A importância do que Deus fez no passado para nós e a próxima geração – Manoel Coelho Jr.

Escutai, povo meu, a minha lei; prestai ouvidos às palavras da minha boca. Abrirei os lábios em parábolas e publicarei enigmas dos tempos antigos. O que ouvimos e aprendemos, o que nos contaram nossos pais, não o encobriremos a seus filhos; contaremos à vindoura geração os louvores do SENHOR, e o seu poder, e as maravilhas que fez. Ele estabeleceu um testemunho em Jacó, e instituiu uma lei em Israel, e ordenou a nossos pais que os transmitissem a seus filhos, a fim de que a nova geração os conhecesse, filhos que ainda hão de nascer se levantassem e por sua vez os referissem aos seus descendentes; para que pusessem em Deus a sua confiança e não se esquecessem dos feitos de Deus, mas lhe observassem os mandamentos; e que não fossem, como seus pais, geração obstinada e rebelde, geração de coração inconstante, e cujo espírito não foi fiel a Deus. (Sl 78:1-8). 

O passado é muito importante para o povo de Deus e para seus filhos. Porém, vivemos tempos em que as pessoas estão em buscas de novidades. Querem coisas novas, “novas revelações”, novos métodos e novas experiências. E elas se sentem muito ocupadas para pensar no que Deus fez no passado. Mas devemos refletir nas seguintes questões: Cremos que Deus agiu no passado na vida dos patriarcas, profetas, reis, sacerdotes e em toda a história de Israel? Cremos que em tudo isso Ele estava preparando a vinda de seu amado Filho Jesus para salvar seu povo? Cremos que Cristo é a suprema Revelação de Deus, é o Verbo, a Palavra que se fez carne? Cremos nas testemunhas oculares, nos escritores do Novo Testamento, no que eles nos falaram sobre o que Cristo fez e disse? Cremos que só podemos conhecer a Deus de forma salvífica pelo que Ele fez em Cristo? Cremos que a Bíblia Sagrada é o Fiel registro de todos estes atos reveladores de Deus no passado e, portanto, neste momento é o meio único de conhecermos a Deus e sua obra sendo a sua Palavra para nós? Cremos, enfim, que o que Deus fez no passado e está registrado na Bíblia é o suficiente para conhecermos a Ele e seu plano para nossa vida? Se a nossa resposta é sim, por que então vivemos correndo atrás de novidades e nos esquecemos com tanta frequência de examinarmos as Escrituras? Não meus amigos, em vez disso devemos clamar: De volta ao passado! De volta às Escrituras! É assim que de fato encontraremos a Deus. 


Mas podemos ainda perguntar: porque é tão importante conhecermos os antigos atos de Deus? Exatamente pelo que acabamos de afirmar: Só assim podemos encontrar e conhecer a Deus. Por isso é tão importante conhecermos os seus atos, pois é assim que sabemos quem Ele é. Gostaria de ilustrar da seguinte forma: Não podemos observar como quase sempre os noticiários têm algo a dizer sobre o Presidente da República? Por quê? Porque os seus atos, as suas decisões influenciam milhões de pessoas. Os atos do cidadão comum influenciam apenas aqueles que lhe são mais próximos. Mas, os de uma autoridade como o presidente, causam impacto sobre muitos. Por quê? Exatamente porque ele é uma autoridade. É um líder, um chefe, um governante. Ele é alguém, por assim dizer, que possui poder. O poder de comando, de governo sobre estes milhões de pessoas. Por isso é importante observar o que ele diz e faz, pois tem a ver com a nossa vida, afeta-nos direta ou indiretamente. E o que dizer a respeito dos atos e palavras daquele que é a maior autoridade, ou seja, Deus? Se é importante observar o presidente, não seria infinitamente mais importante observar ao Todo Poderoso? Se o que o presidente faz e fala afeta milhões, não é correto dizer que os feitos e Palavras de Deus afetam a todos os seres humanos? Na verdade as Escrituras nos ensinam que Deus se revelou por atos e por palavras que explicavam estes atos. E tanto um como o outro estão registrados nelas, ou seja, nas próprias Escrituras. Deus então estava revelando quem Ele é, e qual o seu plano para a nossa vida. Estava nos mostrando qual o supremo propósito de nossa vida: Viver para sua glória. Deixou ainda claro que não temos vivido assim, mas em rebeldia a Ele, e que, portanto, precisamos nos arrepender. E finalmente mostra que Cristo o seu Filho é a Salvação, pois morreu na Cruz por seu povo pagando sua imensa dívida. Reflitamos agora: Todas estas coisas nos afetam da forma mais intensa possível. Conhecer estes fatos, crer neles e viver a luz deles, nos traz de volta ao propósito para o qual fomos criados: a glória de Deus. Faz-nos ter comunhão crescente com Ele. Traze-nos certeza de Salvação. Dá-nos segurança quanto ao futuro e eternidade. Da mesma forma é verdade dizer que não dar atenção e fazer pouco caso destes fatos só poderá nos levar a uma coisa, isto é, ao Juízo de Deus e a Perdição Eterna. Ah, como os atos de Deus nos afetam! Ah, como é importante ouvirmos a Deus! E onde podemos ouvi-lo? No que Ele fez e disse no passado, ou seja, nas Escrituras. 

