Exposição do Evangelho de João: Jesus conhece a autenticidade de nossa fé (Segunda e última parte)!


Não deixe de ler a primeira parte
aqui

Estando ele em Jerusalém, durante a Festa da Páscoa, muitos, vendo os sinais que ele fazia, creram no seu nome; mas o próprio Jesus não se confiava a eles, porque os conhecia a todos. E não precisava de que alguém lhe desse testemunho a respeito do homem, porque ele mesmo sabia o que era a natureza humana. (Jo 2:23-25).

III – JESUS REJEITA A FALSA FÉ (Jo 2:24):

Qual a reação de Cristo diante da falsa fé? Para responder a esta questão devemos lembrar que qualquer ser humano ficaria satisfeito quando visse alguém dar apoio a sua causa. Um pastor, por exemplo, ficaria feliz vendo alguém professar que crê em Jesus. Mas no caso de nosso texto Jesus não manifestou a mesma satisfação diante da fé daquelas pessoas, ao contrário, ele não confiava neles. Esta é a reação de Cristo àqueles que manifestam uma falsa fé: Ele não confia neles. Jesus não é como os seres humanos que podem ser enganados, Ele vê o homem por dentro, e não só a aparência. Portanto Ele sabe que tais pessoas não são confiáveis, e a elas não traz maiores revelações de sua pessoa e propósito. Creio que aqui está um princípio bíblico muito importante que torna-se um alerta muito sério a cada um de nós. Quero tratar deste assunto observando dois textos das Escrituras. Vamos ao primeiro. Destaco alguns versos muito importantes para nosso estudo:
"Naquele mesmo dia, saindo Jesus de casa, assentou-se à beira-mar; e grandes multidões se reuniram perto dele, de modo que entrou num barco e se assentou; e toda a multidão estava em pé na praia. E de muitas coisas lhes falou por parábolas e dizia: Eis que o semeador saiu a semear. E, ao semear, uma parte caiu à beira do caminho, e, vindo as aves, a comeram. Outra parte caiu em solo rochoso, onde a terra era pouca, e logo nasceu, visto não ser profunda a terra. Saindo, porém, o sol, a queimou; e, porque não tinha raiz, secou-se. Outra caiu entre os espinhos, e os espinhos cresceram e a sufocaram. Outra, enfim, caiu em boa terra e deu fruto: a cem, a sessenta e a trinta por um. Quem tem ouvidos para ouvir , ouça. Então, se aproximaram os discípulos e lhe perguntaram: Por que lhes falas por parábolas? Ao que respondeu: Porque a vós outros é dado conhecer os mistérios do reino dos céus, mas àqueles não lhes é isso concedido. Pois ao que tem se lhe dará, e terá em abundância; mas, ao que não tem, até o que tem lhe será tirado. Por isso, lhes falo por parábolas; porque, vendo, não vêem; e, ouvindo, não ouvem, nem entendem. De sorte que neles se cumpre a profecia de Isaías: Ouvireis com os ouvidos e de nenhum modo entendereis; vereis com os olhos e de nenhum modo percebereis. Porque o coração deste povo está endurecido, de mau grado ouviram com os ouvidos e fecharam os olhos; para não suceder que vejam com os olhos, ouçam com os ouvidos, entendam com o coração, se convertam e sejam por mim curados. Bem-aventurados, porém, os vossos olhos, porque vêem; e os vossos ouvidos, porque ouvem. Pois em verdade vos digo que muitos profetas e justos desejaram ver o que vedes e não viram; e ouvir o que ouvis e não ouviram."(Mt 13:1-17).
Neste texto Jesus conta uma parábola, mas é só a seus discípulos que Ele explica o significado dela, como mostra o texto mais adiante. Por que Jesus age assim? Porque eles não querem ouvir, ou seja, eles têm ouvidos mas não ouvem. Portanto até os que eles têm lhes será tirado. Já os seus discípulos, que se dispuseram a ouvir e entender, a eles será dado mais e mais em abundância da Verdade espiritual. Assim podemos dizer que a situação daqueles que ouvem, mas não se dispõem a compreender, se torna ainda pior que antes: lhes será tirado o que têm recebido. Isso ocorreu com as pessoas citadas em Jo 2:23-25, e devo dizer a todos que lêem este texto como um alerta: Acontecerá a você se não se dispuser a ouvir e entender a Palavra de Cristo. Esta é a situação: Quando a luz é deliberadamente rejeitada as trevas se tornam mais densas!
