coração que só Cristo salva já que levou e pagou preço dos pecados de sua povo? Amo a Deus? Odeio o pecado? Posso dizer: minha maior tristeza é pecar? Posso dizer: amo a santidade? Posso dizer: quero conhecer mais e mais a Deus, afastar-me do pecado e ser mais e mais obediente ao Senhor? Posso dizer: Já voltei as costas para o pecado e voltei minha vida para Deus pois quero viver para Ele? Posso dizer: Sei que o pecado e suas influências ainda habitam em mim, mas luto pelo poder da graça de Deus em seu Espírito contra estas forças? 

Se já sou convertido devo me perguntar: O meu amor pelo Senhor tem se tornado mais forte? Estou mais obediente agora que, por exemplo, no início deste ano? O nome do Deus Pai, Filho e Espírito Santo está sendo mais glorificado em minha vida agora que antes? Portanto, posso dizer que amo mais ao Senhor hoje que no início de minha caminhada cristã? O meu amor pelo meus próximos está aumentando? Tenho me disposto a ajudar os meus próximos nas suas diversas necessidades de forma cada vez mais decidida? Eu tenho influenciado alguma pessoa à se aproximar de Cristo para a Salvação de sua alma, ou nem me preocupo com isso? Posso dizer que meu amor por eles tem crescido e este crescimento vê-se na prática a não só em meu falar? 

Como tem sido minha relação com a Bíblia? Tenho me esforçado em ler a Palavra todos os dias, ou sou negligente nisso? Eu tenho meditado nela e o meu conhecimento dela tem aumentado? Tenho procurado viver a Palavra? Tenho também procurado ler bons livros cristãos, e ouvido a Escritura quando é pregado por um ministro fiel? Afinal, como tem sido meu crescimento em conhecimento e prática da Verdade da Escritura? 

E minha vida de oração como está? Tenho tirado um tempo diário para orar, para estar a sós com Deus em oração? Participo dos cultos de oração? Vivo em comunhão com Deus, com aquela consciência que Ele sempre está presente e eu devo respeitá-lo em tudo o que falo, digo e penso? Tenho vivido dando a Ele graças em tudo, ou vivo sempre reclamando e murmurando? Peço sempre a sua direção em tudo e busco na Bíblia tal direção? Apresento a Ele as minhas necessidades? Entrego-lhe as minhas ansiedades? Minha fé nele tem aumentado? Confio Nele e em seus caminhos? Me alegro Nele mesmo em difíceis momentos? Louvo a Ele nos bons e maus momentos? Tenho adorado a Deus? Tenho pedido pelas necessidades de meus próximos: família, amigos, conhecidos, vizinhos, colegas, e até por aqueles que não gostam de mim? Tenho pedido a Deus pela maior necessidade deles, ou seja, pela a alma eterna deles? Eles já estão salvos? Tenho me preocupado com isso? Tenho orado pela questão? 

Como tem sido minha relação com a Igreja? Oro pela Igreja, pelos irmãos, pelo pastor? Sou um assíduo freqüentador dos cultos? Tenho levado a sério o Dia do Senhor, o domingo, e neste dia me dedicado mais a oração a Bíblia e a Igreja? Todos os domingos estou na Igreja? Minha atitude nos cultos é reverente? Venho disposto e cheio de amor a Deus para a Igreja? Tenho cantado os louvores com o coração como agradecimento, louvor, adoração e petição a Deus? Oro com atenção e sinceridade? Dou atenção a pregação esperando ouvir a voz de Deus? Medito na pregação? Penso nela depois durante a semana? Comparo para ver se a pregação esta de acordo com a Bíblia? Procuro viver a Verdade e não apenas conhece-la? Tenho lutado pelo bem da Igreja? Estou disposto a ajudar meus irmãos em suas necessidades espirituais e materiais? Evito fofocas, e em vez disso luto pela bem espiritual de todos? Tenho convidado as pessoas não crentes que conheço para me acompanharem a Igreja? E meu testemunho como está? Vivo uma vida que honra a Deus ou que envergonha o seu Reino? Meus conhecidos quando olham para mim veem a vida na prática de um filho de Deus, ou dizem com sarcasmo e ironia: “isso é ser crente”? Tenho feito a consciência dos outros doer pelo meu bom procedimento como crente, ou ao contrário, os faço se afastarem mais de Deus pelo meu pecado público? Ao olharem para mim eles dizem: “está pessoa vive diferente de nós”, ou eles dizem: “diz ser crente mas é igual a nós”? Eu me preocupo com as almas dos outros? Eu me entristeço pelo fato de Deus ser desonrado na vida deles? Eu procuro evangelizá-los falando-lhes de Cristo? Eu oro por eles? Já os convidei para vir comigo à Igreja? Já lhes dei um bom livro ou texto cristão para que eles possam conhecer a verdade? 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição de João 10:1-18 - Jesus é o Bom Pastor (Texto e áudio) - Manoel Coelho Jr.

Meditações em Gênesis 22: A prova suprema da Fé de Abraão* - Manoel Coelho Jr.

Estudo em Gênesis 3 (Primeira parte)