Porém, devemos observar que este conhecimento não deve ficar só conosco, mas deve ser passado também aos nossos filhos. A próxima geração precisa conhecer os atos de Deus no passado. Meus amados, o momento atual é crítico em relação às crianças, os adolescentes e os jovens. As famílias estão sem direção, sem um modelo na criação de filhos. As crianças não têm sido bem orientadas, e os jovens e adolescentes estão manifestando sérios problemas com a violência, drogas e vícios sexuais. Os pais se sentem perdidos diante de tantos perigos. Apesar de que os ditos “especialistas” alistam várias causas do problema e supostas soluções, a Bíblia Sagrada diz que a causa básica de tudo é só uma: A falta de conhecimento de Deus. E segundo a mesma Bíblia a única solução é um retorno a Ele. Mas as pessoas têm esquecido isto. Esquecem de Deus, não o conhecem e não ensinam sua verdade a seus filhos. Aliás, quem pode deixar uma herança a seus filhos que não possui? Como poderemos falar de Deus se nós mesmos não o conhecermos? É triste ver o que os pais fazem em nossos tempos sem se darem conta de seu grave erro. Oh eles quando podem, e até quando não podem, compram de tudo a seus filhos. O brinquedo, o celular, as diversões, tudo o que puderem em termos materiais proporcionar a seus filhos, eles o farão. Mas quanto aos Valores Eternos? Mas quanto ao maior valor: Deus? Quanto a essa parte sequer falam. Vemos isso inclusive nas igrejas. Crentes há que sua religião não passa de fachada. Tais “crentes” nunca oram, nunca fazem o culto doméstico, pouco leem a Bíblia para si e seus filhos, não guardam o dia do Senhor, agem em seu afazeres diante de seus filhos como homens ímpios, não conhecem os Dez Mandamentos e não os ensinam a seus filhos. Lares que se dizem cristãos não seguem o padrão bíblico para o casamento e criação de filhos. Essa realidade de frieza quanto as questões espirituais ocorre com muita regularidade em muitos lares. 

Mas se você é de fato um cristão, em crente em Cristo, então assuma seu papel. O Senhor colocou responsabilidades sobre os pais cristãos de darem aos seus filhos a educação na justiça. No que consiste esta educação? Vejamos em alguns pontos: 

A - Os pais devem contar aos seus filhos os antigos atos de Deus e o significado destes atos. Assim Deus estará se revelando as crianças (Leia, por favor: Ex 12:26-28 e 13:11-16). Tudo o que falamos no ponto anterior se aplica aqui, ou seja, os atos de Deus estão registrados nas Escrituras e Ela nos mostra que a Revelação de Deus está no que Ele fez através do anuncio, da vida e da obra do Senhor Jesus Cristo. Portanto é a Bíblia que os pais precisam ensinar aos seus filhos. Assim, estarão lhes falando de Cristo e da necessidade deles (os seus filhos) se arrependerem e crerem Nele. 

B – O exemplo: A Bíblia fala que nosso exemplo é muito importante diante de todas as pessoas, e em especial diante de nossas famílias, e isso para que Deus seja glorificado por nosso andar (Leia por favor: Mt 5:13-16, Ef 5:1-14, I Pe 2:11-17, Tt 2:7,8; I Tm 3:1-13). Portanto seja exemplo de temor a Deus em sua casa. Siga a palavra de Deus em família ao tratar a esposa ou esposo, e a seus filhos. Siga os dez mandamentos, siga todo o conselho de Deus nas Escrituras e cresça nisso. Leve também seus filhos a Igreja. Mostre que você leva a sério a pregação da Palavra e o Dia do Senhor. Ore com eles. Seja enfim um exemplo de fidelidade a Deus diante de seus filhos em toda situação e lugar. 