Vejamos outro importante texto para esta questão:
"Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego; visto que a justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé, como está escrito: O justo viverá por fé. A ira de Deus se revela do céu contra toda impiedade e perversão dos homens que detêm a verdade pela injustiça; porquanto o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhes manifestou. Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis; porquanto, tendo conhecimento de Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças; antes, se tornaram nulos em seus próprios raciocínios, obscurecendo-se-lhes o coração insensato. Inculcando-se por sábios, tornaram-se loucos e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, bem como de aves, quadrúpedes e répteis. Por isso, Deus entregou tais homens à imundícia, pelas concupiscências de seu próprio coração, para desonrarem o seu corpo entre si; pois eles mudaram a verdade de Deus em mentira, adorando e servindo a criatura em lugar do Criador, o qual é bendito eternamente. Amém! Por causa disso, os entregou Deus a paixões infames; porque até as mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas por outro, contrário à natureza; semelhantemente, os homens também, deixando o contacto natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo, em si mesmos, a merecida punição do seu erro. E, por haverem desprezado o conhecimento de Deus, o próprio Deus os entregou a uma disposição mental reprovável, para praticarem coisas inconvenientes, cheios de toda injustiça, malícia, avareza e maldade; possuídos de inveja, homicídio, contenda, dolo e malignidade; sendo difamadores, caluniadores, aborrecidos de Deus, insolentes, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais, insensatos, pérfidos, sem afeição natural e sem misericórdia. Ora, conhecendo eles a sentença de Deus, de que são passíveis de morte os que tais coisas praticam, não somente as fazem, mas também aprovam os que assim procedem." (Rm 1:16-32).
Aqui está o mesmo princípio. Neste caso fora dados a estes homens a luz da criação, a revelação natural, e eles rejeitaram-na. Assim Deus em sua ira justa os entrega a seus próprios corações pecaminosos o que resulta em um aprofundamento na escuridão espiritual. Mais uma vez: Quem rejeita a luz cai em escuridão ainda maior. Diante disso, e para ilustrar, eu lhe pergunto: Você gostaria de ter liberdade para cortar o próprio braço? Quem está lúcido responderá que não faz questão de tal liberdade, que tal liberdade seria uma estupidez, uma loucura. Mas se você rejeita a luz que Deus lhe tem dado, está a fazer a mesma coisa. Você procura e procura a liberdade de se destruir, de se matar, pois rejeita a Deus que é a Vida. Você não quer a luz mas as trevas. Cuidado, pois pode acontecer que Deus lhe dê o que tanto quer, como fez com aquelas pessoas, pode ser que Deus lhe conceda o que tanto procura: as trevas espirituais! Esta é a loucura do pecado, é a loucura que tantos buscam. Cuidado, pois a rejeição a luz traz trevas ainda maiores Jesus diz: "Pois ao que tem se lhe dará, e terá em abundância; mas, ao que não tem, até o que tem lhe será tirado" (Mt 13:12).
A luz de tudo isso perguntemos: Qual a reação de Cristo diante da falsa fé? Resposta: Ele a rejeita e não se confia ao que a possui. Este é entregue a sua própria falsa fé, que na verdade é incredulidade, e a situação dele é de crescente trevas. Prezado amigo não brinque com isto. Não se conforme com uma falsa fé. Saiba que terá terrível prejuízo com ela, pois é completamente rejeitada por Cristo. Aconselho a que você investigue a sua fé a luz da Palavra de Cristo, e descobrindo que se trata de uma falsa fé não descanse mas busque a verdadeira fé, busque conhecer a Cristo e clame pela misericórdia de Deus. Oh pecador, olhe para Cristo e de verdade confie Nele, caso contrário a tua situação será de trevas cada vez maiores!

