Juventude e Graça*, por Manoel Coelho Jr.

[Uma Poesia, por Manoel Coelho Jr.]



Juventude, idade da força, da beleza, dos sonhos, dos anseios, dos supostos grandes ideais.  

Juventude do ser humano natural, manchada pelo pecado, arraigada em desejos mesquinhos, apoiada em enganos.  

Juventude natural, esperando por grandes realizações, esperando por felicidade futura, mas apoiada no terreno arenoso do pecado. 

Juventude pecaminosa, esperando tudo, menos Deus, almejando tudo, menos a Glória do Santo, caminhando para um alvo onde a Deidade não está presente. 

Juventude enganada, confiando em sua beleza, e força física e mental, crendo que sua suficiência não lhe será nunca insuficiente, sem compreender que dá cada passo pela potência do próprio Deus que despreza. 


Juventude iludida que espera grandes realizações, que satisfarão seus desejos contra o Santo, mas não vê que em breve terá que prestar contas ao Dono de sua Juventude.
  
Juventude natural como és pecaminosa e assim enganosa, pois segura de tua força tens apenas esperança terreal. 

Oh pecado mentiroso, que torna o homem mortal e fraco e ainda o iludi pela força da juventude.
  
Oh engano terrível, que esquece que logo decairá as forças, que a beleza é passageira, que haverá decepção nos ideais do pecado. 

Oh engano terrível, que esquece que os anseios e sonhos sem Deus são apenas expressão da morte interna de um coração que deseja coisas vãs. 

*** 

Mas que bela é a obra de Graça na Juventude. 

Um ser humano salvo na velhice é expressão da Graça, mas a vida foi perdida em multidões de pecados.  Neste caso a Graça glorifica a Deus, mas a vida foi dedicada à desonra ao Seu Nome Santo. 

Um homem salvo na velhice vê seus melhores anos, suas forças, seus sonhos, dedicados aos ídolos vãos. Regozija-se na Graça, mas entristece-se por ter perdido a nata de sua vida, viveu sem Deus, viveu contra Deus. 

A vida neste mundo é assim, da Força à fraqueza, da beleza jovem à delicadeza idosa, dos grandes anseios à execução ou decepção dos mesmos. 

Mas eis a questão: Qual o propósito em tudo? É para Deus? Dedicam-se as melhores forças, a beleza, os sonhos e os ideais para Deus? 

Ora, o mundo passa, bem como a sua concupiscência; aquele, porém, que faz a vontade de Deus permanece eternamente.
  
A Juventude tem seu valor quando para Deus. Mas isso é obra da Graça em Cristo. Que bela, útil e produtiva é esta Juventude na Graça. 

Juventude e Graça. Eis a vida ganha. Juventude e pecado, eis a vida perdida. 

Conheço uma Jovem assim, em quem a obra da Graça em sua vida me tem sido motivo de louvor ao Senhor e de edificação. 

Vejo nela Amor a Deus, elevados ideais nEle, os melhores anos, a força e verdadeira beleza dedicados ao Seu louvor. Graça e Juventude, graça e Juventude. Tudo pela Graça. Ao Senhor a Glória! 

Que o Senhor levante muitos jovens assim. Que a graça manifeste-se na juventude. Que isso seja contagiante. Que vidas sejam ganhas para a Glória de Deus em Cristo.  

Oh Senhor, faz isso hoje!  Juventude e Graça, juventude e Graça! Amém! 


12 de Outubro de 2015
Belém, Pará.



*Editado e Publicado pelo Site “O Estandarte de Cristo”.

**Pode ser copiado, distribuído, e traduzido livremente para outro idioma, desde que indicada a fonte, a autoria, e o conteúdo não seja modificado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Exposição de João 10:1-18 - Jesus é o Bom Pastor (Texto e áudio) - Manoel Coelho Jr.

Meditações em Gênesis 22: A prova suprema da Fé de Abraão* - Manoel Coelho Jr.

Estudo em Gênesis 3 (Primeira parte)