C – Suplique que Deus tenha misericórdia de seus Filhos. Somente o Senhor pode salvar seus filhos. Somente Ele pode mudar o coração de pedra que eles têm e colocar no lugar um coração de carne que o ame e o obedeça (Ez 36:26-28). Portanto a Ele você deve clamar. Vejamos o caso de Jó. As Escrituras dizem: assim: “Havia um homem na terra de Uz, cujo nome era Jó; homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desviava do mal. Nasceram-lhe sete filhos e três filhas. Possuía sete mil ovelhas, três mil camelos, quinhentas juntas de bois e quinhentas jumentas; era também mui numeroso o pessoal ao seu serviço, de maneira que este homem era o maior de todos os do Oriente. Seus filhos iam às casas uns dos outros e faziam banquetes, cada um por sua vez, e mandavam convidar as suas três irmãs a comerem e beberem com eles. Decorrido o turno de dias de seus banquetes, chamava Jó a seus filhos e os santificava; levantava-se de madrugada e oferecia holocaustos segundo o número de todos eles, pois dizia: Talvez tenham pecado os meus filhos e blasfemado contra Deus em seu coração. Assim o fazia Jó continuamente”. Vejam que este homem era riquíssimo. No entanto qual era a sua preocupação com relação aos seus filho? Resposta: O estado do coração deles diante de Deus. Então ele intercedia diante de Deus pelo estado do coração de seus filhos. Ele pensava : “talvez meus filhos tenham pecado no coração”. Esta é a educação na justiça, é uma preocupação com o estado do coração dos filhos. Este homem rico não estava tão preocupado com a herança material que deixaria a seus filhos, tanto quanto com a situação do coração deles diante de Deus. Assim ele orava por eles. 

Mas de onde vinha esse entendimento de Jó? Por que para ele o mais importante não eram os bens materiais, mas sim os espirituais? Resposta: Porque na escala de valores de Jó Deus era a prioridade e as outras coisas vinham depois. Ele era “integro e reto, temente e Deus e que se desviava do mal”. Ele temia ao Senhor. Assim ele se preocupava que seus filhos também temessem ao Senhor. Isso o levava a interceder Àquele único que poderia operar a graça, o perdão em seus filhos. Oh meu amado, ore por seu filhinho e filhinha, por seus adolescentes, por seus jovens, por seus adultos! Eles precisam nascer de novo. O coração deles é mau e precisa ser regenerado. Ore por eles ao único que pode mudá-los, o Senhor! E quando isso acontecer continue orando pela santificação deles.

Tudo o que falamos até aqui deveria nos envergonhar, caso não mostremos no dia a dia diante de nossos filhos que tememos ao Senhor Deus. Infelizmente muitos pais não se desviam do mal como Jó, mas buscam o mal. São maus modelos para seus filhos, mostram, para dar um exemplo, desonestidade nos negócios e se importam muito pouco, ou nada, com o estado do coração de seus filhos. Não pedem como Jó que Deus tenha misericórdia de seus filhos. Que coisa vergonhosa é o estado dos ditos crentes quando agem assim. Isso é uma contradição a confissão de seu lábios. Não podemos continuar desta forma se assim estamos. Devemos em primeiro lugar observar se de fato cremos em Jesus, se Ele de fato Ele é o nosso Senhor. Examinemos a nós mesmos se estamos na fé e então ensinemos o temor do Senhor aos nossos descendentes. Você papai está fazendo isso? Você mamãe está fazendo isso? 

Cuide de sua alma e da alma de seus filhos. Como está seu coração diante de Deus? Como está o coração de seu filho diante de Deus? Busque o Deus das Escrituras, Aquele que se revelou pelos antigos apóstolos e profetas, Aquele que fez coisas grandiosas explicou o significado delas e hoje opera na vida de seu povo por esta revelação. Que possamos dizer com Josué: “Eu e a minha casa serviremos ao SENHOR” (Js 24:15). Fora isto toda a educação e esperança de melhora da próxima geração será falsa, pois tocará apenas na superfície. Mas é o coração que precisa ser mudado, e isto Deus faz por meio da Verdade das suas Escrituras quando aplicadas por seu Santo Espírito ao coração de homens e mulheres. Portanto reflita seriamente nas palavras do salmista: “Escutai, povo meu, a minha lei; prestai ouvidos às palavras da minha boca. Abrirei os lábios em parábolas e publicarei enigmas dos tempos antigos. O que ouvimos e aprendemos, o que nos contaram nossos pais, não o encobriremos a seus filhos; contaremos à vindoura geração os louvores do SENHOR, e o seu poder, e as maravilhas que fez. Ele estabeleceu um testemunho em Jacó, e instituiu uma lei em Israel, e ordenou a nossos pais que os transmitissem a seus filhos, a fim de que a nova geração os conhecesse, filhos que ainda hão de nascer se levantassem e por sua vez os referissem aos seus descendentes; para que pusessem em Deus a sua confiança e não se esquecessem dos feitos de Deus, mas lhe observassem os mandamentos; e que não fossem, como seus pais, geração obstinada e rebelde, geração de coração inconstante, e cujo espírito não foi fiel a Deus.” (Sl 78:1-8).

Pode ser copiado, distribuído, e traduzido livremente para outro idioma, desde que indicada a fonte, a autoria, e o conteúdo não seja modificado.


Leitura recomendada:





















Adquira o livro do blog:














Conheça e inscreva-se nas páginas do blog no Youtube e Facebook :

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição de João 10:1-18 - Jesus é o Bom Pastor (Texto e áudio) - Manoel Coelho Jr.

Meditações em Gênesis 22: A prova suprema da Fé de Abraão* - Manoel Coelho Jr.

Estudo em Gênesis 3 (Primeira parte)