IV- JESUS CONHECE A TODOS DE FORMA COMPLETA (Jo 2:25):

Chegamos a este verso que conclui nosso estudo sobre a autenticidade da fé. Todo este estudo é de grande importância pelo fato de que aquele que nos julga, ou seja, que julga nossa fé, não é qualquer ser humano mas o próprio Deus que conhece cabalmente todas as coisas. O texto está nos dizendo que Cristo é diferente de nós. Ora, quando queremos saber se uma pessoa é de confiança podemos, para ter mais segurança, pedir esclarecimentos a alguém que conhece aquela pessoa a mais tempo que nós. Isso acontece, por exemplo, com relação a médicos. É bom ter a indicação de um amigo sobre a competência de um médico que pretendemos consultar. Mas o texto nos diz que Jesus não precisa de nada disso. Ele é Deus Onisciente, e conhece o que está dentro de qualquer homem sem precisar que ninguém dê testemunho sobre o mesmo.
Meu prezado leitor, ouça a Palavra de Deus com relação a isso: "E não há criatura que não seja manifesta na sua presença; pelo contrário, todas as coisas estão descobertas e patentes aos olhos daquele a quem temos de prestar contas." (Hb 4:13). Aquele que julgará a sua fé sabe tudo. Este não é um motivo suficiente para que você teste sua própria fé? Adiantará enganar a si mesmo, ou a outros, se aquele que o julgará não pode ser enganado, pois sabe tudo, conhece nosso coração cabalmente? Mas veja estes outros texto que mostram que Jesus sabia do estado do coração de seus ouvintes:
A – Conhecia a sinceridade de Natanael e sabia de sua oração debaixo da videira:"Jesus viu Natanael aproximar-se e disse a seu respeito: Eis um verdadeiro israelita, em quem não há dolo! Perguntou-lhe Natanael: Donde me conheces? Respondeu-lhe Jesus: Antes de Filipe te chamar, eu te vi, quando estavas debaixo da figueira. Então, exclamou Natanael: Mestre, tu és o Filho de Deus, tu és o Rei de Israel!" (Jo 1:47-49).
B – Conhecia os pecados sexuais da mulher samaritana: "Replicou-lhe Jesus: Se conheceras o dom de Deus e quem é o que te pede: dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva. Respondeu-lhe ela: Senhor, tu não tens com que a tirar, e o poço é fundo; onde, pois, tens a água viva? És tu, porventura, maior do que Jacó, o nosso pai, que nos deu o poço, do qual ele mesmo bebeu, e, bem assim, seus filhos, e seu gado? Afirmou-lhe Jesus: Quem beber desta água tornará a ter sede; aquele, porém, que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede; pelo contrário, a água que eu lhe der será nele uma fonte a jorrar para a vida eterna. Disse-lhe a mulher: Senhor, dá-me dessa água para que eu não mais tenha sede, nem precise vir aqui buscá-la. Disse-lhe Jesus: Vai, chama teu marido e vem cá; ao que lhe respondeu a mulher: Não tenho marido. Replicou-lhe Jesus: Bem disseste, não tenho marido; porque cinco maridos já tiveste, e esse que agora tens não é teu marido; isto disseste com verdade. Senhor, disse-lhe a mulher, vejo que tu és profeta." (Jo 4:10-19).
Conhecia a astúcia de seus inimigos e ficava irado e triste com a dureza do coração deles: "De novo, entrou Jesus na sinagoga e estava ali um homem que tinha ressequida uma das mãos. E estavam observando a Jesus para ver se o curaria em dia de sábado, a fim de o acusarem. E disse Jesus ao homem da mão ressequida: Vem para o meio! Então, lhes perguntou: É lícito nos sábados fazer o bem ou fazer o mal? Salvar a vida ou tirá-la? Mas eles ficaram em silêncio. Olhando-os ao redor, indignado e condoído com a dureza do seu coração, disse ao homem: Estende a mão. Estendeu-a, e a mão lhe foi restaurada. Retirando-se os fariseus, conspiravam logo com os herodianos, contra ele, em como lhe tirariam a vida." (Mc 3:1-6). Aqui cabe uma pergunta: Quando Cristo olha para você Ele vê um coração crente ou um coração duro e incrédulo? Será que Jesus está irado e triste com você? Se sua fé é falsa eu lhe afirmo que sim!
Estes textos deixam claro que o Senhor Jesus não pode ser enganado por uma falsa fé. Assim é prudente que você não se engane, pois tal ato é inútil, e não passa de loucura. Portanto clame pela misericórdia de Cristo e se exponha a sua Palavra para saber se sua fé é verdadeira ou falsa.

V – CONCLUSÃO:

A falsa fé é rejeitar a Cristo e se distrair com outra coisa. Ela só produz a rejeição de Cristo e cegueira ainda maior. Ela não pode iludir a Cristo pois Ele é Deus e conhece todas as coisas. Assim a falsa fé é inútil já que em nada nos ajuda diante daquele que é nosso Juiz. Portanto, deixemos toda a ilusão e clamemos por sua misericórdia nos expondo a sua Palavra nas Escrituras. Que o Senhor derrame a verdadeira fé no coração de todo o amado leitor! Que Ele tenha misericórdia de nós e de nossos próximos, e nos traga para a Verdade em Cristo seu Filho! Amém!

Pode ser copiado e distribuído livremente, desde que indicada a fonte, e o conteúdo não seja modificado!


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição de João 10:1-18 - Jesus é o Bom Pastor (Texto e áudio) - Manoel Coelho Jr.

Meditações em Gênesis 22: A prova suprema da Fé de Abraão* - Manoel Coelho Jr.

Estudo em Gênesis 3 (Primeira parte)